[Resenha] Elixir | Hilary Duff

  — Lembre-se, Clea — ele me disse —, tirar fotos é uma grande    responsabilidade. Várias culturas acreditam que as fotografias capturam a    alma das pessoas.  
   A vida de Clea Reaymon sempre foi muito pública. Filha de um famoso cirurgião e de uma senadora, ela sempre viu seu nome e o de sua família estampado em capas de revista ou na televisão. Para esquecer um pouco o "estresse de ser famosa", ela encontrou na fotografia um meio de se expressar e de conhecer o mundo através de sua lente graças ao seu pai, que infelizmente desapareceu em uma viagem ao Brasil e acabou sendo dado como morto, já que isso aconteceu a mais de um ano. Porém Clea ainda não consegue lidar com a ausência do pai nem em uma viagem ou quando está fotografando. 

   Depois de uma viagem a Paris, Clea se vê analisando suas milhares de fotos e acaba descobrindo um homem que aparece em todas as fotos, sempre no cantinho, com a mesma roupa. É ai que tudo realmente começa...

   Conheci Hilary nos tempos de Lizzie McGuire e depois disso me tornei super fã. Tenho DVDs, CDs e estou sempre procurando por novidades. Quando vi que ela lançaria um livro minha primeira reação foi ficar feliz e a segunda foi ficar ansiosa pois sempre vi a Hilary como a atriz e cantora que eu admirava, e estava curiosa para conhecer esse lado escritora dela.


   Que procurou ler resenhas do livro viu que a maioria é negativa, mas ao contrário de muitos eu gostei sim do livro. Não que tenha entrado para minha lista de favoritos, mas o livro realmente é bom. Gostei muito da narrativa (o livro é narrado em primeira pessoa) e do fato de Hilary falar com tanta precisão dos locais citados, como Rio de Janeiro (que adorei, pois sou carioca), Paris, Tóquio e Nova York.

  Minha personagem preferida é Rayna, a melhor amiga de Clea. Ela consegue ser divertida, alegre, engraçada, fofa e descontraída nas cenas que está presente e acaba fazendo uma grande diferença. Ela fazer com que quem me visse lendo e rindo sozinha na frente do livro perguntasse: "Mariana, você está bem?"

   Com todas as resenhas negativas do livro eu esperava bem menos, mas como eu disse ele é realmente bom. Não é nada extraordinário, mas é muito melhor do que eu imaginava que seria. E recomendo que não só os fãs de Hilary, como todos os que nem conheciam ela leiam o livro, pois é uma leitura super rápida e prazerosa.