Papo literário: Lu Piras e seu sonho realizado



   O sonho se realizou! No dia 18 de março de 2012, Lu nos alegrou com a notícia de que Equinócio seria publicado pela Dracaena Editora. Todos os blogueiros e leitores que acompanhavam Lu desde os tempos de divulgação na blogosfera literária ficaram muito felizes, e comigo não foi diferente. Conversei com Lu esses dias falando que gostaria de fazer uma nova entrevista com ela, já que na primeira entrevista Equinócio não havia sido publicado.  Não falarei muita coisa sobre o livro agora pois a resenha de Equinócio será publicada amanhã aqui no blog, mas posso adiantar que o livro me encantou.


Magia Literária: Lu, qual foi sua primeira reação ao saber que Equinócio - A Primavera seria publicado pela Dracaena?
Lu Piras: Corri para abraçar o meu pai, que foi a pessoa que sempre me apoiou, incondicionalmente.

ML: Na primeira entrevista ao blog você disse que Equinócio ''abre caminho para que a história se desenrole e alguns personagens cresçam nos livros seguintes''. Já ficamos muito ansiosos com o primeiro capítulo de Polaris - O Norte, o que mais podemos esperar dele?
LP: Muitas surpresas, Mari. Polaris desvendará mistérios de alguns personagens, vai fechar algumas pontas abertas em Equinócio (nenhum detalhe é à toa e nada fica sem explicação), apresentará uma trama sobre o passado de Nate na Espanha e também o dilema de Clara, que precisará tomar importantes decisões.

ML: Qual sua(s) cena(s) preferidas em Equinócio?
LP: Minha cena preferida é a do Arpoador, em que Nate e Clara dançam com as estrelas cadentes. Ah, eu sou romântica...

ML: Li uma entrevista onde você dizia que imaginava Jonas como Sean Faris (confesso que adoro ele e que li o livro imaginando-o como Jonas). Quais outros atores você que poderiam ser alguns personagens?
Quem já leu sabe que até a pintinha sobre os lábios, eu fiz questão de descrever no Jonas, rs.
A Camila Belle se parece com a Clara da minha imaginação por causa da personalidade que ela transmite no olhar.
Imaginei a Elle Fanning como Olívia. Aquele ar delicado que ela tem é perfeito.
Robert Carlyle seria um ótimo Maurício Chevallier. Ele tem cara de cientista viúvo, não tem?
Leven Rambin poderia ser a Chris, tem o jeitinho dela.
Emma Roberts encaixa-se como Jessy por causa dos traços físicos e do jeitinho também.
Nate James Preston, como Gustavo (tem que ter cara de surfista!).
Conchata Ferrel seria a Maria dos meus sonhos (gordinha e com cheiro de mãe, rs).
Brant Daugherty seria um bom Rodrigo (parece um anjo, mas só parece...).

O Nate eu quis deixar para a imaginação de cada um porque ele é o anjo que todas nós gostaríamos de ter... Estou aceitando sugestões!



ML: Os quatro livros da série Equinócio estão prontos. Você já pensa em outros projetos?
LP: Sim. Estou com um projeto em andamento nesse momento. É um romance também, desta vez em coautoria.

ML: Várias pessoas já escreveram resenhas sobre seu livro em blogs ou no skoob, por exemplo. Você acompanha essas opiniões?
LP: Acompanho ansiosamente, rs. Eu adoro o feedback dos leitores, acho fundamental.

ML: No Brasil, sabemos que a leitura não é um hábito da população em geral. Quantos livros em média você lê por mês? 
LP: Neste momento com o projeto em que estou envolvida,a divulgação de Equinócio, a revisão de Polaris, os estudos para concurso e outras obrigações, não estou conseguindo ler mais do que um por mês, infelizmente.
Gostaria de poder ler 3 por mês. Seria uma boa média.

ML: Você acha que quando temos um livro de estréia de um autor, na maioria das vezes um brasileiro, algumas pessoas tem um tipo de preconceito?
LP: Sem dúvida, Mari. Esse preconceito vem sendo mitigado por uma nova geração de leitores jovens, que se apegaram à literatura depois de Harry Potter e Crepúsculo. Existe maior abertura para uma também nova geração de escritores nacionais que encontram mais espaço para divulgar suas obras.

ML: Se você pudesse escolher um autor para ler e dar sua opinião sobre seu livro, quem seria? 
LP: Nos meus sonhos, seria a Stephenie Meyer. Ela foi a responsável por eu ter tomado coragem e investido no meu sonho. Eu adoraria saber a opinião de alguém que me fez descobrir meu estilo literário, aquele onde me sinto à vontade escrevendo.

ML: Qual dica você daria para quem quer ser escritor?
LP: Que persista e dedique-se a dar o seu melhor. Escrever é a parte fácil para quem tem a vocação. Havendo disciplina e gosto pela escrita, não há por que não se dedicar. O difícil é o que vem depois, é perder o medo de se expor e expor sua obra, é consumir-se em divulgação (dinheiro e tempo) e a paciência que é preciso ter para esperar o retorno de uma distribuição insuficiente.

ML: Por último, deixe um recado para aqueles que leram e para os que vão ler Equinócio.
LP: Mari, muito obrigada pela oportunidade de estar aqui no seu blog novamente, falando um pouquinho de Equinócio e dos meus projetos.

Aos leitores do Magia Literária, muito obrigada por terem acompanhado essa entrevista e pelo interesse em Equinócio.

Aos que leram e viajaram no mundo de Clara e Nate eu só tenho a dizer que vocês fazem parte do meu universo agora. Só libertarei vocês depois do último capítulo do último volume (Missão – o Futuro).

Aos que não leram ainda, eu espero que a história amarre vocês, que os personagens sequestrem vocês e os tornem reféns dos anjos de Equinócio, rs.

*****

Lu, mais uma vez agradeço pela atenção e amizade de sempre. Você se mostrou uma ótima pessoa, e agora uma ótima escritora. 
Espero que todos gostam da entrevista, e não deixem de conferir a primeira entrevista clicando aqui