[Resenha] Diário de Uma Paixão | Nicholas Sparks

  “Eu não sou nada especial; disso eu tenho certeza. Eu sou um homem comum, com pensamentos comuns, e eu levo uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e meu nome logo será esquecido, mas eu amei alguém com todo meu coração e com toda minha alma, e para mim, isso sempre foi o bastante.”  

  Diário de Uma Paixão foi o primeiro livro publicado - em 1996 - por Nicholas Sparks. Só vim a ter interesse em lê-lo depois que sua sequência (intitulado O Casamento) veio a ser publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. Mesmo que em muitas resenhas as pessoas tenham dito que não era necessário ler o primeiro livro para ler o segundo, decidi que iria ler o Diário de Uma Paixão primeiro, e só essa semana tive a oportunidade de fazê-lo.

  "Você é a resposta para todas as minhas orações. Você é uma canção, um sonho, um murmúrio, e não sei como consegui viver sem você durante tanto tempo. Eu amo você, Allie, mais do que você é capaz de imaginar. Sempre te amei e sempre vou te amar."  

  Neste livro conhecemos Noah Calhoun, um jovem apaixonado por poesia, pobre e trabalhador; e Allison - Allie - Nelson, uma jovem de família rica que adora pintar. Os dois são apresentados por amigos que tinham em comum e acabam se apaixonando e passando o resto do verão juntos. Os dois acabam descobrindo sentimentos, gostos e infinitas coisas juntas, até que a mãe de Allie descobre a diferença entre a classe social de sua filha e de Noah, ela resolve impedi-la de ver o namorado e a leva para longe.

''E embora possam me chamar de sonhador, louco ou qualquer outra coisa, acredito que tudo é possível.''  

  Noah passa a escrever uma carta por dia para Allie durante um ano. Foram 365 cartas escritas sem nenhuma resposta. 14 anos sem passam sem que Noah receba uma notícia se quer de Allie, até que um artigo chega às mãos dela e muda o rumo da história dos dois. Allie, que agora é uma mulher noiva, se vê voltando para Nova Berna para ver Noah.

  Allie chega à casa de Noah surpreendendo-o completamente, e apesar de estar comprometida com um advogado bem sucedido que a ama, o sentimento que começou na adolescência ressurge fazendo com que ela e Noah voltem a se amar como antigamente.

  Narrado em primeira pessoa, esse é mais um livro que nos faz sonhar com um amor como os descritos nos livro de Nicholas Sparks. Ele é mestre em nos fazer - pelo menos, me fazer - ficar com raiva da mocinha e amar completamente o personagem principal. Sei que, dessa vez, a culpa do afastamento não foi de Allie, e que no final ela faz a escolha certa, mas ainda assim fiquei com um pouquinho de raiva dela em relação a algumas coisas (mas ninguém ultrapassa a raiva que sinto pela Savannah, de Querido John-rs).

   A estória é realmente muito linda. Noah nos conta todas as suas experiências com seu primeiro e único amor, e o final é surpreendente. Admito que no inicio fiquei meio com o pé atrás, mas quando os dois se reencontram li o livro voando. É impossível não se envolver com a narrativa de Nicholas, que nos faz acreditar que tudo que aconteceu foi real e torcer para que tudo acabe bem no final.

  O que me surpreendeu no livro foi o final, mas não o final em si, e sim o fato de eu não ter chorado como 99% das pessoas que leram esse livro. O final é emocionante? Sim, é. Porém não me levou à lágrimas como tantos outros livros de Nicholas, e nem por isso deixou de ser uma boa leitura.

  Recomendo este livro para todos os apaixonados por Nicholas e por romances. O autor sabe exatamente como nos emocionar e nos fazer acreditar que existe alguém por aí que pode nos amar tão profundamente, como acontece com suas personagens.

  Para os que assistiram o filme e não leram o livro: o façam! O filme inspirado no livro, assim como todas as adaptações, é muito diferente (achei o final mais emocionante, e esse sim me fez chorar). Até a próxima semana estarei fazendo um post dedicado à ele, por isso fiquem de olho!