Programação da Editora Undeworld para 2012

A Editora Underworld publicou sua programação de lançamentos para 2012. Vale lembrar que é uma programação previsória, e está sujeita a alterações.

Clique na imagem para vê-la maior

Divulgada a capa nacional de 13 Pequenos Envelopes Azuis

A Editora Underworld publicou ontem a capa nacional do livro 13 Pequenos Envelopes Azuis, de Maureen Johnson. O livro, que será lançado no dia 25 de fevereiro, conta a estória de Ginny, uma adolescente de dezessete anos que vive uma vida relativamente normal em Nova Jersey até receber uma carta de sua tia Peg. A carta contém 1000 dólares em dinheiro e instruções: tire seu passaporte, compre uma passagem apenas de ida para Londres, então vá até um endereço em Nova Iorque para retirar um pacote e vá direto ao aeroporto.
Tia Pega também faz uma lista de regras: Leve apenas o que cabe em uma mochila. Deixe cartão de crédito, dinheiro, câmeras, celulares e computador em casa e quando chegar na Europa não entre em contato com ninguém nos Estados Unidos. Parece impossível que Ginny pudesse seguir essas instruções, mas ela segue e logo está a caminho de Londres com o pacote que retirou em Nova Iorque que contêm 12 outros envelopes com instruções.

Capa Nacional de Boneshaker é divulgada

 A Editora Underworld publicou ontem, a capa nacional do primeiro volume de sérievThe Clockwork Century“: Boneshaker. A série é escrita pela norte-americana Cherie Priest, e o primeiro volume será lançado pela Editora em fevereiro. O livro inicia em plena Guerra Civil, onde há boatos da existência de ouro na geladaKlondike, atraindo hordas de imigrantes para o noroeste do Pacifíco. Em Seattle, garimpeiros russos contratam o inventor Leviticus Blue para criar uma máquina de quebrar gelo e assim desenterrar ouro facilmente.Algo dá errado no primeiro teste com a Boneshaker (nome da máquina), destruindo vários quarteirões no centro de Seattle e abrindo grandes buracos no subterrâneo da cidade. No caos um veio de gás acaba sendo liberado, e quando ele é inalado por seres humanos acaba transformando-os em mortos-vivos…
O primeiro capítulo do livro pode ser lido em português clicando aqui.

Resenha: Os Vampiros de Morganville - Dança das Garotas Mortas | Rachel Caine


VOLUME ANTERIOR: Casa Glass

  Assim que terminei de ler Casa Glass pensei: Eu preciso ler Dança das Garotas Mortas! Comecei a ler resenhas e acabei me decepcionando já que a maioria era negativa. Alguns diziam se decepcionar com a escrita de Rachel, outros com a forma pela qual alguns acontecimentos foram escritos e até mesmo com as atitudes de Claire. Mesmo assim, minha vontade de ler o livro só aumentava e acabei comprando o livro pela Lojinha Virtual da Underworld. O livro chegou super rápido e adivinhem? Li em dois dias (teria lido em um se não tivesse que sair) e não me decepcionei. Mentira, me decepcionei sim... me decepcionei comigo mesma por não ter comprado esse livro na Bienal, pois também poderia ter ele autografado. rs


  Neste livro, Claire se mostra mais amadurecida em alguns aspectos, e tem que enfrentar os próprios medos para salvar a vida de Shane, o garoto que ela ama, de várias maneiras: do pai, que faz qualquer coisa, até "passar por cima" do próprio filho para atingir seu único objetivo que é acabar com os vampiros de Morganville, e das confusões que Shane acaba se metendo por estar no lugar errado, na hora errada. Shane é acusado de matar o vampiro Brandon e Claire tem que correr contra o tempo antes que seu amado seja morto. Claire tem poucos dias para salvar Shane, porém mesmo com poucos dias ela consegue "agitar" a cidade.

“­­­-Quem sabe? – Eve deu de ombros. – Garotos são idiotas. Era de se esperar que Shane ficasse feliz por Michael estar vivo, mas não, ou eles demonstram culpa, ou promovem a noite do amadorismo no teatro dos Reis do drama. – Ela suspirou frustrada. – Garotos. Eu me tornaria gay, se eles não fossem tão atraentes.”
  Este livro não tem tanta ação como o primeiro, mas algumas cenas (como de Claire e Shane) são de tirar o fôlego e Eve e Michael demonstram mais seus sentimentos um pelo outro. As únicas coisas que eu mudaria no seria o título, já que a dita cuja festa não é nada do que eu imaginava e acontece em poucas páginas, e o fato do Shane ficar chamando o pai de "papai" mesmo depois de apanhar dele também de tirou do sério.
“Devia ser uma questão de maturidade, mas, para ela, amadurecer era como percorrer uma estrada encoberta pela neblina. Não tinha a menor ideia de como chegar ao destino. Por outro lado, supunha que ninguém sabia realmente, que as pessoas iam simplesmente percorrendo o caminho às cegas.”
  Como no primeiro livro, terminei a leitura  com aquele gostinho de quero mais e não pude esperar para baixar o terceiro livro da série em inglês na internet. Espero que seja lançado em breve pela Under, pois me disseram que ele é melhor ainda!

Capa original x Capa nacional #4

Olá pessoal. Hoje o Capa Original x Capa Nacional vem especial. Escolhi uma série de livros que muitos já me indicaram, porém ainda não tive a oportunidade de ler: A Mediadora, de Meg Cabot, que contém três livros: Shadowland (A Terra das Sombras), Ninth Key (O Arcano Nove) e Reunion (Reunião). Achei que seria legal fazer a coluna de hoje com a série, pois além de não ter feito  na semana passada, os três livros, tanto no Brasil, quanto nos EUA, foi publicado duas vezes com capas diferentes. Confiram:



 Eu simplesmente não gostei muito desses desenhos. Não dos desenhos em si, mas sim do uso deles nas capas da série. Gosto muito dos livros que tenham suas sequências com capas de uma certa forma lembrem as outras anteriores, mesmo não tendo lido a série para talvez poder "entender" as capas, elas não me agradaram muito.



Adorei cada uma das capas. Mas achei que a do meio não se encaixou nas outras.


  

Apesar do título "The Mediator" estar em uma faixa (não gosto do uso de faixas para destacar o título) também gostei das capas americanas. Seguiram o mesmo estilo, mas se não me engano, os olhos nas capas de Shadowland e Ninth Key são os mesmos. Poderiam usar outra imagem para ficar diferente.




Simplesmente ADOREI essas capas! O uso das cores, os desenhos.... AMEI!

Lycia Barros dá dicas de séries e trilogias


Olá pessoal. Hoje, além de falar sobre os vídeos da autora Lycia Barros, peço desculpas por essa última semanas sem posts. Problemas com o computador, mas não vem ao caso.
Pois bem, acho que muitos já sabem, mas para os que não, a autora Lycia Barros está dando  dicas em vídeo para novos autores e para quem gosta de escrever. Então mesmo se você não pretende ser escritor, você irá gostar dos vídeos.
No dia 05, publicou um vídeo no qual dá dicas de séries e trilogias. Eu particularmente adorei o vídeo!
Confiram e comentem:

 

Capa de Extras, quarto volume da série Feios, é revelada


E a capa do quarto volume da série Feios foi revelada pela Editora Galera Record. O livro, intitulado Extras, tem previsão de lançamento para maio e, apesar de fazer parte da série, não possui os mesmos protagonistas e a história também se modificou um pouco.


A Era da Perfeição ficou no passado. A libertação promovida graças aos esforços de Tally Youngblood deu fim a uma cultura onde a beleza e as modificações cerebrais, que transformavam todos em avoados, eram a base do sistema. Nesse novo mundo onde Aya Fuse — não apenas uma Feia de 15 anos, mas uma Extra — tenta sobreviver, existe uma coisa muito mais importante e poderosa do que a beleza: a fama.


Com o tempo, as resenhas de Feios, Perfeitos e Especiais será postada aqui. 

Divulgada a capa de Terra dos Sonhos, de Alyson Noel

A Editora Intrínseca divulgou hoje, 12 de janeiro, a capa do livro Terra das Sombras. O livro, originalmente publicado como Dreamland, é o terceiro da série Riley Bloom.
Neste livro, Riley descobre que a pós-vida pode ser solitária para alguém que se concentra apenas em trabalho. Ela então vai até o local onde os sonhos acontecem na esperança de entrar em contato com a irmã, Ever. Lá encontra o diretor, que lhe explica os dois modos de fazer isso: ela poderia saltar para dentro de um sonho qualquer de Ever, e assim transmitir sua mensagem, ou criar um sonho novo em estúdio e enviá-lo à irmã. O problema é que esse segundo modo foi banido há muito tempo, e o estúdio, lacrado.
Determinada a falar com a irmã haja o que houver, Riley parte sozinha atrás de seu objetivo. O que acaba encontrando, porém, está longe de ser um sonho. Será Riley capaz de se livrar desse pesadelo para chegar a Ever?





Terra das Sombras será lançado no Brasil no dia 16 de janeiro de 2012, e ao lado vocês podem ver a foto postada pela Editora no twitter, assim que o livro chegou na gráfica.

Papo literário - Nanuka Andrade




Tenho o prazer de trazer para vocês, nossa primeira entrevista do blog, que é com o autor Nanuka Andrade. Nanuka tem 36 anos, nasceu em São Paulo, é desenhista e escritor. Seu primeiro livro, Camundo, foi publicado pela Editora Underworld em 2011.
Aproveito para agradecer mais uma vez ao Nanuka, que é uma ótima pessoa e respondeu a todas as perguntas.
Confiram a entrevista logo abaixo:

Nanuka, nos fale um pouco de você.
Olá, Mariana! Primeiramente, obrigado pela oportunidade. Bom, tenho 36 anos, sou nascido em São Paulo, capital,crescido no Rio de Janeiro, e, atualmente, radicado em Campinas, SP. Sou desenhista, e tive o privilégio em 2011 de publicar meu primeiro livro juvenil  chamado "Camundo - o Desenho e a Sombra" pela Editora Underworld.



Antes de ser escritor você já era ilustrador. De onde veio inspiração para escrever?
Na verdade, escrevo desde os meus 12 anos. A inspiração veio dos livros que lia, de desenhos animados e filmes.


Sabemos que Camundo é capaz de desenhar coisas que acontecem em seguida. Conte-nos um pouco mais sobre o personagem.
Camundo é um personagem que vive num Asilo de Desvalidos, nome dado às antigas instituições que abrigavam crianças órfãs no início do século XX. Diferentemente das crianças de lá, é capaz de antecipar acontecimentos futuros através de desenhos, e acaba, por conta disso, envolvendo-se com o que desenha, na grande maioria acidentes e crimes. Quando consegue fugir do Asilo, é perseguido por homens de uma sociedade secreta, conhecida por Asseclas do Lagarto, que veem no dom de Camundo a chave para trazer à tona um mistério milenar.

O livro “Ladrão de Destinos” traz uma história diferente de “Camundo”. Nos fale mais sobre a personagem principal, Mayumi.
Bom, a Mayumi é uma personagem muito familiar para mim. Como venho de uma família de japoneses, foi muito divertido emprestar um pouco da cultura oriental à personagem. Mas o que realmente a caracteriza  é o fato de sofrer de sonambulismo, o que por si só já é razão para uma infinidade de situações (como acordar no corredor da escola, ou na rua em plena madrugada). Quando está dormindo, no entanto, acredita frequentar um lugar chamado A Orla,  um vilarejo sombrio, que paira entre a vida e a morte. Acontece que, sempre quando acorda, uma criança da sua vizinhança adoece, e isso a coloca numa confusão ainda maior.


Os nomes Camundo e Mayumi têm significados especiais?
Não, foram criados apenas para as histórias, sem um motivo maior aparente. Camundo é uma forma desajeitada de se dizer "camundongo", apelido dado pelos meninos do Asilo, e Mayumi significa "bela" e "verdadeira razão".


Existe algum escritor que te inspira?
Ah, vários! Sempre fui inspirado por Ganymédes José, Monteiro Lobato, Lewis Carroll, Robert Louis Stevenson e Jack London (meus favoritos).

Você encontrou dificuldades para publicar seu primeiro livro?
Como qualquer escritor iniciante, sim. Não foi nada fácil publicar.

Já escreveu algum livro que não conseguiu publicar?
Tenho dois livros engavetados, mas que ainda não estavam maduros para publicação, por isso não os apresentei para a editora. Acredito que ainda não.



Você já tem uma idéia de quantos livros a série Camundo terá?
À princípio 3 livros e uma história em quadrinhos.



E “O Ladrão de Destinos” também será uma série?
Não, é um livro único.


Por último, deixe um recado para os leitores do blog Magia Literária e para os que desejam ser escritores no futuro.
Àqueles que almejam publicar, tenham sempre paciência. As editoras recebem uma centena de manuscritos, e muitas vezes poucos conseguem uma oportunidade de publicação, mesmo tendo um material excelente. Então, este é o recado, persistam e acreditem em seu potencial.



RAPIDINHAS:
 Uma pessoa: Aquela que me quiser bem, e estiver comigo.
 Um lugar: Aquele que ainda não visitei.
 Um livro:  Aventuras de Alice no País das Maravilhas.
 Um escritor:  Lewis Carroll
 Um desejo:  a felicidade de todas as pessoas.
 Eu não gosto: de não cumprir o que prometo. 

 Eu adoro:  Ler

 Uma frase: "O inverno nunca falha em se tornar primavera".