[Resenha] Cisne | Eleonor Hertzog



  Em Cisne, Eleonor Hertzog nos apresenta à família Melbourne, uma família numerosa e ao mesmo tempo cativante. Teo, Ted, Tom, Tim, Pam, Lis, Bobby e Peggy (filha adotiva) são filhos dos cientistas Doris e Henry Melbourne, que são formados pela Escola Avançada de Champ-Bleux, que foi fundada há mais de cinquenta anos e forma os melhores cientistas da Terra. Todos eles moram no Cisne, um veleiro solar que é o maior da Terra.
- Cisne de água doce é um nome esquisito para um veleiro oceânico.

- Ah, é que, quando o vento enfuna as velas, quando estão todas erguidas, e todas refletindo o Sol, parece que o barco é um enorme, lindo, fantástico, maravilhoso cisne de prata! riu Anita, toda feliz.
  Tirando Bobby, que tem oito anos, todos os outros irmãos estão ansiosos para saber o resultado dos exames da Champ-Bleux, onde é quase impossível que pelo menos dois deles entrem, mas antes de serem surpreendidos pelos resultados, muitas coisas e muitos mistérios terão de ser resolvidos.

  Não quero falar muito sobre o livro pois quero que vocês se surpreendam tanto quanto eu, mas posso dizer que Eleonor é dona de uma imaginação incrível. Quando li a sinopse logo fiquei curiosíssima para embarcar nessa aventura, mas Eleonor conseguiu superar minhas expectativas - que já eram ótimas.

  Quando comecei  a ler o livro fiquei com um pouco de medo de me enrolar com os personagens, porém mais uma vez a autora me impressiona, já que mesmo com a grande quantidade de personagens, todos são apresentados no momento e do jeito certo. Com o tempo você vai se familiarizando com cada um, não esquece/confunde o nome de ninguém e não se sente incomodado ao ser apresentado a novos personagens ao longo da leitura.

  São 832 páginas de uma narrativa super descontraída, leve e rápida. A autora soube usar sua criatividade da maneira certa e faz com que o leitor se apaixone a cada página por cada personagem e sua história querendo ler mais e mais. Gostei de cada coisa ir se desenvolvendo ao seu tempo, pois isso faz com que a gente não se perca e aproveite ainda mais.

  No momento que vi a capa fiquei torcendo para os golfinhos estarem presentes em algum momento. Não faço a menor ideia do porquê, mas eu queria que isso acontecesse (talvez só para eu ter o gostinho de dizer a capa diz muito sobre o livro) e é exatamente isso que acontece. No blog  da autora, ela mostra os rascunhos feitos pelo seu genro Rafael Krás e sua filha Anelise Hertzog, que me fizeram admirar ainda mais a capa. Também desenho e me peguei um dia desses desenhando os golfinhos enquanto fazia minhas observações sobre o livro em meu caderno - rs.

  Nem preciso dizer que já estou ansiosa pela continuação, que foi intitulada Linhagens. Acho que nele vamos conhecer mais não só dessa família incrível, como da escola Champ-Bleux, que acredito eu, é onde muitas aventuras acontecerão. Se Eleonor conseguir fazer o segundo volume ainda mais interessante que este, ela já me ganhou!



A autora Eleonor Hertzog foi a primeira a participar da coluna Palavra de Autor. Confira seu primeiro post clicando aqui.