Imaginário Feminino | Camille Thomaz


"Sou apaixonada por raios, trovões, ventania e muita chuva: temporais me encantam. Adoro fotografia e qualquer coisa relacionada à web design. Ler me direciona a mundos completamente diferentes e vivo cada livro que leio. Escrevo para acalmar a alma inquieta. Tenho muito para acrescentar, basta você arriscar confiar."

 Leve e tocante são dois adjetivos que podem descrever perfeitamente o livro de estréia de Camille Thomaz. É difícil falar de um livro pelo qual você se identifica muito. Nunca passei pela doença da personagem Larissa - depressão - mas muitos de seus pensamentos são parecidos, se não iguais, aos meus. O trecho que escolhi para começar a resenha é um dos que me fizeram me perguntar se a autora estava se referindo a mim mesma. Este, em especial, me descreve perfeitamente. Me pergunto se a autora escreveu este livro e criou a personagem se baseando nela mesma ou se ela simplesmente tem o dom de escrever para que todos pensem, justamente, que aquilo foi escrito somente para você.

Imaginário Feminino
Capa da primeira
publicação de Imaginário
 - Novo Século Editora
   Li este livro no ano passado, com a capa antiga, e nem sei porque demorei tanto para fazer a resenha. Na verdade, o inicio já estava escrito, mas se não me engano, quando Camille me enviou seu outro livro (Segredos de Anne Spot - ainda não publicado) para que eu resenhasse, acabei não terminando a resenha de Imaginário Feminino. Comprei o livro com a nova capa (que é totalmente linda, por sinal) e reli. Esses dias olhei Imaginário na estante e resolvi reler novamente, só assim lembrei que a resenha não havia sido publicada. 

  Os diálogos e contos são repletos de emoção e sentimentos. Mesmo que eu não seja nada romântica, a  leitura se tornou totalmente envolvente e rápida, e não só porque o livro tem 104 páginas, mas sim porque me identifiquei com alguns/muitos pensamentos. Esse é o tipo de livro que você pode abrir em qualquer página quando estiver precisando de palavras de conforto e desfrutar de suas belíssimas palavras.
“(…) Sou assim, do tipo que gosta de brincar de esconder. Esconder sentimentos, esconder palavras, disfarçar cantando as músicas já inventadas. Falar o que penso sim, mas morder os lábios para não gritar, segurar a fala para às vezes não ajudar. Tem quem não queira ser ajudado… Brincar com coisa séria para não se entregar, fazer as palhaçadas para o próprio ânimo melhorar. Triste, não. Feliz, mas de um jeito complexo de entender. Trabalhando as palavras para um ou outro entender. Sou assim: um segredo que se conta.
  Gostei muito da forma e do rumo que o livro tomou, e de Camille não ter perdido o foco. Acho que quem gosta de livros divididos em contos vai adorar ler Imaginário Feminino (seja homem ou mulher) e quem não gosta deveria dar uma oportunidade para este livro, pois acredito que irá se encantar.
"A imaginação voa, formando palavras, que formam frases, que formam parágrafos, que formam textos. (...)

Os sonhos nem sempre fazem sentido."

   Skoob
   Site da Autora