Palavra de Autor - Chico Anes: Sonho Lúcido



  O texto de hoje é do autor de Sonho de Eva - publicado pela Novo Conceito - Chico Anes. O tema que o autor resolveu abordar tem tudo haver com seu livro e eu, particularmente, adorei. Confiram:

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Sonho lúcido: quando sabemos que estamos sonhando e agimos conscientemente

  Muitos de meus leitores me perguntam se os sonhos lúcidos, descritos no “O Sonho de Eva”, podem, de fato, acontecer no “mundo real”. 

  Uma das principais ferramentas do ofício de escritor é a pesquisa. Pesquisar sobre os temas que compõem a história, trazer um elemento original, uma novidade que enriqueça o universo do leitor, é uma das mais gratificantes tarefas do autor. Quantos assuntos que hoje fazem parte da minha vida – alquimia, xamanismo, arco e flecha, montanhismo; para ficar só em alguns – eu os conheci através dos livros, das narrativas, de personagens simplesmente fantásticos! A pesquisa adiciona valor às histórias, e o livro passa a ter um peso diferente na vida de alguns leitores. 

  No meu caso, como gosto de escrever sobre temas que povoam meu universo, além das pesquisas gosto de praticar determinadas técnicas que aprendo. Com os sonhos lúcidos não foi diferente. 

  Assim, respondendo as perguntas dos leitores: sim, os sonhos lúcidos podem e acontecem no mundo real! As próximas linhas trazem um artigo que escrevi e que esclarece um pouco mais esse tema fascinante. Um tema que pode se tornar para alguns que se dispuserem a experimentar, uma das grandes experiências da vida. 

  Segundo o dicionário Houaiss, sonho é “um conjunto de imagens, pensamentos ou fantasias que se apresentam à mente durante o sono”. E, por extensão de sentido, “uma sequência de ideias soltas e incoerentes às quais o espírito se entrega; devaneio, fantasia”. Juntar duas palavras com significados tão distintos pode parecer estranho, mas sonho lúcido é exatamente manter a consciência enquanto no estado de sonho, ou seja, ter conhecimento de que se está sonhando e agir segundo nossa vontade no sonho. 

  Desta forma, como saber a diferença entre sonho comum e sonho lúcido? No sonho comum, as imagens, pensamentos e fantasias acontecem de forma independentemente de nossa vontade consciente. Já no sonho lúcido, temos a consciência de estar sonhando e podemos então agir deliberadamente com ou contra essas imagens, pensamentos e fantasias. 

  Muitas pessoas me perguntam como aprender a ter sonhos lúcidos. As técnicas estão disponíveis a qualquer um que tenha disciplina suficiente para praticar os exercícios. 

  O primeiro passo é você se lembrar dos próprios sonhos. Em média, temos cinco sonhos por noite. Muitas pessoas não conseguem recordar nenhum deles. Assim, do que adianta você ter um sonho lúcido se não consegue se lembrar dele quando acordar? O primeiro trabalho, então, é manter um diário de sonhos, pois o ato de escrevê-los faz com que você passe a dar mais atenção a eles e, por conseguinte, treinar sua memória para recordá-los. 

  Depois disso, quando estiver conseguindo se lembrar de boa parte dos seus sonhos, você pode escolher uma das várias técnicas já elaboradas e testadas. 

  O Dr. Stephen LaBerge, psicofisiologista que demonstrou em laboratório a existência dos sonhos lúcidos, criou uma técnica que se chama MILD (indução mnemônica de sonhos lúcidos). Ele descreve essa técnica em seu livro “Sonhos Lúcidos”: 

1. No começo da manhã, ao acordar espontaneamente de um sonho, repasse-o várias vezes, até decorá-lo. 
2. Depois, enquanto estiver deitado na cama e voltando a dormir, diga a si mesmo: “Na próxima vez que estiver sonhando quero me lembrar de reconhecer que estou sonhando”. 
3. Visualize-se voltando ao sonho que acabou de ensaiar; só que, dessa vez, veja se percebendo que está, de fato, sonhando. 
4. Repita o segundo e o terceiro passo até sentir que sua intenção ficou claramente fixada ou até cair no sono. (Sonhos Lúcidos, pag. 168, Stephen LaBerge). 

Veja alguns benefícios dos sonhos lúcidos indicados pelo próprio Dr. LaBerge, que dedica um capítulo do seu livro a este assunto: 

- Aumenta as habilidades na resolução de problemas; 
- Melhora a tomada de decisões; 
- Auxilia na resolução de problemas criativos; 
- Satisfaz desejos; 
- Contribui no processo de cura: Conforme Dr. Dennis Jaffe e Dr. David Bresler “as imagens formadas mentalmente mobilizam as forças interiores e latentes da pessoa, forças que tem um potencial imenso para ajudar no processo de cura e na defesa da saúde”; 
- Promove crescimento psicológico - reintegração de aspectos negligenciados ou rejeitados. Facilita a aceitação e integração de aspectos da personalidade reprimidos; 
- Contribui no enfrentamento de pesadelos e na redução da ansiedade; 
- Proporciona autocontrole voluntário da fisiologia (ainda uma questão em aberta). 

  Segundo Jung “a função geral dos sonhos é tentar restabelecer a nossa balança psicológica, produzindo um material onírico que reconstitui, de maneira sutil, o equilíbrio psíquico total.” Interagir com esse material onírico pode ser uma grande ferramenta de crescimento pessoal. 

  Para finalizar, a principal discussão sobre efeitos negativos do sonho lúcido está na qualidade do sono. Mas não há provas que a qualidade do sono de um sonhador não lúcido seja mais ou menos reparadora que a de um sonhador lúcido. 



Comentários

  1. Gostei muito do texto do Chico Anes! Eu já li 'O SONHO DE EVA' e achei o livro incrível. Eu me envolvi tanto com o livro, que já estava tendo sonhos lúcidos. Parabéns ao autor pelo texto e estou adorando esta coluna PALAVRA DE AUTOR!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Queremos saber sua opinião ;)

Postagens mais visitadas