Próximos lançamentos: Editora Rocco


Olá pessoal! Hoje venho mostrar os lançamentos da Editora Rocco para o próximo mês. Temos lançamentos para todos os gostos e eu já fiquei com vontade de ler alguns. Confiram:



 
UM VENTO NA PORTA
 Madeleine L’Engle 
Segunda aventura dos irmãos Murry, os protagonistas da série Viajantes no Tempo, iniciada com o clássico Uma dobra no tempo, de Madeleine L'Engle, ganhador do Newbery Award em 1963, Um vento na porta convida a garotada a embarcar numa nova viagem que supera as barreiras do tempo e da imaginação quando Charles Wallace, o irmão caçula de Meg Murray, começa a ver dragões na horta perto de sua casa. Ao lado do amigo Calvin O'Keefe, os irmãos irão conhecer criaturas fantásticas, capazes de salvar não só a vida de Charles, gravemente doente, mas também o universo, ameaçado por forças malignas.




BRUXARIA - Wicked #1
Nancy Horan & Debbie Viguié 
Depois de perder os pais num terrível acidente, Holly Cather deixa São Francisco para viver em Seattle com sua tia e as duas primas gêmeas, Amanda e Nicole. Aos poucos, porém, coisas estranhas começam a acontecer ao seu redor. O que Holly não sabe é que ela e suas primas parecem possuir um estranho legado em comum, e estão prestes a penetrar num mundo sombrio de bruxas, segredos e perigosas alianças ancestrais que as levarão numa jornada surpreendente. Bestseller do The New York Times, a série Wicked é mais um sucesso do segmento Young Adult que chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores.



FOGO - Como tudo começou - Gracelling #2
Kristin Cashore 
Depois de Graceling – O dom extraordinário, fantasia juvenil lançada pela Rocco em 2011 que alcançou a lista dos mais vendidos do The New York Times, a autora Kristin Cashore apresenta aos leitores Fogo – Como tudo começou. Com novos personagens, incluindo uma protagonista de beleza irresistível que tem o poder de controlar as mentes de todos a seu redor, Fogo é uma mistura perfeita de aventura, fantasia e romance que vai conquistar não só os fãs de Graceling, mas também novos leitores para a série, já que a trama pode ser lida independentemente do primeiro volume.




KATE SOMENTE
 Erin Bow
Uma jovem órfã com poderes mágicos é perseguida pelos moradores do vilarejo onde vive desde que uma misteriosa névoa encobriu os campos, arruinando as colheitas e espalhando medo, fome e doenças. Tendo seu gato como único companheiro, Kate não pensa duas vezes quando recebe uma inusitada proposta: em troca de sua sombra, o misterioso Linay oferece à menina a chance de fugir dali e encontrar um novo lar e uma nova família. Mas será que Kate será capaz de viver sem sua sombra para sempre? Romance de estreia da canadense Erin Bow, Kate somente é uma adorável história de magia e amadurecimento.




O MENINO QUE VIA DEMÔNIOS
Carolyn Jess-Cooke 
Autora de O diário do anjo da guarda, a irlandesa Carolyn Jess-Cooke se volta para seres menos iluminados, mas tão fascinantes quanto em O menino que via demônios. O romance conta a história de Alex, um garoto de 10 anos que, desde a morte do pai, tem como melhor amigo um demônio de nove mil anos. Após a tentativa de suicídio da mãe, Alex conhece Anya, uma psiquiatra infantil que sofre com a esquizofrenia da própria filha. Ao longo do tratamento de Alex, porém, Anya passa a questionar suas próprias certezas: seria ele esquizofrênico ou o garoto realmente é capaz de ver demônios?


 PULSO
 Julian Barnes 
Terceira coletânea de contos do ganhador do Man Booker Prize, Julian Barnes, Pulso reúne histórias sobre amor e amizade, perda e saudade, ligadas por um ritmo comum: do corpo, do amor, do sexo, da doença e da morte. Do familiar ao extraordinário, de acontecimentos privados a fatos históricos, de encontros a desencontros de amigos ou de amantes, as histórias narradas em Pulso ressoam e possuem brilho próprio.
Lançado originalmente em 2011, Pulso apresenta 14 contos, divididos em duas partes. Na primeira reúnem-se os relatos mais ágeis, escritos praticamente à base de diálogos, sempre cortantes e surpreendentes. A prosa refinada do autor também comparece para compor o ambiente e o clima, por vezes desencantados, como na história de abertura, “O vento leste”: “Assim era a costa leste: meses a fio de tempo um pouco ruim e a maior parte do ano sem tempo nenhum. O que estava bom para ele: havia se mudado para não ter tempo nenhum na sua vida.”
Quatro contos envolvem os mesmos personagens e podem ser lidos em sequência, como se formassem uma pequena novela. O casal Phill e Joanna recebe amigos para um jantar, depois do qual se inicia uma conversa sobre assuntos da atualidade: política, trânsito, aquecimento global e crise econômica estão entre as questões abordadas. Os textos revelam uma das facetas mais características de Barnes: a forma como ele maneja a ficção como uma espécie de nota de rodapé à História, um olhar afiado sobre acontecimentos, grandes ou pequenos, que resumem a existência humana.
Frequentador do circuito de festivais de literatura – esteve na primeira Flip, em 2003 – o autor inglês descreve, no conto “Na cama com John Updike”, uma conversa informal entre duas escritoras, sem mediadores, câmeras ou microfones. Amigas de longa data, elas aproveitam uma viagem de trem para acertar contas com o passado. Com sarcasmo e ironia de sobra, Barnes mostra que um escritor pode guardar altas doses de inveja e ressentimento.
Na segunda parte, o autor se dedica a relatos de escritura mais tradicional, alguns inclusive de cunho histórico. Em “O retratista”, põe em cena um pintor surdo-mudo cujo ofício é fazer o retrato de figuras eminentes nas pequenas cidades por onde passa. Em “Carcassone”, vale-se de um conhecido episódio – o encontro da brasileira Anita com o revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi, durante a tomada do porto de Laguna, em 1839 – para discutir o sentido da paixão e a interpretação que dela fazemos com o passar dos anos.
Os contos de Pulso – divertidos, ousados, inventivos, iconoclastas, originais – comprovam que Julian Barnes é hoje um escritor com perfeito domínio de seu ofício, capaz de compor um livro com histórias curtas que, sutilmente ligadas entre si, possui invejável unidade de temas e tratamentos.


AS PEQUENAS MORTES
Wesley Peres 
Vencedor do Prêmio SESC de Literatura 2006 com o romance Casa entre vértebras e finalista do Prêmio São Paulo de Literatura em 2008, o escritor e psicanalista goiano Wesley Peres estreia na Rocco com As pequenas mortes, e surpreende pela ousadia com que maneja as ferramentas literárias num romance que flerta com a teoria. Abordando um tema caro à psicanálise, o corpo, com suas reverberações de dor e prazer, capazes de revirar a linguagem, o romance recupera "o excesso indizível da vida", nas palavras da psicanalista Tania Rivera, que assina a orelha do livro.




 O CISNE DE PRATA
 Benjamin Black 
O cisne de prata é o segundo título de uma série de romances policiais escrito por Benjamim Black, pseudônimo do premiado escritor irlandês John Banville. Ambientado na Irlanda da década de 1950, o livro marca a volta do patologista Garret Quirke, protagonista de O pecado de Christine, em um cenário de mistério, assassinato, adultério, vingança, sexo, drogas e sadomasoquismo.
A história se passa dois anos depois dos acontecimentos retratados no primeiro thriller policial do autor, lançado no Brasil também pela Rocco. De lá para cá, muita coisa aconteceu na vida de Quirke: ele perdera Sarah, irmã de sua jovem esposa, Delia, que morrera no parto de sua filha; seu pai adotivo está internado num hospital, paralisado por um derrame devastador; e sua filha, Phoebe, a quem ele nunca reconheceu, está crescendo cada vez mais rebelde e isolada.
Dessa vez, a trama começa com um inusitado pedido de um antigo colega de Quirke: Billy Hunt, ex-atlético e popular estudante que via com olhos hostis a figura de Quirke, o jovem metido a intelectual, queria que ele não “desmembrasse” o corpo de sua mulher, Deirdre Hunt, encontrada morta no rio que corta a cidade de Dublin. Quirke reluta em se envolver com o drama, mas não consegue resistir a mais um mistério que bate a sua porta.
Apesar de tudo apontar para suicídio, Quirke conhece pessoas que podem ter selado o destino de Deirdre Hunt. Desde pequena, a bela ruiva de olhos azuis só queria seguir seu destino, fora da pobreza que a cercava. Trabalhando em uma farmácia, ela conheceu Billy, dezesseis anos mais velho que ela.
A vida de Deirdre, no entanto, dá uma virada quando um exótico homem de pele morena atravessa seu caminho: Dr. Kretuz, filho de um psicanalista austríaco e de uma jovem indiana, curandeiro espiritual que preenche as horas de Deirdre com histórias místicas. Há ainda Leslie White, um oportunista sedutor de quem Deirdre se torna sócia do salão O Cisne de Prata.
A ambição da jovem tem um preço, e aparecer morta nas profundas e turvas águas de Dublin sem motivo aparente pode não ter sido um acidente: afinal, o que era a marca de agulha no braço de Deirdre? Quem a espetou? O que Billy sabia? O autor monta uma estrutura narrativa na qual o leitor acompanha passo a passo a investigação pelo olhar do personagem, ao mesmo tempo em que conhece melhor a história da vítima por meio de flashbacks.
Em O cisne de prata, Black mantém o suspense com desdobramentos surpreendentes. Com maestria, ele mescla a trama de longas passagens descritivas com personagens verossímeis e densos dramas psicológicos, fazendo do livro um tratado sobre a natureza humana.



OS ÚLTIMOS HERÓIS - Lendas do Mundo Emerso #3
 Licia Troisi 
 Último volume da trilogia Lendas do Mundo Emerso, mais uma bem-sucedida série da italiana Licia Troisi, Os últimos heróis apresenta um cenário desolador para o Mundo Emerso, tomado por uma terrível peste disseminada pelo rei dos elfos, e é chegada a hora de Adhara encarar seu destino irremediável e tornar-se definitivamente aquela que vai combater Marvash, o mal absoluto. Graças à sua coragem e à ajuda de uma guerreira rebelde, um sacrifício está prestes a consumar-se, e um milagre prestes a se cumprir, no aguardado e surpreendente desfecho das Lendas do Mundo Emerso.



MICRO
 Michael Crichton e Richard Preston 
Autor de Mundo perdido, e O parque dos dinossauros, entre outros best-sellers, o norte-americano Michael Crichton escrevia Micro quando faleceu, em 2008. Finalizado pelo escritor Richard Preston, conhecido por suas tramas sobre bioterrorismo, Microrevela um universo pequeno demais para ser visto, mas perigoso demais para ser ignorado.
A trama começa no sofisticado e selvagem mundo das grandes corporações. Em um escritório trancado nos arredores de Honolulu, no Havaí, três corpos são encontrados, sem quaisquer sinais de luta a não ser cortes ultrafinos no corpo. A cena do crime não tem instrumentos ou armas capazes de produzir tão estranhos ferimentos, nem sinais de invasão ou arrombamento.
Enquanto isto, em Cambridge, sete promissores estudantes são convidados por Eric Jansen, irmão de um dos alunos, e pelos altos executivos da Nanigen MicroTechnologies, INC a se juntarem à pioneira empresa. Com a promessa de conhecer a tecnologia de ponta que será responsável por abrir um novo horizonte e mudar a ciência da forma como conhecemos, os jovens são levados para uma experiência na floresta tropical de Oahu.
A partir daí, o talento de Michael Crichton e de Richard Preston cria um novo mundo, tão sedutor e crível quanto a Ilha Nublar de O parque dos dinossauros. Os autores apresentam uma tecnologia radical e ultramoderna, capaz de reduzir a matéria a tamanhos microscópicos. Os sete estudantes são obrigados a enfrentar perigos extremos e surpreendentes na luta pela sobrevivência, tirando forças de si e da natureza.
Espionagem industrial, assassinatos, ganância e traição são os elementos de fundo de uma ficção científica de primeira. Com Micro, os fãs de Crichton conhecem um novo universo surpreendente e muito mais selvagem do que se poderia imaginar. Um livro perfeito para todos os leitores saudosos das aventuras de Michael Crichton.


Comentários

Postagens mais visitadas