Projeto Beletristas: Literatura ao nosso alcance



 Quero começar o post de hoje falando sobre uma frase que ouvi, ou melhor, li há alguns meses atrás. Um blog X divulgava e-books sem a autorização de autores ou de Editoras, o que levou leitores, autores, blogueiros e etc. a se unirem para tirar o blog do ar. Visitei o blog para ver o que estava acontecendo e me deparei com vários leitores do tal blog, dizendo frases como  "não compro livros físicos porque pagaria por algo que posso ler em meu computador por mais de 50% de desconto". Essa frase me fez parar para pensar - e muito - e hoje tenho a oportunidade de falar sobre isso com vocês, leitores. Na terceira postagem coletiva proposta pelo Projeto Beletristas, trazemos um assunto interessante e muito questionado atualmente: Literatura ao nosso alcance. Ultimamente, um dos assuntos mais comentados pelos leitores nas redes sociais é o alto preço dos livros físicos e a pergunta é: será que vale a pena pagar até sessenta reais em um livro? Eu acho, ou melhor, tenho quase certeza que não.

  O número de leitores brasileiros pode até ser grande, mas não somos tantos assim comparados a quantidade de pessoas do nosso país Hoje temos várias livrarias, temos mais propagandas em rádios, internet, outdoors e até televisão, e principalmente, temos vários autores realmente bons que nos fazem querer ler mais e participar de eventos para conhecê-los e, mesmo assim, infelizmente ainda não é suficiente.

  Convenhamos, ir até uma livraria, pegar, sentir, cheirar o livro é uma sensação muito mais prazerosa do que comprar um e-book e vê-lo somente em seu leitor digital. O problema que encontramos é o preço que o livros físicos estão sendo vendidos. Sei que temos  impressão, direitos autorais e etc. que são agregados a este  preço, e nada mais justo, já que muita gente trabalha até que nossos queridos livros cheguem a nossas mãos, mas será que tudo isso junto, chega a quase setenta reais?

  E-books não aumentaram a quantidade de leitores no Brasil, e muito menos vão aumentar. Acredito que os leitores poderiam sim ser uma quantidade muito maior se muitos livros físicos fossem vendidos a um preço mais aceitável. Já comprei livros de até R$ 39,90, e mesmo assim, ou foi em um evento onde o autor estava lá para autografar, ou foi em um evento onde o autor estava lá para autografar. Entenderam, né? (risos). Paguei esse valor porque ao meu ver valeria a pela, mas não pagaria mas que isso mesmo que fosse o mesmo caso. As Editoras deveriam dar um ponto de confiança (?) para os leitores: com o preço alto pouco comprarão, com o preço baixo muitos comprarão, e o lucro será maior, sem dúvidas. As pessoas que gostam de ler teriam a oportunidade de ler mais, e os que ainda não gostam, teriam a oportunidade de começar, afinal, nunca é tarde para se fazer uma mudança. Seja ela grande ou pequena.


>> Leia os outros posts das blogueiras que também aderiram à ideia: