[Crítica de Filme] Pronta Para Amar

“O que eu não daria para experimentar só mais uma vez… Para sentir aquela incrível sensação de quando ele me olhava e eu me sentia… viva.”
  Pronta Para Amar é um filme que vi por acaso faz algumas semanas. Eu já havia postado a review dele no mês passado, mas quem acompanha o blog viu o problema que eu tive com a perda de alguns posts, porém como gostei demais do filme, resolvi reescrever tudo, do zero.

 Até começar a escrever a review na primeira vez, não tinha criado coragem para começar a procurar  palavras certas para descrever o filme. O primeiro filme que vi com Kate Hudson foi Noivas em Guerra, e desde o primeiro momento adorei ela e sua atuação. Em Pronta Para Amar ela não só me fez rir diversas  vezes, como me fez chorar diversas vezes mais. Ela é Marley Corbett, uma mulher independente que vive com seu cachorro e é uma publicitária bem sucedida. Ela é do tipo de mulher que não se importa em dormir com um homem diferente a cada noite pois não acredita no amor, assim como sua inseparável amiga Sarah (Lucy Punch).
 Além de Sarah, Marley tem um vizinho/melhor amigo chamado Peter (Romany Malco) que é gay, e uma outra amiga, Renee (Rosemarie DeWitt), que está grávida.  A vida parece uma beleza até que Marley começa a se sentir mal, o que a leva a fazer consultas com Julian (Gael García Bernal), um médico bem sucedido mundialmente, que descobrirá que tem câncer de cólon (o que nos leva a entender que seria como um castigo por ela ser como é).

Ao contrário do que imaginamos, Marley tratará o câncer muito bem, e fará piada praticamente o tempo todo, o que nos faz rir e no momento pensar "como eu posso estar rindo de algo sério assim?", mas acaba sendo inevitável. Ainda mais saindo de Kate Hudson. Com Julian, Marley vai ver que está pronta não só para enfrentar o câncer, como para amar.
 Digamos que passei os últimos 20 minutos de filme chorando. Não só de tristeza, mas é que o filme realmente passa uma mensagem importante. Kathy Bates foi, sem dúvidas, quem mais me emocionou. No filme, ela é Beverly, a mãe de Marley, e vemos ela no papel de mãe que tenta se preparar cada dia mais para se despedir da filha, mas parece cada vez menos preparada. Lucy também me fez chorar bastante em sua última cena com Kate. Mas não foram choros de tristeza, foram choros de emoção. Elas conseguem nos passar todo o sentimento das personagens, e mesmo que a última cena seja até divertida, ainda mais com a queridíssima Whoopi Goldberg como Deus, é inevitável continuar chorando por ter chegado ao final de uma história tão bonita.

 Gostei de ver mais um filme com Lucy Punch e Gael García. Só havia visto Lucy em Ella Enchanted, e Gael em Amores Perros (da época na qual ele ainda atuava em seu país, México) e Cartas Para Julieta (que na minha opinião, deve ter sido o papel mais chato que ele interpretou). Também adorei ver Kate Hudson e Kathy Bates atuando e me emocionando juntas.

 Terminei o filme com a dúvida se ele foi realmente feito para dar uma lição, para rir, ou para chorar. Não é apenas uma história de câncer feita para que você termine aos prantos, é uma história de aprendizado, que mostra que o amor pode acontecer no melhor ou no pior momento de sua vida, mas você nunca está esperando. É uma história que mostra que devemos aproveitar ao máximo cada dia de nossa vida, simplesmente porque ela foi feita para ser vivida da maneira certa. Viva sem pensar nas consequências, viva para amar!

Comentários

  1. Não assisti nenhum filme da Kate ainda. Noivas em Guerra estou para assistir a um tempão mas ainda não deu.
    Acho que este deve ser um filme interessante, por ser um drama mas puxado para o divertimento também.
    Espero poder assistir em breve :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista sim, Rossana!
      Os dois são ótimos filmes, e a Kate é uma ótima atriz!
      Me conte depois o que achou :)

      Excluir
  2. Nossa, achei legal, a sinopse me agradou e também sobre do que a história se trata de uma forma leve, o câncer.
    Gostei muito, quero assistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista e venha me dizer o que achou Roberta!
      Espero que goste do filme :D

      Excluir
  3. Oi Mari!
    Amei a sinopse e sua resenha e certamente vou procurar assistir.
    Muitos talentos reunidos e uma maneira diferente de passar reflexões de vida. Rir e chorar, emocionar!
    Vlw pela dica.
    bjssss

    ResponderExcluir
  4. Assisti esse filme faz tempo e realmente é bem triste. Poxa, não acreditei naquele final. Tudo bem... mas era para ser né =( Enfim, é muito triste mesmo. estava esperando por um milagre e tudo mais. Mas a mensagem é linda.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Queremos saber sua opinião ;)

Postagens mais visitadas