[Entrevista Premiada] Papo Literário com Deb Caletti


 Deb Caletti nasceu no dia 16 de junho de 1963 na Califórnia. Aos 49 anos, possui 10 livros publicados, participou de 6 coletâneas, foi indicada a mais de 16 prêmios e ganhou mais da metade, além de ganhar o National Book Award.
 Na semana passada publiquei a resenha de "Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido", segundo livro dela publicado no Brasil e o primeiro que leio. Nessa entrevista ela nos dá a notícia de que em breve leremos mais 4 livros seus no Brasil, fala sobre sua vida e sobre novos projetos. Confiram:

:: Entrevista feita por: Mariana Mortani
:: Traduzido por: Mariana Mortani

Magia Literária: Seu primeiro livro publicado no Brasil foi “Um Lugar Para Ficar”. Eu, por exemplo, ainda não tive a oportunidade de lê-lo, mas pretendo fazê-lo em breve. O que eu, e outros leitores poderemos esperar desse romance?
Deb Caletti: STAY (''Um Lugar Para Fica'', no Brasil) é um livro sobre uma jovem garota e seu pai, que foge de uma praia remota para escapar com seu namorado obsessivo. Em parte é um thriller, porém mais que isso, é uma história realista de amor obsessivo. Depois da série Crepúsculo fiquei preocupada de que as pessoas romantizassem esse tipo de relação abrangente. STAY mostra que eles são realmente iguais.


ML: “Meu amor,meu bem, meu querido” foi publicado em fevereiro aqui. Ruby é uma personagem que me surpreendeu. A mensagem que o livro me deixou é que normalmente julgamos as pessoas, porém não olhamos para nosso próprio nariz. O que mais você gostaria de passar aos seus leitores com este livro?
DC: Em HONEY (nos EUA o nome do livro é "Honey, Baby, Sweetheart") eu quis dizer também que mulheres, especialmente, muitas vezes olham para o amor como uma "aventura" em nossas vidas. Isso significa que nos envolvemos com "bad boys" e relações dramáticas. Tendo uma vida plena com nossos próprios objetivos e aventuras pode ajudar a manter o drama onde ele merece estar.
Mas eu também tentei passar a mensagem de que nós não devemos desistir do bom, doce e duradouro sonho do amor. Nós podemos ser golpeados pelo amor e por experiências como Ruby e sua mãe foram, mais o bom tipo de amor ainda está por aí. Eu esperava que HONEY fosse um livro esperançoso.

ML: Ao criar suas personagens principais você coloca muito de você mesma, ou procura se inspirar mais em pessoas que conheça?
DC: Eu coloco muito de mim mesma em TODOS os meus personagens de todos os meus livros. Isso me ajuda a entender melhor as personagens e escrever esperançosamente em um caminho que meus leitores podem se relacionar. Eu definitivamente pego "pedaços" de coisas das pessoas que estão ao meu redor, também. Até os cachorrros. J

ML: Você terminou um novo livro e já está no meio de um projeto. Você pode nos falar um pouco deles?

DC: Estou prestes a liberar meu novo livro, como falei. HE'S GONE é sobre uma mulher que acorda e descobre que seu marido desapareceu. É um suspense literário, mas realmente explora o casamento, adultério e relações familiares. Estou também terminando de escrever meu próximo livro para jovens adultos, THE LAST FOREVER. Será lançado no próximo ano. Não há planos para que a Novo Conceito publique, mas há esperança!

ML:  De todos os seus livros, qual processo de escrita foi mais rápido e qual foi o mais demorado?DC: Um dos mais rápidos foi o que acabei de escrever, "The Last Forever" ("O Último Para Sempre", em tradução livre) que será lançado nos Estados Unidos no próximo ano. Por alguma razão, ele apenas fluiu. Todo livro é diferente de alguma forma. Um dos mais difíceis foi "Wild Roses"("Rosas Selvagens"), o qual vocês do Brasil vão gostar de ler em breve (Novo Conceito irá publicar mais quatro de meus livros, incluindo meu romance para adultos, "He's Gone" ("Ele se foi"). WILD ROSES foi mais difícil, pois precisava de mais pesquisas e é um livro muito emotivo. É sobe uma menina com um padrasto que é um violinista famoso, mas tem uma doença mental. Ela se apaixona por um dos seus estudantes. É um livro sobre paixão, criatividade e a necessidade de ser um pouco selvagem e racional no amor e na vida.

ML: 
Parece que em 2007 foi iniciado um projeto para que um de seus livros se tornasse uma série de TV. Essa notícia é verdadeira? E o projeto ainda está em espera?DC: Infelizmente, ele nunca foi completado. Nós tivemos um roteiro e duas produtoras envolvidas, mas o projeto discordou quando roteiristas e produtores começaram a discordar. Foi muito interessante e frustrante (muito frustrante). Eu ainda espero que um dia um dos meus livros, especialmente HONEY, vire um filme.

ML: 
Você possui muitos prêmios graças a sua escrita. Qual foi o primeiro e qual foi a sensação ao recebe-lo?
DC: O primeiro realmente importante que recebi foi o National Book Award, graças a HONEY. Esse é um dos nossos maiores prêmios nacionais que um escritor pode receber. Eu fiquei chocada e encantada ao recebê-lo. Eu ainda não posso acreditar realmente. Eu tenho que olhar a medalha em minha estante para lembrar a mim mesma que isso aconteceu de verdade! Essa é uma premiação  muito chique em Nova Iorque, com tapete vermelho e impressa e câmeras. Esse foi um dos momentos mais aterrorizantes e emocionantes da minha vida.
ML: 
Vi em uma entrevista de 2009, se não me engano, que você é muito grata a um professor do seu terceiro ano por ter lhe ensinado muito. Você pode nos falar um pouco sobre ele? E conseguiu encontra-lo depois de tanto tempo?

DC: Vários professores me encorajaram a escrever ao longo do caminho. No terceiro ano, meu professor era um hippie, e sua aula sempre foi criativa. Nós escrevíamos várias histórias em suas aulas. Ele sempre escrevia "Excelente!" ou "Vá mais longe" em minhas histórias e eu achava que era a melhor coisa que existia. Eu nunca consegui encontrá-lo, infelizmente. Mas recentemente, uma professora do segundo ano me escreveu depois de ler meus livros resenhados no jornal. Ela me lembrou de histórias do passado também. Amo como "ser um escritor" pode te conectar a pessoas de todos os momentos de sua vida.

ML: 
Atualmente existem muitos blogs e sites dedicados à literatura e muitos fazem resenhas de seus livros. Você acompanha algum, ou costuma ler as resenhas de seus leitores?

DC: Eu tento NÃO ler, mas as vezes é muito tentador. Meus livros são muitos pessoais para mim, e cada um reflete o que eu penso e sinto em um ano ou mais. Pode ser doloroso ler resenhas ler resenhas de pessoas que não sentiram o que eu gostaria de passar. De qualquer forma, sei que você nunca, NUNCA, consegue fazer todos os seus leitores felizes. Meus livros são mais devagar e firmes do que a "moda chick-lit". Então, o tipo de leitor que prefere esses livros não são sempre MEUS leitores. Algumas vezes, um blogueiro ou resenhista vai escrever que o livro é horrível só porque ele não gostou dele. Isso sempre me incomoda. Cada pessoa tem sua opinião. Eu tento me lembrar disso, e na maioria das vezes, tento manter meu trabalho de escreve livros, ao invés e ler resenhas. J


ML: 
Você e sua família vivem metade do tempo em um subúrbio em Seattle, e a outra metade em uma espécie de casa flutuante, em um barco. Achei isso muito interessante, como é viver assim?

DC: Atualmente não vivo mais na minha casa flutuante, mas eu vivia, e meu romance para adultos HE'S GONE (que vocês lerão no Brasil em um futuro próximo), se passa em um. É realmente uma "casa que flutua" e não um barco como a minha. Se alguém assistiu ao filme americano "Sleepless in Seattle" ("Sintonia de Amor", no Brasil) é uma casa como aquela - na água. Eu amo ela, e gostaria de viver lá por algum tempo novamente.
ML:Será que receberemos uma visita sua em breve no Brasil? Espero mais livros publicados em breve!
DC: Eu AMARIA visitar todos vocês no Brasil. Devo dizer, eu adoro meus leitores brasileiros. Por enquanto não tenho planos para viajar, mas vocês terão novos livros em breve. Não sei exatamente quando, mas temos planos para mais quatro.

ML: Deb, muito obrigada pela oportunidade. Deixe uma mensagem para os leitores do blog Magia Literária, e para os que desejam ser escritores um dia.
DC: Para os que querem ser escritores um dia... Sou a prova de que os sonhos PODEM se tornar realidade,  mesmo que seja um grande sonho. Leia, leia, leia, e escreva, escreva, escreva. Livros que você admira podem ser seus melhores professores. Saiba, também, que a sua própria voz é mais poderosa para os outros. Seja ousado e persiga o sonho com paixão.
E para os leitores do Magia Literária: Ótima leitura para todos. Abraços e agradecimentos para meus novos amigos no Brasil.


:: Entrevista feita por: Mariana Mortani
:: Traduzido por: Mariana Mortani



* * *

Espero que tenham gostado da entrevista tanto quando eu gostei de entrevistá-la. Fiz a entrevista com ela e continuamos conversando sobre outras coisas também. Desde o primeiro e-mail a Deb me mandou eu pude perceber o carinho que ela tem pelos leitores e principalmente pelo Brasil!

  Agora vem a melhor parte: QUER GANHAR UM EXEMPLAR DE "MEU AMOR, MEU BEM, MEU QUERIDO?"
Clique na imagem e saiba como participar: