[Das Páginas Para as Telas] Um Porto Seguro

 Quem me conhece saber que gosto de ler o livro antes de ver o filme, mas se tratando de uma adaptação de Nicholas Sparks logo fico com vontade de correr ao cinema e assistir ao filme. Tentei aguentar ao máximo, mas como faz bastante tempo que não vou ao cinema (é tanto livro pra ler que fica mais fácil esperar o DVD sair para comprar), que decidi que mesmo sem ler o livro iria assistir a Um Porto Seguro.

 Dessa vez o inicio do filme já nos prende. Acho que desde que vi Querido John, nenhuma adaptação de livros de Nicholas (se tratando do filme em si) foi tão boa. Todos sabemos que o Tio Sparks é conhecido por seus romances açucarados e que sempre nos fazem chorar independente da quantidade de vezes que assistimos ao filme. O câncer também é algo sempre presente nas histórias de Nicholas e dessa vez, logo no inicio, comentei que "dessa vez um personagem já começa morto por causa do câncer, será que dessa vez será diferente?", e sim. Dessa vez foi bastante diferente.

 O filme já começa com um suspense. Julianne Hough interpreta Erin, uma mulher jovem que é casada com um policial alcoólatra e violento chamado Kevin, interpretado por David Lyons. Em uma de suas brigas Erin acaba esfaqueando o marido e foge, tentando acabar de vez com seu casamento. Erin se muda para a minúscula cidade de Southport, na Carolina do Norte, e muda de identidade. Agora, como Katie Feldman, ela conhece Alex, interpretado por Josh Duhamel, que tem dois filhos pequenos - Lexie e Josh - e é viúvo (sua mulher faleceu de câncer).
 De repente, Cobie Smulders aparece interpretando Jo, uma mulher um tanto quanto misteriosa na minha opinião e que no final é peça chave para esse romance. Jo incentiva Katie a conhecer melhor Alex e a dar uma oportunidade a seu coração. Lexie, a filha mais nova de Alex, já adora Katie logo de cara, mas Josh, que também não tem uma relação muito boa com seu pai por senti muita falta da mãe, acaba recuando no inicio. Mas, como nem tudo são flores, uma hora o louco marido de Katie tinha que chegar em Southport...

 O filme não deixa as características Sparkianas de lado, porém, o suspense pode ser o que o tenha tornado ainda melhor. Gosto da atuação de Duhamel, mas Hough deixa a desejar. Ainda não havia visto nenhum filme com ela (morro de vontade de ver Footlose), mas a cena que ela mais me passou emoção foi a cena final. Por mais que a personagem se torne alguém de certa forma forte e não confie nas pessoas a sua volta, acho que faltou alguma coisa. Enquanto Duhamel é 100%, não precisa nem de comentários.

 Ah! Já repararam que Nicholas adora canoagem? (risos) Há cenas que ao longo do tempo, tanto nos livros, quando nos filmes, se tornaram repetitivas. Não é algo que me deixe totalmente incomodada, mas é como um "déjà vu Nicholas".

  Um Porto Seguro acaba de se tornar a segunda adaptação de um romance de Sparks que mais amo, perdendo só para Querido John. Pode ser coincidência, mas os dois filmes foram dirigidos por Lasse Hallström (talvez seja ele que faz a diferença haha). O filme de Querido John é ótimo, mas o final sempre me deixa possessa e vou até o bônus do DVD para assistir ao final alternativo (que é o mesmo do livro), e mesmo sem saber o final do livro de Um Porto Seguro, esse filme entrou os meus romances favoritos e mal posso esperar para ler o livro (com certeza irei me surpreender mais).

  Agora me digam: quem assistiu ao filme? E quem leu o livro, o que achou do filme?


Trailer:


>> Ficha técnica:
> FILME 
Diretor: Lasse Hallström
Elenco: Julianne Hough, Irene Ziegler, Jon Kohler, Tim Parati, David Lyons, Josh Duhamel, Giulia Pagano, Juan Piedrahita, Red West, Noah Lomax, Mimi Kirkland. 
Produção: Marty Bowen, Wyck Godfrey, Ryan Kavanaugh, Nicholas Sparks
Roteiro: Leslie Bohem, Dana Stevens
Duração: 115 min.
Ano: 2013
País: EUA
Gênero: Drama
Distribuidora: Imagem Filmes
Estúdio: Relativity Media / Temple Hill Entertainment / Nicholas Sparks Productions
Classificação: 12 anos