[Resenha] Bela Maldade | Rebecca James



Título: Bela Maldade
Título original: Beutiful Malice
Autora: Rebecca James
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580570816
Páginas: 302
Sinopse: Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel.
"Eu não chorava por ela, mas por causa dela." - Pág. 7
Bela Maldade
 Katherine Patterson é uma adolescente calada demais. Ela possui um grande segredo, que se fosse desvendado, faria com que todos a sua volta passassem a tratá-la diferente, por isso prefere passar despercebida. Ela consegue, até uma pequena confusão no colégio e a repentina aproximação de Alice, que é a típica garota linda, animada e popular. Alice se aproxima dela sem pedir nada em troca, o que deixa Katherine meio desconfiada, mas ao perceber que tem a possibilidade de ter uma amiga e de voltar a ter uma vida de verdade novamente ela esquece todas as dúvidas e se sente privilegiada. Katherine passa a conhecer Robbie, e consequentemente passa a conhecer mais sobre Alice. Ela vai descobrir que não é só ela que possui segredos e que Katie Boydell, sua verdadeira identidade, terá que vir a tona em algum momento.
"Tenho os meus segredos e aprendi que fazer perguntas só serve para me expor ao risco de ser interrogada também." - Pág. 13
 Katherine/Katie é uma personagem um tanto duvidosa, mas que passa a ser como amiga durante a leitura. Acho que fazia algum tempo que não me sentia assim. Sabe aquela sensação de que você não está apenas lendo um livro, mas que na verdade está apenas lendo a história ou até o diário de um amigo? Foi assim que me senti. O livro é muito melhor do que eu imaginava e no final fiquei com aquele aperto no coração por ter terminado a história ansiando por mais.
"- Ela não é tão má assim - digo. - Tem algumas qualidades fantásticas. Pode ser incrivelmente generosa e encantadora quando quer. E muito divertida.
 - Adolf Hitler também podia - responde ela.  [...]" - Pág. 107
 A amizade entre Alice e Katherine é, ao meu ver, o ponto principal do livro. É graças a esse sentimento que saberemos de todos os traumas das duas personagens e como as duas acabam se ajudando e prejudicando ao mesmo tempo. Alice é a personagem que você percebe desde o primeiro momento que possui um grande segredo, pensa em várias possibilidades, mas no final acaba descobrindo que não é nada daquilo e, talvez. é até pior. Alice é cruel, e o que mais me deixou com raiva dela não foi o motivo pelo qual ela se aproximou de Katherine, mas sim a forma como ela brincava com os sentimentos de Robbie, que sempre estava pronto para fazer o que ela quisesse. Outra personagem que surge de repente na história e que acaba se tornando muito importante é Philippa, que acaba apresentando Katherine ao seu irmão Mick, que é baterista da banda e acabará se apaixonando por ela.

 Pela primeira vez, não sei qual dos dois personagens masculinos e possíveis pretendentes da personagem principal eu prefiro: Robbie ou Mick. Robbie é fofo, amigo, mas não percebe como é usado  e não valorizado pela Alice. Na verdade, ele até percebe, mas seu amor incondicional por ela acaba falando alto até demais e faz com que ele fique completamente cego. Mick também é fofo, porém teve mais oportunidades de mostrar o quão romântico e carinhoso poderia ser ao lado de Katherine. Pela primeira vez eu fiquei totalmente apaixonada por um personagem completamente romântico. Sempre prefiro os errados, revoltados ou totalmente seguros de si.

 Gostei como a autora organizou os capítulos em passado, presente e futuro, nos apresentando a história e nos fazendo criar expectativas e  ideias a respeito de tudo e de todos, até nos apresentar os reais motivos para cada detalhe. A narrativa é rápida, em primeira pessoa, e sempre deixando um ar de mistério. Mesmo que logo na primeira página do livro saibamos o destino de Alice, ao longo da leitura nos envolvemos tanto com a história e somos tão surpreendidos que cheguei até a pensar que aquela "apresentação" era mentira. #ShameOnMe

 Vocês já sabem que adoro thrillers psicológicos, e posso dizer que Bela Maldade é um dos melhores que li. Bem escrito, com uma história que possui muitos segredos em suas entrelinhas e que com certeza te fará perceber que nunca conhecemos alguém totalmente. Sempre existem segredos que guardamos para nós mesmos.