[Resenha] Os Adoráveis | Sarra Manning



Título: Os Adoráveis
Título Original: Adorkable
Autora: Sarra Manning
ISBN: 9788581631950
Selo: Novo Conceito
Número de páginas: 384
Área Principal: Ficção
Assuntos: Romance
Sinopse: Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “;Melhor Blog sobre Estilo de Vida”; pelo ¬ e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos...
Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável...
Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane.
Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossuficiente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso.)
Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “;ex”; — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ficaram pela primeira vez.
"Nunca esconda sua esquisitice, mas use-a como escudo."

 Jeane não é uma menina como as demais de seu colégio. Ela é daquele tipo de personagem que te faz querer ser como ela. Não liga para os que os outros pensam, faz o que quer e, principalmente, se veste como quer. Além de ter uma personalidade forte, Jeane tem outra característica que fará com que várias leitoras se identifiquem: ela é blogueira. Jeane tem milhares de seguidores no Twitter e milhares de visitantes diários em seu blog, chamado Adorkable, onde ela posta seus looks e coisas que a agradam diariamente.  

 Michael Lee é meio que o oposto dela. Além de me parecer um tanto insuportável no início e achar que blogs e redes sociais são besteiras, ele odeia Jeane simplesmente por ela ser "estranha e arrogante", sendo que ela, na verdade, é só ela mesma. Michael irá surpreender muito Jeane e ela fará o mesmo. Mas o que será que o futuro reserva para os dois e, principalmente, para Jeane?
“- Ah, Jeane, você é tão cínica... – disse ele, e sorriu para mim abertamente pela primeira vez em dias. – É o que eu mais gosto em você.” 
 Quando falaram de "Os Adoráveis" pela primeira vez na Bienal 2013 e eu folheei o livro por um momento, logo fiquei ansiosa para começar a leitura. Primeiro que Jeane parecia ser - e é - autêntica, além de ser blogueira. Gosto muito de livros que envolvem a blogosfera e trazem protagonistas determinadas. Jeane, em um primeiro momento, parece ser sim arrogante, mas com o tempo vamos percebendo que essa é a forma que ela encontra para se defender no ambiente escolar. Enquanto em seu blog e no Twitter ela é comunicativa, extrovertida e simpática, pessoalmente ela é fechada, senta sozinha, enfrenta os professores e só tem um amigo, que é seu namorado Barney.

 Barney é um chato. Essa é a palavra que o define melhor. Desde a primeira vez que ele apareceu no livro pensei que Jeane deveria ser realmente muito sozinha para namorar alguém como ele. E pensei a mesma coisa a respeito de Michael, quando sua namorada Scarlett aparece. Barney é todo calado e Scarlett toda, digamos, atrevida, mas as diferenças não os impede de serem "amigos". Querendo ou não, eles fazem algo de bom: aproximam Jeane e Michael totalmente sem querer.
"Seja uma pessoa grandiosa', meu pai sempre dizia, 'mesmo quando alguém tentar fazê-lo parecer pequeno'."
 A escrita de Sarra Manning é ótima. A narrativa em primeira pessoa tem muitos detalhes e mesmo que eu goste quando eles estão presentes, achei que a autora foi meio repetitiva em alguns momentos, porém os diálogos completos e que expressam exatamente o que o personagem pensa ou quer dizer nos fazem querer ler cada vez mais. Sabem aqueles momentos em que você está lendo um livro e se pega "imitando" as expressões dos personagens? Então... é isso que Sarra faz com a gente. Além do mais, os capítulos são alternados entre Jeane e Michael, o que deixou a leitura mais proveitosa.


 Eu simplesmente adoro essa capa! Ela segue a capa americana (ao lado) que também é muito bonita. Confesso que o Michael de minha imaginação é totalmente diferente dos que estão nas duas capas, mas diria que Jeane é uma mistura das duas. Nem uma, nem outra, mas uma mistura. Gostei dos detalhes das duas, mas gostei bem mais da capa feita pela Novo Conceito. (sou suspeita por causa do vermelho, mas abafa)

 "Os Adoráveis" é um livro que com um ótimo enredo traz diversão e deixa sua mensagem: não importa o que os outros pensam, não importa como te olham ou como te julgam; o importante é ser autêntico e leal a si mesmo. Indico demais a leitura!
"- Tudo o que estou dizendo é que você não pode fingir ser normal. Ou você é ou você não é, e você não é."

Comentários

  1. O enredo desse livro parece ser divertido, além de ser bem atual. Gostei bastante da personalidade da personagem principal, aparenta ser uma garota de atitude, que preza primeiramente seus valores e o que lhe agrada, antes de analisar o que os outros pensam sobre como se veste ou age. Achei interessante o fato de ressaltar que algumas pessoas conseguem se relacionar melhor através da internet do que na vida "real", seja por serem tímidas ou por sentir-se deslocada. A capa combina com a sinopse do livro.
    Gosto bastante dos trailers de livros da Novo Conceito, esse muito me agradou.

    ResponderExcluir
  2. Olá Mari!
    Eu vi este livro na livraria semana passada, e fiquei loucamente fascinada pela capa.
    Ele está na minha lista de compras, mas na loja, fiquei na dúvida se comprava ele ou O livro do Amanhã. Comprei O Livro do Amanhã.
    A história parece ser aquelas que flui rapidamente e quando você dá conta, acabou! Eu gosto de histórias assim, e estou super ansiosa para ler.
    Eu amei a frase: Nunca esconda sua esquisitice, mas use-a como escudo, é tipo bem eu HAHAHAHAHHAHAHHA
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Mari!
    Adorei a resenha, estou interessada no livro, a sinopse é bacana e o enredo parece ser bem divertido e diferente tipo conquistou a atenção rs
    Gosto mto de livros que trazem capítulos alternando o ponto de vista dos personagens pq acho que causa uma identificação, só fico um tantinho preocupada com os mts detalhes para não ser cansativo, mas vc diz que a leitura flui super bem, então já tá na whislist.
    Gente ninguém merece dupla de ex rsrsrsrsrs
    Bjss

    ResponderExcluir
  4. Adorei a sua resenha ! Ótima dica de um livro divertido, descontraído e que consegue nos envolver até querer imitar suas expressões? Muito legal! Eu também gostei mais da capa da Novo Conceito =)

    ResponderExcluir
  5. Muito bom! Eu venho namorando esse livro já faz bastante tempo e cada vez que leio resenha essa vontade só aumentar. Quero conhecer mais dessa esquisitice da Jeane e toda a relação dela com o Michael =)

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha! Um livro que tem uma história leve e divertida! Para aqueles momentos relax!

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro personagens marcantes. Esse romance deve ter muitas pintadinhas de diversão mesmo. Fico imaginando a cena da bicicleta e do beijo *--*

    ResponderExcluir
  8. Ah,esse universo das vaidades... essa fase da vida em que tudo que queremos é saber quem somos, onde nos encaixamos e, sobretudo, ser aceitos!
    Achei a ideia ótima, afinal, opostos dão sempre uma boa história, não é? O bom do amor é essa surpresa que traz consigo. Deu vontade de ler, sim!

    ResponderExcluir
  9. A capa original é mais legal, essa achei feinha.
    Esse é um livro que não despertou muito a minha curiosidade...

    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá, Mari! A cada resenha que leio a respeito desse livro, fico ainda mais curiosa pra conferir de pertinho! Jeane aparenta ser uma personagem incrível, daquelas que dá vontade até de viver por um dia; haha. E, Michael... até me passa a impressão de chato, eu diria. De todo modo, penso que essa é uma história super envolvente, que nos mostra que realmente o importante é ser você mesmo. Independente de qualquer coisa. A única coisa que não me agradou foi a capa; ainda prefiro a original. Beijocas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Queremos saber sua opinião ;)

Postagens mais visitadas