[Resenha] Sangue na Neve | Lisa Gardner



Título: Sangue na Neve
Título Original: Love You More
Autor: Lisa Gardner
ISBN: 978-85-8163-199-8
Páginas: 415
Ano: 2013
Editora: Novo Conceito
Sinopse: A policial Tessa Leoni matou seu marido, Brian Darby, em legítima defesa. A arma do crime está à vista de todos e os hematomas no corpo de Tessa confirmam a ocorrência. A policial também não fez questão de fugir, ou de arrumar qualquer justificativa para explicar aquele corpo estendido no chão da cozinha, portanto, aparentemente, o que a investigadora D.D.Warren tem à sua frente é o desfecho de uma briga doméstica. Um caso simples.No entanto, ao abrir o inquérito, D. D. terá uma surpresa: este não é o primeiro homicídio de Tessa Leoni e — afinal — onde está a filhinha de seis anos da policial? Será que a policial Leoni realmente atirou em seu marido para matá-lo? Uma mãe seria capaz de prejudicar intencionalmente sua filha?
D.D. Warren, a experiente detetive que acredita que desvendar um caso é como mergulhar na vida do criminoso, enfrentará mais uma investigação que a levará a uma busca frenética por uma criança desaparecida enquanto tenta encaixar as peças de um mistério familiar que a levará a quebrar os muros do corporativismo policial.
"A primeira coisa que aprendi como mulher policial foi que os homens não eram o inimigo que eu temia que fossem" - Pág. 119

 Sangue na Neve é o quinto livro de uma série de seis volumes protagonizados pela detetive de homicídios de Boston, D.D. Warren. Porém, felizmente isso não interfere em nada na leitura. 

 D. D Warren é uma detetive muito experiente de Boston. Ela agora investiga um assassinato, junto com um ex atirador de elite, Bobby Dodge, e dessa vez ela terá que usar sua intuição e sua experiência sagaz, pois agora o caso é intenso e se trata de uma policial que mata seu marido, aparentemente, por legítima defesa e tem sua filha desaparecida.

 Tessa Leoni é uma trooper que patrulha há 4 anos nas ruas de Massachussetts. Ela tem uma filha de 6 anos chamada Sophie e é casada com Bryan há 3 anos. Ele é marinheiro mercante, porém não é o pai da menina. Quando Tessa chega em casa em um dia que deveria ser comum, seu marido está bêbado e a maltrata mais uma vez jogando uma cadeira em sua direção. Ela, em um ato de desespero, aponta a arma e atira no marido que cai morrendo no chão da cozinha. Mais a pergunta é: para onde foi sua pequena filha? No momento da cena onde estava Sophie? Assim se inicia uma as incensantes averiguações de D. D. Warren. Ela só não poderia imaginar as reviravoltas dessa caso terá, e como ela iria precisar de muita observação, disciplina e determinação.

 O livro é contado em primeira e em terceira pessoa. Temos a visão de Tessa, que nos mostra o que realmente estava acontecendo, e ao mesmo tempo, temos as impressões da detetive D.D. Warren e seu colega Bobby. Não sei dos outros livros da série, infelizmente não li nenhuma, mas nesse, a detetive se mostra bem sensível pois está grávida, e se questiona o tempo todo se uma policial está preparada para ter um filho. Ela fica tão envolvida pelo caso ser de uma também policial, que se sente mais que no dever de achar Sophie. Ela se sente responsável pela descoberta.
"[...] mentirosos esperam que os outros mintam. Matadores que assassinam esperam que tentem matá-los e se preparam para isso." - Pág. 360
 Haviam muitas coisas escondidas no passado de Tessa, que deixava a crer que ela era a culpada. Por ela ter tido uma vida difícil, ter um envolvimento em um outro caso, e ter se envolvido com outros problemas, isso ficava ainda mais claro. Quando Tessa conheceu Bryan, ela teve a certeza que a felicidade faria parte da vida que teria ao lado desse homem; e ele também seria um pai maravilhoso para Sophie, já que até os 3 anos, ela fora criada apenas pela mãe. Agora, todos pensam que ela matou seu marido e sumiu com sua filha. E tudo indica que ela a matou também. Mas será que essa realmente é a verdade?

 Para a detetive D.D., a versão apresentada por Tessa era completamente falsa. E isso foi o que mais me envolvia na história. A cada momento surgiam novas teorias, novas pistas, novas versões e até novos culpados. Durante o livro temos uma grande lição de amizade que vai fazer qualquer um ficar chocado ao se deparar com uma amizade tão forte. Outra lição que Lisa Gardner nos deixa é sobre o amor. Quem você ama realmente?

 Lisa Gardner soube juntar os elementos perfeitos para nos prender até o final da leitura e nos surpreender a cada página. Esse thriller psicológico nos apresenta a uma personagem forte, que é Tessa, além de ser uma mãe, esposa e policial muito determinada ela é muito competente e experiente,capaz de nos fazer acreditar em várias mentiras, e chegamos a nos perguntar se ela seria a vilã ou a mocinha da história, que por sinal, daria um ótimo filme. A detetive D. D. Warren também não fica para trás, mesmo sendo manipulada o tempo todo cumpriu, mais uma vez, a sua missão. 

 "Sangue na Neve" é um thriller eletrizante que nos faz mudar de ideia diversas vezes, confiando e desconfiando de cada personagem em todos os momentos. Até que ponto você iria para salvar uma vida? Para salvar uma amizade? Pergunta difícil, não? Só saberemos o que algumas situações na vida representam, quando passarmos por elas. Você só compreende bem a dor de uma perda quando a enfrenta. E isso, você só saberá no final.