[Resenha] Uma Prova de Amor | Emily Giffin

Título: Uma Prova de Amor
Título Original: Baby Proof
Autora: Emily Giffin
Selo: Novo Conceito
Páginas: 432
Sinopse: Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois... os filhos. Não é assim?
Não para Claudia Parr. A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe, e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha, mas, então, ela conhece Ben.
O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos?
Uma Prova de Vmor é um livro divertido e honesto sobre o que acontece ao casal perfeito quando, de repente, os compromissos assumidos já não servem mais. Contudo, é também uma história sobre como as coisas mudam, sobre o que é mais importante, sobre decisões e, especialmente, sobre até onde se pode ir por amor.
"- Não seria bom se pudéssemos escolher as pessoas que amamos?

-Ou pelo menos, fazer com que as pessoas que amamos queiram as mesmas coisas que a gente." - Pág. 304
A maioria das pessoas acha que o desejo natural das mulheres é casar e ter filhos, mas Claudia sentia que não precisava ser mãe para se sentir completa. Essa era a sua postura. Não que ela não tivesse afinidade com crianças, mas era sua opção de vida. Só que as vezes o medo do desconhecido também atrapalha, ou pelo menos nos confunde no momento de tomar decisões. As vezes perdemos - e muito - por egoísmo e por medo de se arriscar.

Claudia Parr é uma mulher de 30 anos. Independente, trabalha em uma editora de livros em Nova York, mas desde de nova sempre mostrou que ter filhos não passava por sua cabeça. Não mudava de opinião de jeito nenhum. As pessoas reparavam nisso, mas
achavam que quando ela se apaixonasse, essa opinião seria modifica. Mas será mesmo que isso aconteceria?

Seus relacionamentos começavam, terminavam, e Claudia já estava se acostumando a estar sozinha. Até que um dia, um casal de amigos a apresenta a Ben, um homem que por acaso, combinava muito com ela. Os dois se casam e vivem muito bem, até o dia em que Annye, amiga do casal, fica grávida. E quem diria que essa gravidez daria uma mexida na relação dos dois? Ben fica cada vez mais encantado com a criança, até que decide ter um filho. Ben é um homem incrível, embora o livro não fale muito dos sentimentos dele, ficamos encantadas pelo que Claudia narra da vida dos dois e da forma como ele a trata e age em cada situação.

 Ben e Claudia acabam se separando, mas após o divórcio, tudo na vida de Claudia lembra Ben. Agora, entre a raiva de ter se divorciado, e a tristeza por Ben não mudar de ideia em relação a terem um filho, Claudia tem que tomar uma decisão logo, pois pode perder Ben de uma vez por todas.
"[...] a maior decisão que uma mulher pode fazer na vida não é com quem se casar, mas quem será o pai de seus filhos." - Pág. 34
  Emilly Giffin iniciou o livro de forma dinâmica. Sentimos uma vontade enorme em continuar a leitura. Os pensamentos e as atitudes da personagem principal as vezes me faziam rir, outras me davam vontade de gritar com ela e dizer: “pare de ser teimosa, Claudia!” Somente quando o divórcio aconteceu, o livro ficou parado, foi se arrastando, a personagem vivia em meio a indecisões, inseguranças.... coisas que me incomodaram bastante. Sem falar que o desfecho me deixou um tanto desanimada. Por conta da sinopse, imaginava um final impactante, totalmente diferente do ocorrido.

 Não posso deixar de falar sobre a diagramação e a capa. Que capa linda é essa? Aliás, todas as capas da Emily publicadas pela NC são um arraso! A capa americana é essa do lado, que convenhamos, é bem simples. A capa da NC dá de 10!

 Claudia terá que pensar na suas prioridades e, em pouco tempo, terá que decidir e fazer a escolha da sua vida. Até onde vale a pena ir por amor? Apesar de não gostar do desfecho e achar que a leitura ficou arrastada a partir da metade do livro, Emily não deixa de passar sua mensagem: tudo tem seu momento, porém as pessoas vivem se questionando sobre tudo. Acredito que o mais importante é estarmos bem com as escolhas que fazemos na vida.