[Resenha] Mago: Aprendiz | Raymond E. Feist

Título: Mago Aprendiz - Livro 1
Título Original: Magician
Autor: Raymond E. Feist
Gênero: Fantasia
Editora: Saída de Emergência Brasil
ISBN: 9788567296005
Páginas: 432
Sinopse: Na fronteira do Reino das Ilhas existe uma vila tranquila chamada Crydee. É lá que vive Pug, um órfão franzino que sonha ser um guerreiro destemido ao serviço do rei. Mas a vida dá voltas e Pug acaba se tornando aprendiz do misterioso mago Kulgan. Nesse dia, o destino de dois mundos altera-se para sempre.
Com sua coragem, Pug conquista um lugar na corte e no coração de uma princesa, mas subitamente a paz do reino é desfeita por misteriosos inimigos que devastam cidade após cidade. Ele, então, é arrastado para o conflito e, sem saber, inicia uma odisseia pelo desconhecido: terá de dominar os poderes inimagináveis de uma nova e estranha forma de magia… ou morrer.
Mago é uma aventura sem igual, uma viagem por reinos distantes e ilhas misteriosas, onde conhecemos culturas exóticas, aprendemos a amar e descobrimos o verdadeiro valor da amizade. E, no fim, tudo será decidido na derradeira batalha entre as forças da Ordem e do Caos.
“Como muitas crianças, ele quer somente o que não pode ter.”
Quando recebi "Mago" em casa (juntamente à um kit incrível enviado pela Saída de Emergência e a Editora Sextante), folheei algumas páginas e fiquei interessada pela obra. Havia uma Carta do Editor escrita por Luís Corte Real, falando sobre as sensações de ler o livro pela primeira vez, e reler o mesmo depois de 20 anos. Depois nos deparamos com o "Prefácio à Edição Revisada" que é o prefácio que o autor escreveu em Agosto de 1991 (!) falando um pouco sobre a publicação e a republicação de seu livro, e ressaltando que "nenhuma das personagens que morreu está viva, nenhuma batalha perdida foi transformada numa vitória e dois garotos encontram o mesmo destino" então, aos primeiros leitores: "não se sintam forçados a ler este novo volume".
"[...] Os defeitos que vemos nos outros nunca parecem tão terríveis como os que vemos em nós."
 Ao iniciarmos a leitura somos transportados a Crydee, uma cidade que fica longe da capital do reino, e onde conheceremos Pug, um garoto que sonha em se tornar um grande guerreiro para que um dia possa defender quem o acolheu em seu castelo: o Duque de Crydee. O desejado acaba não sendo realizado e  Pug é escolhido para ser o aprendiz do conselheiro do Duque, o mestre de magia Kulgan. Para sua frustração,. seu amigo, Thomas, é escolhido como aprendiz de guerreiro. Ninguém acreditava muito no potencial de Pug, mas a chegada de um navio e um estranho acontecimento, o "ajudarão" a mostrar o que realmente é capaz de fazer.

 Tenho que admitir que estava cheia de expectativas, e quando comecei a leitura, fui me decepcionando. Parecia que todas as promessas do livro, os comentários de que os fãs de fantasia iram amar o enredo e as comparações à grandes clássicos da fantasia, eram tudo mentira. Cheguei a parar a leitura e ler outros três livros, até que aconteceu a visita à Editora Sextante, e algumas blogueiras falaram de como gostaram do livro. Decidi, então, retomar a leitura.  E não é que elas estavam certas? O inicio realmente é um tanto parado, porém a partir de um certo momento, a narrativa se torna totalmente envolvente e você não quer soltar o livro até terminá-lo. 

  Na carta que o editor Luís Corte Real deixa aos leitores, ele diz que "o ponto forte de qualquer livro, como todos os grandes autores sabem, são as personagens", e Raymond E. Feist realmente sabe disso. Além de magos, também estão presentes guerreiros, elfos, dragões, trolls, anões, goblins, príncipes e princesas. Para os fãs de fantasia, todos poderão matar a saudade de suas criaturas mágicas favoritas em um só livro. Pug e Tomas, principalmente, são de encantar qualquer um. Os dois são divertidos e tem uma cumplicidade que fará todo mundo ficar torcendo pela vitória dos dois. Fantus, Carline, Arutha, Lyam, Roland, Martin, Meechan, Tully, Gardan e Dolgan são alguns dos muitos que aparecem ao longo da história e a torna ainda melhor. Gostei de o autor escolher a narrativa em terceira pessoa, pois a partir de um certo momento, cada personagem terá "o seu(s) capítulo(s)".

 Não posso deixar de comentar como essa edição está linda. A capa e seus detalhes já nos deixam encantados. Com o livro, recebi também um mapa bem detalhado que ajuda bastante durante a leitura. Eu sou do tipo de leitor que gosta de imaginar os locais por onde o personagem passa, e o mapa ajuda, além de evitar com que tenhamos que voltar várias vezes às primeiras ou últimas páginas (onde esse tipo de ilustração fica normalmente). O mapa é este que está aqui do lado, caso queiram ver em alta resolução, basta clicar.

 Repleto de magia, reviravoltas  impressionantes, personagens carismáticos, bons diálogos e batalhas de tirar o fôlego, Raymond E. Feist nos traz um enredo memorável, que encantará a todos os fãs de ação e fantasia. Recomendadíssimo!