Sobre ser blogueiro

Imagem: ecoinf.com.br
 Parece que essa última semana foi a semana do "escreva um texto no Facebook falando mal dos blogueiros". Falar sobre os blogueiros virou moda. E ver blogueiros entrando em brigas para poder se defender, também. Vi autores, editores, capistas, e até Editoras falando mal de blogueiros. Você aí, que está lendo este texto, pode até ter visto uma certa Editora falando algo tipo "será que vale a pena dar valor aos blogueiros?". Se você viu, deve estar tão chocado quanto eu até agora.

 Quando eu decidi ser blogueira literária, passei pelo menos um mês visitando milhares de blogs, lendo políticas de parcerias, regras de promoções, posts, tags e tudo que estava ligado à blogosfera literária. Por que? Porque eu não queria começar um blog apenas para poder dizer que era blogueira. Eu queria sentar todo dia para me comunicar com os leitores e saber onde estava me metendo. Queria sentar, escrever minhas resenhas, expor minha mais sincera opinião sobre os livros que leio e estar em contato com os autores que gosto através de entrevistas e eventos. Acontece que quando eu sento todos os dias em frente ao computador para escrever para vocês, eu estou não só me expondo, como também estou disposta a receber todo tipo de opinião; mas parece que tem gente que não está tão disposto assim.


 Para muitos, a vida de um blogueiro se resume apenas a fazer posts diariamente. Eles não sabem o quanto investimos em promoções e divulgações, para termos um pouco de visibilidade.  Existem pessoas, que dizem que todo blogueiro, só pensa em receber livro de graça. Eu posso afirmar que, realmente, não são todos. Para essas pessoas, parece que existem apenas dois tipos de blogueiros: os que falam bem de todos os autores para manter parcerias com os mesmos e suas respectivas Editoras; e os que falam mal de todo mundo para achar que são críticos. Mas aí entro em outra questão: se você gosta realmente do tal livro e faz uma resenha incrível, expressando toda a sua admiração pelo autor e pela obra, você é julgado como puxa saco. Se você escreve uma resenha falando os pontos positivos e negativos (pelo menos, minha resenha negativa é assim) de uma obra, te chamam de "metido a crítico". Como assim, minha gente? Alguém pode me explicar essa falta de bom senso dessas pessoas que nunca estão satisfeitas com a opinião alheia? 

 Eu faço parte dos blogueiros que pensam mil vezes em como falar algo negativo de um livro, mas sei que existem vários blogueiros que não pensam assim.  Sempre penso no trabalho do autor e o investimento dele e da editora para que aquele livro chegasse em minhas mãos. Nunca chamo um livro ou uma história de "lixo", ou algo até pior. Fico chocada quando vejo blogueiro falando até palavrões para criticar uma obra. Não é assim que isso deve ser feito. Criticar algo sem argumentos e de maneira agressiva, faz você perder sua razão também. Não adianta reclamar que falam mal do seu blog, se você vive falando besteira sobre os livros que lê. Não adianta querer criticar apenas para mostrar que você possui opinião (?). Repito: Não é assim que isso deve ser feito.

 Quando um leitor chega e diz "não leio livros nacionais porque acho que são uma porcaria", essa pessoa acaba virando assunto. Autores, blogueiros e leitores defendem a literatura nacional com unhas e dentes e tentam mostrar como o pensamento dessa pessoa está errado. Quando um autor, editor, capista ou alguém que trabalhe no meio diz "blogueiro é tudo igual, só pensa em ganhar livro", a pessoa que expor uma opinião contrária pode até sair humilhada através de um comentário, e a grande maioria das pessoas vai lá apoiar o autor da frase que citei. Sendo que, algumas das pessoas que comentaram em apoio ao mesmo, na semana anterior estava defendendo os blogueiros. Cadê sua opinião própria, querida(o)? E, me digam vocês, está certo ver uma pessoa falando mal do seu trabalho - direta ou indiretamente - e se revoltar (sim, acho que essa é a palavra certa) com todas as pessoas que trabalham na mesma área que esta pessoa? Digo "trabalham na mesma área" me referindo a tantos blogueiros que, como eu, acabam se sentindo ofendidos quando veem um autor que você gostando, generalizar todos os blogueiros. Está certo querer expor uma opinião generalizada? Está certo querer expor sua opinião sem argumentos concretos?  Acho que não, né? Cheguei a ver uma pessoa dizendo que "até o lixo medíocre, tem mais importância do que a opinião de um blogueiro". E outra pessoa dizendo que "sempre que leio resenhas em blogs vejo como esses blogueiros se acham os donos da verdade". Então me responda, querido(a), por que você visita o tal blog (e outros blogs) para ver a opinião do tal blogueiro? Você pode até não admitir, mas é esse mesmo blogueiro que acaba divulgando seu trabalho e, na maioria das vezes, sem ganhar nada em troca.

 A partir do momento que você trabalha com o público (seja ele qual for), você está destinado a receber diversas opiniões e críticas. Quando você é autor, você está destinado a receber resenhas negativas e positivas. Quando você é editor, ou tradutor, está destinado a ter gente que vai reparar até na vírgula que está no lugar errado em um livro. Quando você é capista, está destinado a ler comentários de gente que vai amar ou odiar a capa que você preparou com tanto esforço para aquele livro. Escritor, a mesma pessoa que criticou sua história, pode nem saber escrever uma redação direito. Editor, a mesma pessoa que criticou a vírgula no lugar errado, pode ter errado muitos pontos e vírgulas por aí. Capista,  a mesma pessoa que criticou sua capa, pode nem saber qual editor de imagens ela deve usar para trocar a iluminação de uma simples foto. Você vai MESMO, ficar escrevendo um texto na internet, falando de como não valorizam seu trabalho? Sério?

 Uma vez, fiz uma entrevista para o blog com a autora Alyson Nöel - que teve seus livros traduzidos para mais de 35 países - e perguntei se ela costumava ler resenhas de seus livros. Ela me respondeu que nunca havia lido uma única resenha de nenhum de seus livros. Por que? Porque ela disse que confia na opinião do marido, da agente e do editor dela, e ainda disse que "seria muito fácil um escritor ter muitas opiniões em sua cabeça e tentar agradar todo mundo, mas terminar não agradando ninguém". É disso que estou falando. Se você não quer "ser influenciado" ou simplesmente não se sente pronto para receber uma crítica, apenas não faça uma busca pelas redes sociais, procurando por gente que comenta sobre você e seu trabalho. A vida é feita de escolhas, e você decidiu seguir essa carreira e viver nesse meio.

 Posso afirmar aqui, que desde a primeira vez que fiz um post nesse blog, eu estava investindo nele. Fui eu que corri atrás para ter leitores, fui eu que banquei os envios de livros para os ganhadores, fui eu quem passou horas escrevendo uma única resenha, lendo e relendo-a milhares de vezes, para não deixar que ninguém me entendesse errado. Eu sei do compromisso que tenho com meus leitores e, principalmente, com minha ética e moral. Acho que, no mínimo, as pessoas devem saber criticar e saber expor sua opinião de forma correta. Não esqueçam, se você trabalha no meio, você não está envolvendo só a si mesmo. Você envolve sua Editora, seu trabalho e sua carreira.


 E se você aí ficou com preguiça de ler todo esse texto e pulou para o último parágrafo, outro dia uma amiga me disse uma frase, que eu poderia ter postado no Facebook, no Twitter ou em qualquer outra rede social para resumir todo esse texto; mas eu acho que já estava na hora de expor minha opinião sobre o assunto, afinal, é a nova moda (:P) De qualquer forma, a frase: "Quando a gente generaliza acaba se igualando aos que falam mal."