[Papo Literário] Jojo Moyes fala sobre seus livros, sentimentos e leitores brasileiros


 Há mais ou menos um mês atrás eu comprei o livro "Como Eu Era Antes de Você" e um livro da Cassanda Clare no mesmo dia. Perguntei no Twitter, no Facebook e no Instagram do blog qual eu deveria ler primeiro e TODAS as respostas apontavam para o livro de Jojo Moyes. Eu já conhecia a autora de "A Última Carta de Amor", mas me surpreendi muito ao ler seu segundo livro publicado no Brasil.

 Eu já estava louca para ler "A Garota Que Você Deixou Para Trás", e quando ganhei o livro da Aninha (do True Insights / Leitora X) de aniversário, veio a ideia: será que Jojo aceitaria fazer uma entrevista? Entrei em contato com a agente  dela que disse, gentilmente, que Jojo não poderia realizar uma entrevista, mas se eu aceitasse, ela teria um tempinho para conversar comigo e responder 5 perguntas. Meu coração parou! Eu tinha dois dias para tentar pensar no que falar além de "você é incrível", e o resultado vocês podem ver logo abaixo:
:: Entrevista feita por: Mariana Mortani
:: Traduzido por: Mariana Mortani

Magia Literária: Jojo, aqui no Brasil nós temos três de seus livros publicados: "A Última Carta de Amor", que nos emociona através de cartas; "Como Eu Era Antes de Você", que nos transmite as dificuldades da vida e do amor; e "A Garota Que Você Deixou Pra Trás", que nos apresenta justiça e esperança. Que mensagem você gostaria de passar com seus livros?
Jojo Moyes: Eu não estou segura de que tenho uma única mensagem, mas acho que eu gostaria que as pessoas fossem mais gentis com as outras, e entendessem que mesmo que alguém faça algo que parece insano ou errado para você, eles sempre tem uma boa razão para fazê-lo. Quando eu escrevi "Como Eu Era Antes de Você", ele foi praticamente baseado em uma história real, sobre pais que levaram seu filho para um lugar onde pessoas realizavam suicídios assistidos, e eu fiquei muito chocada quando escutei isso, e pensei logo que eles deveriam ser pessoas terríveis. Mas o quanto mais eu lia sobre eles, eu via que eles eram na verdade pessoas na mais terrível das posições. E isso me fez ver que você nunca deve julgar alguém antes de calçar seus sapatos.

ML: Você tem 11 livros publicados no total. Qual deles você escreveu mais rápido, e qual demorou mais? Por que?
JM: "Como Eu Era Antes de Você" é, sem dúvidas, o livro mais fácil que eu escrevi na vida, o que parece um tanto louco por conta do assunto abordado. Mas Will e Lou apareceram tão claramente em minha cabeça que tudo que eu fiz foi apenas colocá-los juntos. Eles apenas apareceram vivos para mim. O livro mais difícil que escrevi foi "A Garota Que Você Deixou Para Trás" - praticamente por conta da pesquisa, mas também por conta da estrutura, que é muito complicada para ser totalmente correta. Ainda não sei se fiz isso da maneira certa!

ML: Como você se sentiu quando soube que seus livros seriam publicados no Brasil? Você recebe muitas mensagens dos leitores brasileiros?
JM: Eu recebo milhares de mensagens carinhosas dos leitores brasileiros! E eu amo como todos vocês assinam "beijos" [Na América eles não tem o costume de terminar uma mensagem com "beijos"]! Eu também amo o fato de que meus livros tiveram muito sucesso no Brasil e espero, talvez quando meus filhos estiverem um pouco maiores, poder visitar o Brasil.

ML: No ano passado nós soubemos que "Como Eu Era Antes de Você" viraria um filme. Você tem alguma novidade para a gente? Nós já sabemos quem serão os roteiristas - os mesmos de "A Culpa é das Estrelas" e "500 Dias Com Ela" -, mas e os atores?
JM: Eu posso dizer em primeira mão que a MGM está, nesse exato momento, em reunião com os diretores, e nós estamos trabalhando no roteiro ainda. Eu ainda não sei sobre os atores, mas eu sei que o estúdio fez disso uma prioridade, então eu tenho esperança de que terei novidades muito em breve.

ML: Quais as dificuldades e os privilégios de ser uma escritora?
JM: Caramba, eu poderia escrever um livro sobre isso! (risadas) A coisa mais difícil é trabalhar muito dentro de sua cabeça - só você pode desenvolver os problemas que você constrói para você mesmo. Isso pode ser meio solitário. Mas a melhor coisa é poder criar um novo mundo todos os dias. E cada vez mais as respostas dos fãs; que é quando você vê seus personagens criarem vida na cabeça de outras pessoas, isso é realmente o melhor sentimento.

 Nesse momento eu agradeci imensamente a Jojo por ter me concedido esse pequeno tempo e me deixar conhecê-la melhor. Ela terminou a conversa dizendo: "Agradeça a todos os meus leitores brasileiros por mim! Muito obrigada a você também, e estou muito feliz e grata por ter gostado dos meus livros! E espero que todos gostem de meu próximo livro também."
:: Entrevista feita por: Mariana Mortani
:: Traduzido por: Mariana Mortani

 Só tenho que agradecer a Jackie, agente da Jojo, por ser incrivelmente incrível (!) comigo; a Jojo, mais uma vez, por ter me dado essa oportunidade; e, claro, aos vários leitores que me indicaram os livros de Jojo! 

Sem dúvidas esse foi um dos momentos mais lindos da minha vida