[Resenha] Por Toda a Eternidade | Kristin Hannah



Autora: Kristin Hannah
Título: Por Toda a Eternidade
ISBN: 9788581633206
Grupo Editorial: Novo Conceito
Selo: Novo Conceito

Número de páginas: 400

Gênero: Ficção, Drama
Sinopse: Tully Hart é uma mulher ambiciosa, movida por grandes sonhos que, na verdade, escondem as lembranças de um passado de abandono e dor. Ela acredita que pode superar qualquer coisa ao esconder bem fundo os sentimentos de rejeição que carrega desde a infância... Até que sua melhor amiga, Kate Ryan, morre. Então, tudo começa a mudar para Tully, que se vê escorregando em um precipício cheio de memórias melancólicas e remédios para dormir...Dorothy Hart — ou Cloud, como era conhecida nos anos 1970 — está no centro do trágico passado de Tully. Ela abandonou a filha repetidas vezes na infância. Até que as duas se separaram de uma vez por todas. Aos dezesseis anos, Marah Ryan ficou devastada pela morte da mãe, Kate. Embora seu pai e seus irmãos se esforcem para manter a família unida, Marah transformou-se numa adolescente rebelde e inacessível em sua dor. Tully tenta aproximar-se de Marah, mas sua incapacidade para lidar com os sentimentos da afilhada acaba empurrando a menina para um relacionamento infeliz com um rapaz problemático.
A vida dessas mulheres está intimamente ligada, e a maneira como elas vão rever seus erros e acertos constrói um romance comovente sobre o amor, a maternidade, as perdas e o novo começo. Onde há amor, há perdão...
"Estava certa de que meu coração simplesmente pararia de bater ou que meus pulmões deixariam de se encher de ar."
"Por Toda a Eternidade" é a continuação de "Amigas Para Sempre", que foi lançado pela Editora Arqueiro. Antes que vocês pensem "que ridículo os livros estarem em editoras diferentes", aviso: não é totalmente necessário ler o primeiro para ler a continuação, como para muitos - em um primeiro momento - possa parecer bem desgastante ler a continuação. Porém, se tratando de Kristin Hannah, sempre vale a pena continuar.
"Não era o paraíso o que ele queria ver. Era o sorriso da sua esposa, e aquilo se fora para sempre."
Depois da morte de sua esposa, Jhonny tenta se reerguer, mas sozinho seria muito difícil. A falta que Kate fazia aos meninos e a rebeldia de sua filha Marah era algo que Johnny ainda não sabia como encarar. Abalado, desnorteado e totalmente confuso ele se distancia até de Tully, a melhor amiga de sua esposa há 30 anos. As duas eram como irmãs e Tully é madrinha de sua filha, mas um mal desentendimento e a dor da perda o fez agir de maneira fria, trazendo mais tristezas.

 Tully e Kate tinham uma amizade única, daquelas que alegram a vida e emocionam a quem está ao redor. Se conheceram em uma noite bem difícil para Tully e todo o vazio da vida de Kate foi preenchido com essa amizade. O tempo passou, as duas enfrentaram tudo juntas: as conquistas, os problemas e, por fim, a doença de Kate, que chegou dilacerando o coração das duas. Quando Tully descobriu o que passava com a amiga já era tarde demais. Desesperada, ela se afastou do que mais amava, mas, uma amizade como a delas teria um fim?

 Marah sempre foi rebelde não aceitava a opinião de seus pais, principalmente, e tinha muitos atritos com Kate, sua mãe. Com a perda da mãe isso ficou muito mais visível e causando problemas emocionais pra ela, que vivendo deprimida, se cortava para sentir alívio.Johnny por sua vez, não sabia lidar com os sentimentos da filha e Tully como uma super amiga a levou para iniciar uma terapia para tentar superar o trauma. É no grupo que ela conhece Paxton, um rapaz cheio de problemas que começará a se envolver com ela, trazendo muitos problemas para ela e sua familia.
“Sangrar era melhor do que chorar ou gritar. Cortar-se permitia que ela seguisse em frente."
Como no primeiro livro, a autora nos mostra - ou para quem leu, lembra - a vida bem sucedida de Tully e os traumas que sua mãe lhe causou. Nesse livro conhecemos um pouco mais da vida de sua mãe, Dorothy, que passou um tempo trocando de identidade. Dorothy era viciada e Tully cresceu vendo a mãe sempre lhe deixando de lado sempre deixando o vazio do amor que ela precisava, que ela esperava e nunca teve. Em boa parte e ao decorrer do livro nos é revelado os motivos de Dorothy agir assim com a filha.

 A história é contada com partes do passado para que possamos entender o presente. O ano em que o livro é contado é 2010 e em algumas partes voltamos, principalmente a 2006, ano da morte de Kate. Temos a visão de Marah, Dorothy e, claro, Tully, que, mesmo com sua morte, faz com que Kate esteja presente em tugo.

 No livro "Amigas Para Sempre" (caso queira ler a resenha, clique aqui), Kristin Hannah  nos apresentou a uma história e nesse segundo volume fiquei imaginando se ela realmente ainda tinha algo para me surpreender. No início fiquei indignada com as atitudes de Johnny que, não sabendo realmente o que estava acontecendo, julgou muito mal as atitudes de Tully e a ignorou por completo, o que fez com que consequências terríveis surgissem. Acho que a parte ruim desse livro é que ele traz muitos flashbacks que, para os que leram o primeiro, acaba sendo cansativo em alguns momentos. Fiquei me perguntando se, talvez, o segundo livro tenha sido publicado por outra editora nos EUA, como aconteceu aqui, e a autora quis fazer com que os que queiram ler o segundo, não sejam obrigados a ler o primeiro.

 Mas ai, somos tomados pelas revelações, os segredos e os sentimentos que Kristin Hannah nos reserva para este livro, assim como seus outros. Acho que jamais esquecerei de uma história escrita por Kristin Hannah. Ela sabe nos envolver, nos emocionar e nos deixa de queixo caído a cada linha lida. A mensagem do livro nos mostra como uma amizade, quando é verdadeira, sobrevive não só na brigas e conflitos, mas sobrevive, acima de qualquer outra coisa, a morte.

 Eu estava acostumada a me decepcionar um pouco os segundos livros de séries, duologias e trilogias. Acho que grandes expectativas são sempre problemas quando as mesmas não são superadas, porém "Por Toda a Eternidade" é a prova de que, quando se trata de Kristin Hanna, você pode esperar tudo e mais um pouco, pois ela sempre se supera e nos garante boas lágrimas no final.