[Resenha] Quando Tudo Volta | John Corey Whaley



Autor: John Corey Whaley
Título: Quando tudo volta
Título Original: Where Things Come Back
ISBN: 9788581633848
Grupo Original: Novo Conceito
Selo: Novo Conceito
Número de páginas: 224
Gênero: Ficção, Drama
Sinopse: Uma morte por overdose. Um fanático estudioso da Bíblia. Um pássaro lendário. Pesadelos com zumbis. Coisas tão
diferentes podem habitar a vida de uma única pessoa?
Cullen Witter leva uma vida sem graça. Trabalha em uma lanchonete, tenta compreender as garotas e não é lá muito sociável. Seu irmão, Gabriel, de 15 anos, costuma ser o centro
das atenções por onde passa. Mas Cullen não tem ciúmes dele. Na verdade, ele é o seu maior admirador.
O desaparecimento (ou fuga?) de Gabriel fica em segundo plano diante da nova mania da cidade: o pica-pau Lázaro, que todos pensavam estar extinto e que resolveu, aparentemente, ressuscitar por aquelas bandas.
Em meio a uma cidade eufórica por causa de um pássaro que talvez nem exista de verdade, Cullen sofre com a falta do irmão e deseja, mais que tudo, que os seus sonhos se tornem realidade. E bem rápido.
"Não tinha objetivos. Não tinha aspirações. Não tinha vontade de fazer nada além de esperar que algo grande acontecesse, que algo milagroso ocorresse."
 Quando recebi, em dezembro do ano passado, um pôster de "Quando Tudo Volta", só de olhar a capa pensei logo que esse livro deveria ser muito bom! Quando li a sinopse já imaginei um  livro cheio de ação e com um grande desfecho. Quando comecei a ler a história fiquei confusa. A cada página surgia um personagem confuso que parecia deixar a história mais bagunçada. A única coisa que eu conseguia pensar é: deve ter um final muito incrível para tudo isso.

 Cullen Witter mora em Lyli, no Arkansas, e vivia uma vida tranquila até a morte de seu primo, quando ele é quem reconhece o corpo do primo morto por overdose. Cullen tinha 17 anos mas aquele não era o primeiro cadáver que ele tinha visto e com a morte de seu primo Oslo vieram as lembranças de quando ele já causava problemas com drogas injetáveis e ele, tentando ajudar, ia ao seu encontro para buscá-lo quando estava em apuros ou até quando ele precisava de algum dinheiro, pois o primo tinha esperança de que Oslo compraria comida. Infelizmente, todo esforço em busca da recuperação de Oslo foi em vão.

 Com a calmaria de sua cidade, Cullen vivia desanimado e com uma vontade imensa de encontrar o seu ideal. Um ideal com tamanha tristeza. As pessoas da cidade tentaram passar palavras de conforto para ele e a tia que tanto sofria, mas a calmaria da cidade acabou com a chegada do  pica-pau Lázaro.
"E só o que nos restava era esperar para ver o espetáculo, esperar para ver se algo brilhante ou catártico apareceria."
 O autor John Corey Whaley construiu personagens que demonstram, de verdade, seus defeitos e qualidades fazendo com que a história se torne real. Cullen é um menino insatisfeito, porém possui muito senso de humor e muita determinação. Ao mesmo tempo que triste, é engraçado quando ele demonstra toda a sua antipatia por sua cidade e termina ironizando tudo que ela possui.

 O problema é que achei que o livro teria muito mais ação e também emoção. Parece que a monotonia que Cullen sentia em sua cidade acabou sendo passada para nós, leitores, mas da maneira errada. Ao meu ver, é como se o autor quisesse mostrar como é tal lugar, porém acabou fazendo com que a leitura não rendesse, mesmo depois dos mistérios que se fizeram presentes. Os acontecimentos não se desenrolavam, logo na página seguinte entrava outro personagem totalmente diferente do anterior que deixava os fatos confusos que não eram solucionados.
 Em compensação, o que dizer dessa diagramação do livro? Está linda! Com três pássaros sobrevoando a parte superior da página onde se inicia cada capítulo, um pássaro no rodapé de cada página - que contribuem com a premissa do livro e as folhas amareladas com fontes que ajudam no rendimento da leitura. A capa, mesmo sendo simples, me passou uma grande vontade de ler o livro e, mesmo que ele não tenha sido o que eu imaginava, acho que essa é uma capa linda. Mais uma vez a NC arrebentou.

 No final, o livro não me agradou, mas acredito que o sumiço de Gabriel, a volta do pica-pau Lázaro e o fanatismo de Benton Sage fizeram com que o autor desse o seu recado sobre cada um. Acho que um livro nunca passa mesma impressão para duas pessoas diferentes, por isso nunca deixo de recomendar um livro que pode passar uma grande mensagem para outro alguém, então: leiam! - e voltem aqui para me contar.