[Das Páginas Para as Telas] Divergente

Título no Brasil: Divergente
Título Original: Divergent
Baseado no livro: "Divergente", de Veronica Roth
Distribuidora: Paris Filmes
Sinopse: Na futurística Chicago, quando a adolescente Beatrice (Shailene Woodley) completa 16 anos ela tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. Elas são cinco, e cada uma representa um valor diferente, como honestidade, generosidade, coragem e outros. Beatrice surpreende a todos e até a si mesma quando decide pela facção dos destemidos, escolhendo uma diferente da família, e tendo que abandonar o lar. Ao entrar para a Dauntless, ela torna-se Tris e vai enfrentar uma jornada para afastar seus medos e descobrir quem é de verdade. Além disso, Tris conhece Four, um rapaz mais experiente na facção que ela, e que consegue intrigá-la e encantá-la ao mesmo tempo.t
 "Não me entenda mal. Há uma certa beleza na sua resistência."
 Estamos em uma Chicago futurística onde a cidade é dividida em facções depois de o mundo todo ter sido destruído. Quando completam 16 anos os adolescentes precisam escolher entre facções que são, a partir dai, sua nova nova "casa". Os que valorizam o conhecimento e a inteligência ficam na Erudição, os bondosos e gentis ficam na Amizade, os que valorizam a ordem e a honestidade estão na Franqueza, os valentes e que cuidam do policiamento de toda a cidade ficam na Audácia, os que são altruístas e dedicam sua vida aos outros ficam na Abnegação. Existem também os sem facção, que depois de não passar nos testes de iniciação da facção que escolheram, acabaram ficando sem uma. Todo mundo sabe o seu lugar. Todo mundo sabe a que facção pertence. Menos Beatrice (Shailene Woodley).
"Vocês escolheram a gente, agora nós vamos escolher vocês."
 Beatrice vive com o irmão, Caleb (Ansel Elgort) e os pais, Natalie e Andrew (Ashley Judd e Tony Goldwyn), na Abnegação. Ela e Caleb estão prontos para o teste de aptidão que irá ajudá-los a escolher a facção certa para eles no dia seguinte o problema é que, quando realiza o teste, Beatrice recebe um resultado inconclusivo que afirma que ela é uma divergente. Agora, além de ter que escolher a facção na qual passará o resto de sua vida, Beatrice não consegue escolher entre permanece com os seus pais e tentar ser altruísta ou enfrentar seu medo e ser corajosa, entrando para a Audácia.
 Beatrice não é altruísta o suficiente para deixar de escolher a facção que queria ao invés da facção que ela apenas pensava que deveria ficar por causa de seus pais - mesmo que eles nunca a tenham forçado para isso. Beatrice, ou melhor, Tris, agora é da Audácia e lá alguns ainda a chamam de "careta" por causa de sua antiga facção. Nos treinamentos ela se sente inferior a todos os outros iniciados, mas além da vontade de permanecer lá pois agora sabe que é o seu lugar, Quatro (Theo James), um dos seus instrutores e um cara bastante misterioso, vai incentivá-la a lutar para permanecer na facção.
"Treinamos soldados, não rebeldes."
 "Divergente" não chamou a minha atenção nem quando eu soube que Shailene Woodley e Theo James iriam atuar juntos, mas quando eu assisti ao trailer, não haviam dúvidas: eu precisava assistir ao filme. Quando ganhei os ingressos da Paris Filmes e da minha amiga Luiza eu fiquei ainda mais ansiosa para assisti-lo. Eu ainda não tinha uma imensa vontade de ler o livro,  mas quando o filme terminou, eu só pensava em lê-lo. 
 Não há dúvidas de que Shailene e Theo tem química - dentro e fora das telas. Eu, que não havia lido o livro, pude "adivinhar" facilmente o que passa na cabeça de seus personagens graças aos dois.  E também não tem como duvidar de que Shailene é uma atriz incrivelmente cativante! Ela sabe como mostrar as mudanças e o crescimento da personagem além de passar a emoção certa no momento certo. Theo é o Quatro perfeito. Ele passa aquela imagem de que é durão, ao mesmo tempo que sabemos que lá no fundo existe um cara super gentil. Sabemos também que o enredo pede justamente essa mudança em certos aspectos, mas o que me faz citá-los aqui é o fato de que com tantos filmes, livros e enredos distópicos onde há um grupo que podemos chamar de "rebeldes" contra uma sociedade e um casal que, no meio disso tudo, tenta ser feliz, é preciso ser muito bom para ter um diferencial. E, com certeza, "Divergente", Shailene e Theo o tem.

 Também sobre Shailene, é um tanto quanto engraçado vê-la atuar ao lado de dois outros pares românticos seus. Milles Teller, que interpreta Peter, já atuou ao lado dela em "The Spectacular Now", e Ansel Elgort, que interpreta seu irmão, viverá Agustus Waters na adaptação de "A Culpa é das Estrelas". Na verdade, é inevitável assistir ao filme e não se perguntar se Ansel será um bom Agus, ao contrário de Shailene que, desde a primeira foto de divulgação do filme, não deixou dúvidas de que será a Hazel perfeita. Mas isso ai é assunto para Junho... Chega logo Junho!!!!!!!
 O que falar de Kate Winslet? A MULHER É SENSACIONAL! Eu a amo desde que assisti a "Titanic" pela primeira vez, quando era bem pequena, e admito nunca ter imaginado Kate tão séria (mesmo depois de seu papel em "Foi Apenas Um Sonho") quanto no papel de Jeanine Matthews. Ela é a líder da Erudição, é totalmente contra os divergentes e.... bom, não vou dar spoilers. Mas aviso que no livro ela nem tem tanta importância como no filme - claro que ter Kate no papel dá a sua personagem mais visibilidade. No filme ela aparece várias vezes e tem uma grande cena ao final do mesmo, ao contrário do livro. Algo engraçado que aconteceu foi que no cinema, assistindo ao filme, eu pensei: "Gente, por que ela não larga essa pasta? Só porque ela é a líder da Erudição, onde muito se lê, ela precisa andar para todos os cantos com papeis?" Comentando sobre o filme com uma amiga ela me contou que a Kate já estava grávida  do terceiro filho quando começou a filmar "Divergente". Fui assistir ao filme novamente (acho que ninguém vai conseguir assistir apenas uma vez!) e percebi que, realmente, nas poucas cenas em que ela abaixa a pasta já podemos ver um pouco da barriga, mas depois, em uma cena que ela aparece de costas, já podemos ver que ela está mais gordinha
 O que dizer da trilha sonora desse filme, gente? Eu normalmente prefiro músicas instrumentais, em adaptações (não sei se isso é porque eu mesma gosto de fazer "a minha trilha sonora" quando leio um livro), mas assim como aconteceu com "Cidade dos Ossos", eu não paro de ouvir a trilha sonora desde. Nesse momento (sim, estou escrevendo essa review e escutando as músicas) está tocando "Beating Heart", da Ellie Goulding. Eu adoro as músicas dela e a voz rouca misturada com esse sotaque britânico. O clipe dessa música também está incrível (clique aqui para assistir). Nele a Ellie tem uma tatuagem como a da personagem Tris e bebe o soro que estimula as alucinações. Enquanto canta a música, ela foge de um cara musculoso que lembra Quatro. Falando na Ellie, ela tem mais duas músicas na trilha sonora do filme e a mesma conta ainda com músicas de Snow Patrol, Zedd, Kendrick Lamar e outros. Agora, ouço "Dead in The Water", que será seguida de "I Need You", do M83, que foi escrita especialmente para o filme e, "Beating Heart" é a minha segunda favorita do filme (a primeira é "Beating Heart").
"Eu não quero ser só uma coisa. Não posso ser. Quero ser corajoso, e altruísta, e inteligente, e honesto e bondoso."
 No geral, acho que "Divergente" cumpre com a promessa de cenas de tirar o fôlego e nos deixar com aquela enorme vontade ser parte de tudo aquilo, mesmo em meio a tantos problemas. Temos muitas cenas do livro (muitas que eu julgo importantes) que não foram para as telonas, mas acredito que no segundo filme poderemos ser recompensados, já que muitas delas precisam aparecer para que coisas do segundo livro aconteçam. Acho que isso ficou confuso, mas se vocês lerem irão entender (risos). De qualquer forma, esse é um filme que não irei cansar de assistir. Agora só posso esperar, ansiosamente, para o lançamento do DVD - isso se eu aguentar e não correr para o cinema na próxima semana. E na outra. E na outra também.