[Resenha] Convergente | Veronica Roth


Título: Convergente
Título Original: Allegiant
ISBN: 9788579801860
Número de Páginas: 528
Editora: Rocco
Selo: Rocco Jovens Leitores
Gênero: Ficção, Distopia
Sinopse: A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. No poderoso desfecho da trilogia Divergente, de Veronica Roth, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor. Livro mais vendido pela Amazon no segmento infantojuvenil em 2013, Convergente chega ao Brasil em meio à expectativa pela estreia de Divergente nos cinemas, em abril. A série segue no topo na lista de bestsellers do The New York Times.
"Me pergunto se o medo realmente se vai, ou apenas perde o poder sobre nós."
 Esta resenha pode conter spoilers indiretos!
 Em "Divergente" e "Insurgente" conhecemos Beatrice Prior e Tobias Eaton que, depois de descobrirem que as facções são uma total mentira e que todos os que vivem na cidade não tem exatamente uma identidade, se tornam dois dos voluntários que irão sair e conhecer o que e quem está do lado de fora da cerca. Tris, Quatro, Christina, Caleb, Cara, Uriah, e Peter descobrem não só a verdade sobre a cidade de Chicago, as facções e o mundo do lado de fora, como toda a verdade por trás dos chamados Divergentes.
"Sinto como se eu houvesse me tornado metade meu pai e metade minha mãe - violento e impulsivo, desesperado e com medo. Sinto que perdi o controle sobre o que me tornei"
No terceiro livro da trilogia as coisas não acontecem muito rápido nem muito devagar, porém a quantidade informações que temos - principalmente no inicio do livro - é de fazer qualquer um ficar confuso um pouco. Confesso, até, que em alguns momentos tive que retornar a leitura para o parágrafo anterior. Eu não posso explicar o porquê dessas informações todas, pois seria um spoiler muito grande, mas quem leu o livro vai concordar, sem dúvidas. Todas as descobertas sobre Chicago e as facções são de deixar qualquer um de queixo caído, porém foi até engraçado ver Tris, Quatro e os outros se perguntando o que são os  Estados Unidos e um avião, por exemplo - lembrem-se que para eles, o mundo havia sido destruído depois de uma guerra e nunca souberam da existência de cidades e países.
"O rosto de Tobias se aperta de medo. Não o culpo. Todos os dias ele vê alguém de quem gosta voltando dos mortos."
Esse livro é, definitivamente, o mais revelador. Se você achou que no livro anterior já haviam descobertas e segredos demais, não sabe o que está por vir em "Convergente". Além de termos "a volta dos que não foram" - okay, piada péssima - é a vez de Tris descobrir muito mais sobre sua mãe e seu pai. Falando dos Prior, Caleb é um completo idiota que me fez odiá-lo desde um certo acontecimento no livro anterior e ainda não consigo acreditar que Tris o perdoou e foi... bom, vou parar por aqui. 
"Se alguém te oferece uma oportunidade de se aproximar de seu inimigo, sempre deve aceitá-la. Sei disso sem ter aprendido com ninguém."
 Eu gostei muito de ter a narrativa em primeira pessoa dividida entre Tris e Tobias (mesmo não tendo gostado do real motivo para que isso aconteça - e acho que ninguém gostou). Dessa vez nós podemos ver quem é o verdadeiro Tobias, como ele se sente em relação a Tris, o que pensa sobre os que estão ao seu redor e suas conclusões sobre as facções e etc. Tris está mais madura do que nunca e corajosa também. É muito bom pensar em como os dois e o relacionamento deles evoluiu desde o primeiro livro.

 A diagramação do livro é simples e a capa é a mesma que a original, só muda o tom das cores. Falando ainda da capa: eu ficava me perguntando o que significava a água na capa e, ignorando a verdadeira razão (não é uma nova facção como alguns pensaram, mas é um simbolo presente no livro), cheguei a conclusão de que são todas as minhas lágrimas depois daquele final. Eu ainda estou sem palavras para o final desse livro! Eu havia lido uma entrevista onde Veronica Roth dizia que o final da trilogia era "diferente do que estamos acostumados" porque ela queria que fosse "justamente diferente de tudo atualmente", mas, Veronica, você não precisava de tanto, mulher!  Ainda não superei! E estou prestes a chorar só de lembrar.
“Imagino que uma chama que queime com tanta intensidade não seja feita para durar.”
 Veronica Roth nos presenteou com uma trilogia incrível, capaz de deixar os leitores totalmente viciados.  Espero ter feito vocês ficarem curiosos a respeito do livro e, principalmente, mostrado como ele foi maravilhoso. É triste escrever esse último parágrafo da resenha sabendo que é aqui que acaba a história de Tris e Tobias. Os dois se tornaram um dos meus casais favoritos da literatura e, com certeza, sentirei falta deles - principalmente quando última adaptação for lançada. "Convergente" é um livro que mostra como a vida pode ser uma grande caixa de surpresas e como é importante ser corajoso,  altruísta, inteligente, e honesto e gentil, exatamente como Quatro disse no primeiro livro. E, depois de pensar mais sobre o final e, tentando terminar essa resenha de forma decente, como a própria Veronica disse em uma entrevista: estou tão tão tão orgulhosa da Tris...