[Resenha] A Escolha do Coração | Amanda Brooke


Título: A Escolha do Coração
Título Original: Yesterday's SunAutora: Amanda Brooke
ISBN: 9788581633169
Número de Paginas : 336
Sinopse: Recém-casados, Holly e Tom se mudam para uma casa grande e confortável, onde ela espera esquecer de vez os fantasmas de sua infância problemática. O destino, contudo, lhe preparou uma surpresa, que se revela depois que Holly encontra um relógio lunar enterrado no jardim.
O relógio oferece a imagem de um futuro que é ao mesmo tempo animador e preocupante: a visão de um lindo bebê nos braços de Tom... mas Holly, estranhamente, não aparece na visão. 
Em pânico diante da previsão, ela teme que um dia precise fazer uma escolha terrível: dar um filho ao marido, sacrificando sua própria vida... ou salvar-se e se esquecer para sempre da filha não nascida – a quem Holly já aprendeu a amar.
"Todo esse sofrimento vai valer a pena se pensarmos no que significará para nós o próximo ano."

 "A Escolha do Coração" é um livro que fala das escolhas e nos faz refletir sobre as muitas vezes que vivemos pelo impulso e, justamente por isso, fazemos escolhas erradas e sofremos as consequências. Mas, será que se soubéssemos o futuro nossas escolhas tomariam caminhos diferentes?

 Holly é artista plástica e está em um momento bom de sua vida: está casada com Tom e envolvida com sua casa nova. O que Holly gosta é de planejar e tem o costume de fazer listas para daqui a 5 anos, por exemplo, e um de seus planos é ter um filho. Mesmo que ela tivesse um bloqueio em relação a maternidade, pois carrega lembranças dolorosas de seu relacionamento com sua mãe.  Parecia que a mãe tinha ódio por ter engravidado tão nova por Holly tê-la feito perder a liberdade Quando conheceu Tom, ela pode conviver com uma família amorosa, unida, a qual ela gostaria de ter feito parte.

Durante sua mudança e as diversas reformas da casa, aparece um relógio lunar no jardim. Aparentemente é um enfeite, mas por trás dele há um poder de observar o futuro. Qual será o limite para se ver o futuro? O relógio funciona em noite de lua cheia e, naquela noite, Holly se surpreendeu com o que estava a sua frente. Ela consegue ver sua filha, que se chamará Libby, no colo de Tom, só que tão ansiosa com a cena, Holly tenta falar com o marido e percebe que é não é notada por ele e que ele está sofrendo com sua morte. Sim, ela não resistiria no momento do parto e deixaria a menina com o pai. 

Triste e, sem saber como lidar com essa descoberta, ela fica indecisa. Holly já estava utilizando o relógio diversas vezes e seu amor pela sua filha aumentava cada vez mais, porém ela tinha que escolher entre a sua vida ou a vida de sua filha. Uma ia viver, para a outra morrer...
"Havia esperança, tinha que haver, e ela não deixaria que o relógio lunar lhe tirasse isso, ao menos não completamente."
 Acho que o que torna o livro ainda mais emocionante é o fato de que ela não conhecia o amor de uma mãe e, quando passa a senti-lo por uma filha que ela provavelmente nem conhecerá, passa a sofre muito. As decisões de Holly o seu sofrimento são escolhas difíceis, que fazem o leitor se identificar com os questionamentos e com a ideia se ver o futuro mas não saber como mudá-lo. Como seria saber que você irá morrer antes de aproveitar a felicidade de ter uma família completa? Saber que deixaria pessoas sofrendo a sua falta? Holly precisa escolher entre viver com o marido e não ter filhos, ou ter filhos e deixar o marido para sempre.

A autora Amanda Brooke usou toda sua sensibilidade para nos fazer pensar sobre o amor de mãe e filha e, além de uma escrita que nos proporciona uma leitura fluente, ela nos apresenta a personagens marcantes que passam a compartilhar suas emoções conosco. Eu gostaria muito de falar de uma personagem em especial, porém  se eu comentar qualquer coisa, irei estragar todo o encanto. Só adianto que a mensagem final do livro e incrível e prova como, às vezes, as pessoas que não tem nosso sangue podem ser importantes como se fossem da família.