[Resenha] Reconstruindo Amelia | Kimberly McCreight


Título: Reconstruindo Amelia
Título Original: Reconstructing Amelia
Autora: Kimberly McCreight
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412857
Número de Páginas: 352
Gênero: Thriller, Suspense, Policial
Sinopse: Você conhece a pessoa que mais ama no mundo?Kate Baron achava que sim até receber a devastadora notícia de que Amelia, sua filha de 15 anos, cometeu suicídio pulando do telhado do colégio particular onde estudava. Poucos dias depois, entretanto, uma mensagem anônima em seu celular revela que a morte de sua filha talvez não tenha sido da maneira que as autoridades alegaram.
Amelia pode ter sido assassinada? Como advogada, Kate está determinada a descobrir a verdade e, para isso, mergulha no passado da filha, recolhendo cada fragmento de e-mail, cada linha dos textos do blog, cada atualização de status do Facebook.
Sempre um passo atrás da verdade, ela descobre um lado de Amelia que nunca imaginaria que existisse. Este impressionante romance de estreia vai além de uma história sobre segredos e mentiras. Narra a busca de uma mãe tentando reunir cada detalhe possível para reivindicar a memória da filha que não pôde salvar.
"O mundo se tornou um lugar mais sombrio sem ela."
 Quando vi os lançamentos da Arqueiro, "Reconstruindo Amélia" foi um dos que mais me chamou a atenção porque faz um tempo que não leio um thriller ou um suspense, mas eu não esperava que o livro fosse muito bom. Eu achava que ia ser uma boa leitura, um livro que fosse me prender durante a leitura, mas não um livro incrivelmente maravilhoso. Acho que ainda não estou muito bem, digamos assim, para falar do livro, mas como eu acho que minhas resenhas ficam melhores quando estou "no calor do momento pós leitura", aqui estou, para falar desse thriller eletrizante, sensível, emocionante, chocante, perturbador e incrível. 
"Afinal, não foi só um erro, uma única vez. Foi um verão de más escolhas provocadas por uma vida inteira fazendo as escolhas certas. Pelo visto, eu só conheço um jeito de errar: magnificamente."
 Kate Baron é uma mulher que, além de ser mão solteira, não tem tempo nem para ela, nem para a filha. Kate vive focada no trabalho, sempre sai cedo e chega tarde em casa, não tendo nada mais do que o final de semana para passar com a filha. Mas, ao mesmo tempo que ela acha que deveria achar uma solução, ela acaba não tendo muito o que fazer, já que demorou e batalhou pelo seu cargo de advogada - na verdade, uma das melhores, se não a melhor - na empresa onde trabalha. Ela sabe que está em falta com a filha, mas depois de guardar segredos e não se esforçar para saber mais sobre sua própria filha, é só quando o pior acontece que ela tentará conhecê-la, finalmente.
"Alguém que se esforçava tanto para não falar de algo devia ter muito a dizer."
 Amelia é uma adolescente que gosta de ler e escrever, além de passar um tempo com sua melhor amiga, Sylvia, mas no seu segundo ano do Ensino Médio muita coisa irá mudar, começando com o conceito dela sobre os grupos secretos do colégio. Ela e Sylvia sempre foram do tipo que fala com qualquer pessoa, independente do grupo que participe e, mesmo não sendo tão populares assim, estão satisfeitas por terem uma outra, até que Amelia recebe um convite inusitado para fazer parte das Magpies, um grupo secreto só de garotas do Grace Hall e, mesmo tendo a sensação de ser algo errado a se fazer, ela se sente bem já que, pela primeira vez em anos, ela tem um segredo só dela, assim como Sylvia também tem.
"O que se faz por amor sempre ocorre além do bem e do mal"
 Eu, realmente, não esperava gostar tanto do livro como eu gostei. A escrita de Kimberly McCreight é incrivelmente envolvente e os capitulos são alternados. A cada inicio de capitulo temos a data  e em quem o capitulo é focado - quando é em Amelia, a narrativa é em primeira pessoa, quando é em Kate, a narrativa é em terceira pessoa. Algumas páginas possuem apenas posts de Amelia no Facebook, ou uma troca de mensagens no celular com alguns de seus amigos e, bem.. outras pessoas. Ao mesmo tempo em que Kate tenta descobrir o que levou sua filha a se suicidar ou o que levou alguém a matá-la, nós vamos acompanhando os pensamentos de Amelia e o que realmente estava acontecendo em sua vida.

 É inexplicável a sensação de desespero, tensão e ansiedade que toma conta do leitor a cada capitulo que segue. Eu senti como se o livro fosse, para mim, uma mistura da série Pretty Little Liars, do livro "Tudo o Que Ela Sempre Quis" (resenha aqui) e da série Gossip Girl. No colégio existe um blog chamado GrAcIoSaMENTE (sim, escrito desta maneira) e, bom.. indico que vocês, ao lerem o livro, prestem atenção em cada post, em cada conversa, em cada detalhe. Esta é uma daquelas histórias em que qualquer detalhe é importante e faz uma grande diferente. 

Eu não quero falar muito sobre as personagens - acredito que a leitura será mais proveitosa se vocês conheceram as mesmas da mesma forma que eu conheci -, mas quero ressaltar a relação de Amelia com a mãe. É tão inacreditável ver como uma mãe pode ser tão distante de uma filha. Ao longo da leitura entendemos alguns motivos de Kate, mas em outros, é de dar raiva saber que, tantas vezes, a filha pensava em conversar com ela e perdia a oportunidade por conta do trabalho da mãe. Entendo que Kate, muitas vezes, chegou a perguntar a filha se ela se importava, mas o esperado era que a mãe percebesse que sim. Confesso que, no final do livro, o epilogo me deixou um tanto emocionada e terminei a leitura com uma grande vontade de ler "Rumo ao Farol", de Virginia Woolf (autora preferida de Amelia).

 A única coisa, em todo o livro, que eu senti falta foi da cena final de Liv. Uma personagem que se tornou, de repente, tão importante, no segundo seguinte foi esquecida. Acho que, tendo um papel um tanto quanto importante na história, a autora não achou que a última explicação dela fosse a desejar. De fato, durante a leitura, eu me senti incomodada ao imaginar se seria mesmo a última cena que ela seria mencionada, e acabei esquecendo ao  seguir com a leitura por conta de outras revelações, mas fazendo a resenha acredito que uma ou duas páginas a mais com um diálogo dela de Kate seria melhor do que uma frase de Lew.
"Ter medo é mais seguro."
"Reconstruindo Amelia" é um thriller eletrizante que mistura romance, drama, suspense e muito mistério, que possui personagens marcantes e um enredo muito bem estruturado. Kimberly McCreight conseguiu escrever um livro onde, além de fazer o leitor se sentir dentro da história, nos faz pensar sobre nossos próprios atos. Ela aborda temas como preconceito, bullying, homossexualidade e, principalmente, amor, família e amizade. Será que conhecemos, realmente, as pessoas que estão a nossa volta? Será que é melhor acreditar no que é óbvio ou tentar ler nas entre linhas? Para descobrir, vocês precisam ler o livro.

Segundo informações do Deadline (em maio do ano passado) o livro teria uma adaptação pela HBO e Blossom Films, e Nicole Kidman seria a produtora executiva do longa, além de interpretar Kate. Até o momento não temos previsão de lançamento ou alguma novidade.