[Resenha] A Bandeja | Lycia Barros

 
Titulo: A Bandeja
Autora: Lycia Barros
ISBN: 8577670244
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 252
Gênero: Romance, YA
Sinopse: Aos 18 anos, Angelina está prestes a viver o maior desafio de sua vida: sair de Petrópolis para estudar no Rio de Janeiro, deixando para trás os cuidados e a proteção de seus pais.
Assim que se instala na república de estudantes e começa a assistir às aulas, a jovem percebe que as dificuldades serão muitas. Ela divide um quarto com uma colega desorganizada, uma frequentadora assídua de festas e chopadas que vive cercada de más companhias. Além disso, as condições das instalações da faculdade são precárias e os professores não parecem comprometidos.
Angelina já está desanimando de sua nova vida quando esbarra no lindo Alderico – ou Rico –, um cara capaz de fazer qualquer garota perder o fôlego. O que ela não poderia imaginar era que Rico é seu professor de linguística e se interessaria por ela também.
Deslumbrada com a descoberta da paixão e certa de que Rico é seu grande amor, Angelina se joga de cabeça nessa relação, ignorando todos os conselhos que recebera dos pais a vida inteira.
Ao mesmo tempo ela começa a ter sonhos que não consegue entender: homens lhe oferecem objetos numa bandeja e, logo depois que Angelina aceita seus presentes, eles se transformam em feras e desaparecem numa floresta.
Primeiro volume da série “Despertar”, A bandeja é um romance arrebatador que retrata os dramas e as provações pelos quais qualquer jovem passa quando se afasta de sua essência e deve trilhar de novo o caminho do amor verdadeiro e de Deus.
"[...] a vida é assim mesmo. A gente sempre almeja aquilo que nos parece inacessível."
 Faz tempo que eu gostaria de conhecer a escrita da Lycia Barros, mas só agora tive essa oportunidade. Tenho que admitir que  eu esperava um bom romance, uma boa escrita e, quem sabe, uma historia com personagens que fossem me proporcionar uma boa leitura, mas eu não esperava uma história tocante e emocionante, capaz de me fazer pensar muito sobre minha própria vida.

 Angelina é uma menina que está prestes a viajar para o Rio de Janeiro para realizar o sonho de se formar na faculdade. Chegando na república dos alunos as primeiras decepções aparecem: o local é totalmente sujo, sua colega de quarto é muito bagunceira e usa drogas com as amigas. Angelina já percebe que vai ter que ser muito perseverante para aguentar os próximos anos vivendo ali, mas o desejo de se formar é maior. Além do mais, nem tudo pode ser ruim. Logo no primeiro dia de aula ela conhece um cara super gato e aproveita para desabafar sobre o atraso e a falta dos professores logo no primeiro dia de aula. Para sua surpresa, o cara era o seu próximo professor, mas ao invés de ficar com raiva dela, pode ser que outro sentimento tome conta dos dois.

 Angelina é uma personagem muito religiosa, mas que às vezes acha os conselhos dos pais exagerados., mesmo tendo crescido acostumada aos princípios religiosos. Quando conhece Alderico, ou melhor, Rico, ela descobre novos sentimentos que parecem tão bons que a fazem mentir para a própria família, uma vez que ela só quer preservar o seu novo relacionamento sem que nada, nem ninguém, a façam pensar que pode ser ruim ou dar errado. O problema é que, no fundo, ela sabe que a errada é ela mesma.

 O romance presente no livro mostra o lado bom e o lado ruim do amor: ao mesmo tempo que estar apaixonado pode nos deixar mais felizes, sonhadores e confiantes, pode nos afastar de pessoas importantes e, até, de nós mesmos. Acontece que, muitas vezes, uma pessoa começa a namorar e esquece não só dos amigos, como de si própria. Ela passa a viver em função da pessoa amada, sempre querendo agradá-la, sempre contando os minutos para vê-la. Eu tenho amigos e amigas que são assim, e esse foi a primeira coisa que me fez me identificar com a leitura.

 A religião é abordada de forma muito interessante no livro. Eu sou católica e acredito que nada é por acaso. Acredito que Deus nos reserva coisas maravilhosas, a única coisa que temos que fazer é ter fé e acreditar que tudo é possível. Ser negativo não leva a nada além de fazer você duvidar de si mesmo, e não é isso que Deus quer para a sua vida. Pode ser ficção, mas os sentimentos presentes no livro são muito reais. Como é dito no próprio livro, não importa a sua religião, o que realmente importa é ter Deus em sua vida - e o que mais me fez pensar durante a leitura foi realmente isso. Nos agradecimentos, a autora diz "Se este livro está em suas mãos agora, Deus quer falar com você. Simplesmente, ouça." E foi justamente isso que senti ao ler o livro. Foi como se Deus quisesse falar comigo através desse livro, como em um daqueles sonhos que parecem tão significativos que você sabe que deve tentar interpretá-lo (o livro fala disso também), como em um daqueles acontecimentos inesperados que você tem certeza que Deus está ali.

 A narrativa de Lycia é muito fluida, envolvente e tocante. Ela usa as palavras certas para te transmitir os mesmos sentimentos da personagem e, a melhor parte, é que mesmo o foco principal do livro sendo a Angelina, a autora nos apresenta a personagens que estão cheios de ensinamentos para os leitores: Raimunda, Carla, Michelle, Dante () e até Desiree. Cada um tem o seu problema, cada um tem seu momento e cada um é importante em algum momento. Dante, principalmente, pois ele é uma pessoa tão  boa e cheia de fé, que dá vontade de abraçar e não largar nunca mais.

 "A Bandeja" é um romance incrível que merece sua atenção. Ele é um livro escrito para você! Sim, você que está lendo essa resenha e que talvez ainda tenha dúvidas se deve ou não ler. Você que tem dúvidas sobre suas escolhas e sobre sua vida. Lycia Barros é uma autora que consegue tocar o leitor de uma forma única e nos reserva bons momentos durante a leitura. Hoje, eu não tenho mais dúvidas: quero muito mais livros de Lycia Barros.