[Resenha] Fênix: A Ilha | John Dixon

Autor: John Dixon
Título: Fênix: A Ilha
ISBN: 9788581633824
Grupo Editorial: Novo Conceito
Selo: Novo Conceito
Número de páginas: 336
Gênero: Ficção, Aventura
Sinopse: Sem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A I lha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos?
"Recupere o fôlego. Isso mesmo. Primeiro o fôlego, depois a mente."
 Carl Freeman é um garoto de 16 anos e, mesmo com pouca idade, viverá os piores dias cruéis de sua vida. Carl é campeão de box, é valente, focado e pavio curto. Sua mãe morreu de câncer, seu pai era policial e ele sofreu muito quando foi atingido por um tiro. Ele e o pai tinham uma relação muito boa, que se tornou ainda mais próxima depois do acidente. O problema é que, quando Carl presencia algo que é injusto, ele não mede as consequências e parte pra agressão. Ele não tem limites, quando vê ele já fez e, assim, aos olhos dos outros é considerado muito perigoso e é logo condenado. Um garoto que tinha uma vida normal ao lado de seus pais agora é órfão tendo vários pais adotivos e se metendo em encrencas. Mas será que Carl era  mesmo só mais um revoltado?

 Então surge uma esperança: ir para ilha Fênix. A ilha Fênix seria um lugar que recruta jovens para fazer do mundo um lugar melhor onde garotos, e também garotas, que agem de maneira violenta são obrigados a seguir regras como se estivessem em um exército, aprendendo pesado como sobreviver e como lutar. E seria só isso mesmo?  Os dias passam, o perigo é constante, a convivência é difícil e, no meio de tanta maldade, Carl consegue fazer amizades e percebe que a única maneira de sobreviver é se controlar, mas terá uma hora que seu limite vai chegar e as ameças e brigas só vão despertar ainda mais raiva e coragem nele.

"Deus está de férias até você sair da ilha Fênix."

 A leitura do livro foi realmente assustadora. Sim, eu fiquei sem palavras em certos momentos da história! Você pode chegar a ficar em pânico ao descobrir toda a verdade. Carl é um personagem forte que ainda muito jovem sofre tanto sendo julgado como se fosse um bandido. Ele é cruelmente maltratado e  quando você lê tudo o que ele passa, chega a parecer um exagero se imaginar tudo aquilo. O acampamento é de total violência que chega ao extremo.

 O autor consegue nos deixar intrigados com tanta maldade e tiveram trechos que realmente me incomodavam. A leitura é rápida, os acontecimentos são eletrizantes e, mesmo achando tudo uma barbaridade, é impossível não gostar da leitura. John Dixon foi bem ousado ao apostar nas extremidades das ações brutalmente cometidas pelos seus personagens. Muitos são frios, calculistas e, a todo momento, eu ficava imaginando como seria um filme desde livro (com certeza teria muito sangue!), mas descobri que ele deu origem à série Intelligence, que possuiu várias mudanças no roteiro, mas que infelizmente foi cancelada - mesmo quando já tinha data de estréia. 
 A diagramação linda desse livro está linda! A cada inicio de capitulo temos árvores retratando a ilha, e dando um ar ainda mais misterioso ao livro. O livro tem mais de 300 páginas, as folhas amareladas e a fonte de um tamanho que não cansa a leitura. Eu não gostei tanto dessa capa quando a vi pela primeira vez, mas com certeza, ela representa bastante o enredo.
"O mundo é uma grande piada, e você é a frase de efeito..."

 Narrado em terceira pessoa, "Fênix: A Ilha" é um livro tenso e intenso, com personagens frios e surpreendentes, capazes de nos deixar cada vez mais ansiosos pelo final. Este é um livro que contém ação, aventura, suspense e pânico, que mostra muito sobre aqueles que lutam pela própria sobrevivência sem saber se escaparão com vida dessa situação. A única coisa ruim do livro é que ele é uma série (parece que quanto mais eu evito séries, mas elas aparecem, pessoal risos), mas o que me resta é ficar bem ansiosa para saber o que mais Carl enfrentará nessa ilha de pesadelos.