[Resenha] O Livro dos Vilões | Cecily Von Ziegesar, Carina Rissi, Diana Peterfreund e Fábio Yabu


Titulo: O Livro dos Vilões
Autores: Cecily Von Ziegesar, Carina Rissi, Diana Peterfreund e , Fábio Yabu
Grupo Editorial: Record
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501042101
Número de Páginas: 320
Gênero: Romance, Contos,
Sinopse: Organizado da mesma forma que O livro das princesas – também com o esquema de dois populares autores nacionais, e dois nomes famosos do exterior – O livro dos vilões reúne estes autores para uma coletânea de contos sobre vilões icônicos dos contos de fadas. As irmãs de Cinderela? Malévola? Madrastas e lobos? Carina Rissi, Cecily Von Ziegesar, Diana Peterfreund e Fábio Yabu estão aqui com a mensagem: este não é um livro tão bonzinho quanto o seu antecessor. · Cecily Von Ziegesar é a popular autora das séries It Girl e Gossip Girl, esta última que inspirou o seriado na televisão. · Diana Peterfreund é autora das séries Sociedade Secreta e Caçadora de Unicórnios. · Carina Rissi é autora dos populares Procura-se um marido e Perdida, publicados pela editora Verus, que já venderam mais de 40 mil exemplares no Brasil. · Fábio Yabu já publicou, pela Galera, seu livro A última princesa.
"Não é sempre que tenho a oportunidade de narrar o que de fato aconteceu comigo. você provavelmente já escutou essa história antes, mas com certeza não ouviu a verdadeira história"
 Quando eu li "O Livro das Princesas" e soube que haveria "O Livro dos Vilões" fiquei logo ansiosa. Eu adoro releituras (sempre falo isso aqui no blog!) e mal podia esperar para saber quais eram as escolhas dos autores. Quando o lançamento foi anunciado eu fiquei ainda mais ansiosa ao saber os contos que ganhariam versões modernas e, quando o livro chegou, eu estava estudando para umas provas e pensei: "Vou ler apenas o primeiro capitulo e voltar para os estudos". Vocês acharam que eu tive vontade voltar para a matemática e para a física?
"Ela havia chegado tarde e ia embora cedo, desaparecendo na noite de Nova York - para sempre, esperavam algumas."
Em "#stepsisters - Sobre Sapatos e Selfies", de Cecily Von Ziegesar, conhecemos Dizzy e Nastia, duas irmãs lindas, populares, ricas e gêmeas. Com milhares de seguidores no instagram, elas compartilham o seu dia-a-dia através de selfies que são curtidas milhares de vezes em poucos segundos e, mesmo tendo vários admiradores, as duas só tem olhos para um garoto: Manchild Kennedy, um verdadeiro Kennedy que todas as meninas querem ter e todos os meninos querem ser. 

 Em um baile beneficente, as gêmeas acreditam que conseguirão fazer Manchild notar sua presença, mas uma garota misteriosa que tem o vestido dos sonhos de qualquer garota e os sapatos que elas tanto queriam roupa a atenção de todos os presentes e, principalmente, de Manchild.

  Este conto é uma releitura de "Cinderela" e eu gostei muito da forma como a autora conseguiu trazer algumas características marcantes (como o príncipe e o sapatinho) para os dias atuais, abordando temas como vaidade, inveja e interesse. Por outro lado, achei que as irmãs não ficaram tão diferentes do que são em outras adaptações literárias e cinematográficas, tirando o fato das selfies e de elas serem, de fato, as protagonistas do conto. Mas tenho que falar que a narrativa da autora é muito fluida e, como é em terceira pessoa, o conto acaba nos dando informações sobre Cindy também.
"Modéstia é uma palavra que não consta no meu vocabulário."
 Em "Menina Veneno" Malvina é uma modelo internacional que faz as campanhas das melhores marcas de roupas, sapatos, perfumes e etc. Ela é a viuva de Henrique Neves, um talentoso piloto de fórmula indy que morreu ao perder o controle em uma de suas corridas. Ela não era apaixonada por ele, mas gostava de ter alguém que a mimava não só com jóias, mas com admiração. Depois de sua morte ele a deixou, não só seu nome, como uma grande responsabilidade que ela teria que aguentar por mais alguns anos: Bianca, sua filha.

Ainda não consegui decidir se esse ou o último conto do livro é meu favorito. A escrita de Carina Rissi é incrível e única. A autora consegue te prender do inicio ao fim, além de ter colocado todos os elementos do conto original ("Branca de Neve") em sua releitura de uma forma moderna, criativa e interessante. Você torce pelo "final feliz" da vilã, passa a sentir o mesmo que a personagem principal em relação à sua enteada e, ao terminar a leitura, só consegue ter um sentimento: o desejo de mais!
"É melhor comprar amizade, penso, do que desdém, que é o que estivemos traficando por gerações."
 "Quando Mais Afiado o Espinho" nos apresenta Malena, uma adolescente que nunca foi ao colégio pois vem de uma família onde a tradição é aprender poções, não matérias escolares. Ela, com o desejo de se juntar e conhecer pessoas "normais", faz um acordo com sua mãe: ela passa a estudar as sabedorias da família às noites e aos finais de semana, se a mãe deixá-la cursar o ensino médio. Como a boa bruxa que é, a mãe de Malena cumpre seu acordo enquanto a filha tenta se enturmar antes mesmo de ir ao colégio, mas ela acaba conhecendo três amigas (Flo, Dawn e Marie) que podem se mostrar não tão amigas assim.

 Não fui com a cara de Flo, Dawn e Marie desde o inicio! (risos) As três amigas me pareceram falsas desde a primeira fala e minha maior vontade era de poder conversar com Malena sobre as mesmas. A leitura do conto começou muito rápida, porém a partir de um certo momento, senti que a autora Diana Peterfreund se perdeu. Ela quis abordar temas como bullying, primeiro amor, falsidade e vingança, mas não conseguiu me convencer em todos. De qualquer forma, gostei da forma como Malena me envolveu com sua história e a narrativa em primeira pessoa com certeza ajudou.
"Não fora Ele quem criara aquele mundo, mas era Seu designio divino cuidar ara que as histórias permanecessem para sempre encantadas."
 Por que o lobo sempre é o vilão das histórias? Por que ele não pode narrar sua história e contar para as crianças do mundo o que passa em sua cabeça? E, por que o Narrador nunca aparece? Todas essas perguntas terão uma resposta depois da leitura de "A Menina e o Lobo", conto escrito por Fábio Yabu de uma maneira mais que incrivel. O autor consegue nos fazer questionar várias coisas e, ao mesmo tempo, nos impressiona com as respostas e com o mundo onde se passa seu conto. Adorei a forma como ele inovou em diversos aspectos e faz com que o leitor se divirta e se emocione (não é uma emoção de choro, é uma emoção de admiração) com o rumo que o Lobo tem e, sem dúvidas, com as surpresas que são reservadas para  o final, além do mistério que envolve tantos outros contos de fada.

 O conto tem o Lobo como personagem principal, mas além dos personagens de suas histórias (os três porquinhos e Chapeuzinho, por exemplo), temos as princesas, os anões, os caçadores, as bruxas e por aí vai. Já deu para perceber o que o conto nos reserva? Ah! E posso dizer, também, que os leitores de J.K. Rowling e fãs de atores como Jennifer Lawrence e Brat Pitt também irão gostar da história!
"A vida raramente oferece uma segunda chance, então faça bem feito na primeira vez."
 "O Livro dos Vilões" ganha 5 estrelas pelo conjunto completo: releituras modernas que, mesmo que não agradem completamente a todos (acho difícil isso acontecer!), prendem o leitor até a última página e nos fazem imaginar diversas coisas a respeito dos vilões e dos mocinhos das histórias que tanto adoramos. Fico na torcida para que a Record pense em um novo livro que siga esse esquema de releituras!