[Resenha] Vermelho Como o Sangue | Salla Simukka

Título: Vermelho Como o Sangue
Título Original: As Red As Blood
Autora: Salla Simukka
ISBN: 9788581635804
Grupo Editorial: Novo Conceito
Selo: Novo Conceito
Número de Páginas: 240
Assuntos: Ficção, Thriller, Suspense
Sinopse: No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue.
Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos.
Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios.
Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.
"Era uma vez uma menina que aprendeu a ter medo. Contos de fadas não começam assim. Outras histórias, mais sombrias, sim." 
 Eu adoro releituras. Mais ainda quando a releitura não tenta mudar os fatos que aconteceram na história em que foi baseada e, sim, os moderniza ou nos faz vê-los de outra maneira. Quando Vermelho Como o Sangue foi anunciado como lançamento da Novo Conceito eu fiquei super ansiosa para conhecer a personagem adolescente que, pela sinopse, parecia muito determinada e me lembrava um pouco a Branca de Neve da série Once Upon a Time.
"Ela era a peça o quebra-cabeça que não tinha seu próprio lugar, mas poderia de repente preencher quase qualquer buraco que fosse necessário. Ela não era como os outros. Ela era exatamente como os outros."
 Lumikki Anderswon é uma garota de 17 anos que aprendeu a se virar sozinha cedo. Ela mora longe dois pais e é totalmente independente, além de ser uma garota forte e destemida. Ela prefere não chamar atenção e gosta de ser ignorada pelas pessoas à sua volta, mas um dia ela se envolve com os mais populares da sua faculdade da pior maneira possível: através de um crime.
"Dentro de você, há sempre uma parte sua que ninguém pode tocar. Você é você. Você é sua e dentro de você está o universo. Você pode ser o que quiser. Você pode ser qualquer pessoa."
A narrativa de Salla Simukka foi uma surpresa para mim; em parte boa e na maior parte ruim. Eu gosto muito da narrativa em terceira pessoa por ela ser mais detalhada do que a narrativa em primeira e poder abordar os pensamentos mais de um personagem de uma vez. A narrativa de Vermelho Como o Sangue é em terceira pessoa mas não possui tantos detalhes e eu meio que não consegui "me adaptar" logo de cara. Salla tem uma narrativa muito inovadora e, o fato de não ser detalhista, me deixava pensando: "e o que mais, e o que mais?", quando na verdade, era isso que a autora queria: fazer com que os leitores anseiem por mais detalhes e sigam a leitura curiosos. Eu posso não ter me identificado, mas os que não gostam de detalhes irão gostar da maneira rápida como tudo acontece.

 Lumikki é uma personagem muito ágil e, apesar de ser aquele tipo de personagem que consegue lidar com tudo independente de qualquer coisa, algo me diz que seu passado e seus sentimentos mais profundos vão ser assunto nos próximos dois livros da trilogia. Algo interessante é que o nome da personagem principal é Branca de Neve em finlandês, idioma da autora, e a ideia para os livros e uma releitura dessa personagem que todos conhecemos, foram os títulos. Vermelho Como o Sangue é seguido de Branco Como a Neve e Preto Como Ébano e, na história da Branca de Neve, sua mãe deseja ter uma filha "branca como a neve, com os cabelos negros como o ébano e os lábios vermelhos como o meu sangue!" e isso acontece. A autora achou que seriam bons títulos para uma série policial e acho que ela estava certa.

 Mesmo que o livro seja baseado no conto, não pense que tudo será igual. Apesar de termos algumas características presentes, o suspense e a investigação vão muito além. Eu gosto bastante de thrillers e, principalmente, quando o autor nos engana ao nos deixar pensar que esqueceu alguma coisa lá do início do livro e, chegando no final, ele vem e nos surpreende com aquela peça do quebra-cabeça. Salla consegue fazer isso muito bem e, mesmo com alguns personagens que eram totalmente indiferentes na história, ela consegue nos deixar familiarizados com Elisa, por exemplo.
"Não procure o poder por vingança. Procure o poder para evitar situações que a fariam querer vingança."
 Faltou só um pouquinho para o livro ser muito bom para mim. Acho que criei muita expectativa sobre a história, mas o que me decepcionou foi mesmo a narrativa. A história em si não deixa a desejar, mas a falta de detalhes sim. De qualquer forma, Vermelho Como o Sangue tem um enredo muito bom, repleto de suspense, e um desfecho que deixa os leitores tensos ao perceberem que, agora, o que resta é esperar pelo próximo livro. 

 Hoje foi realizado um Hangout com a autora Salla Simukka. Recebi o convite da Novo Conceito, porém não pude estar presente por problemas técnicos, então a Lívia fez algumas de minhas perguntas, o que me fez aproveitar o bate-papo de qualquer jeito. Para conferir, clique aqui.

Comentários

  1. Não gosto muito de histórias assim porque sou muito ansiosa e tenho um treco antes do livro chegar no final, porém não posso bloquear essa parte que me fez sentir completamente atraída pelo livro! Gostei muito da sua resenha, e pelo que vi vou adorar esse livro ♥ Entrou para minha lista de leitura (e olha que comecei a ler a resenha achando que não ia me interessar nem um pouco!).

    Beijocas!

    Meninas Quase Invisíveis

    ResponderExcluir
  2. Oiee

    Eu li esse livro no fim de semana passado e gostei bastante , adorei a narrativa da autora mas não dei nota mãxima porque achei que tudo era muito rápido e algumas cenas de Lumikki irreal como quando ela faz para sair com as caixas de cerveja em cima dela rssr ma de resto a história como um todo é boa para sair de uma trama mais densa, e apesar de ser policial e meio suspense não senti nenhum medo e não achei tão misterioso assim.

    Beijos
    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adoro esse tipo de livro e ele é o meu gênero favorito. Não conheço a autora, mas lendo a resenha fiquei curiosa emrelação ao livro. Quero ler em breve.

    ResponderExcluir
  4. Esse livro realmente tirou o ar de muita gente.
    Galera que se interessou por ele: tem sorteio no Palavras Radioativas, na qual Vermelho como sangue e outros cinco livros e marcadores estão sendo sorteados!

    http://palavrasradioativas.com/sorteio-de-livros-e-marcadores-exclusivos/

    Beijos!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Queremos saber sua opinião ;)

Postagens mais visitadas