O ano (par) da minha vida


 Eu não sou muito supersticiosa (podem varrer meu pé, mas também não deixo chinelo virado), mas se tem uma coisa que eu acredito, mais do que qualquer superstição, é que ano par é sempre ruim. Não que nos ímpares não aconteça nada de ruim, né, mas é sempre no ano par que acontece alguma coisa de ruim que marca a minha vida. No último dia de 2013, quando sentei para escrever o último post do ano no ML, fiquei com aquela sensação de dever cumprido, de felicidade, ainda mais depois de escrever e me dar conta de tudo o que tinha acontecido comigo de bom naquele ano. Me lembro de como terminei o post com um sorriso no rosto, pensando no quão maravilhoso aquele ano tinha sido e me perguntando o que 2014 poderia trazer de bom. Eu só não imaginava que, um ano depois, eu estaria aqui, no mesmo sofá, iniciando um novo post sobre mais um ano, ainda mais feliz do que naquele dia.


 O ano que se termina hoje é um dos que mais sentirei falta. Foi o ano em que milhares de coisas boas aconteceram, muitas relacionadas ao blog e outras muitas não. Para vocês terem noção:

  • eu apresentei/mediei 11 eventos - sendo um na Bienal de SP e um de uma autora irlandesa;
  • organizei uma Feira Literária que teve a presença de mais de 900 pessoas em um desses sábados de 40º do RJ com a presença de 47 autores e 10 editoras;
  • participei de 5 Hangouts a convite do Grupo Editorial Novo Conceito;
  • fui reconhecida algumas vezes na Bienal de São Paulo (!) e várias em eventos aqui no Rio como "a menina dos Hangouts" (valeu por mais essa, NC haha);
  • levei 17 autores para palestrar nas Unidades do meu colégio, fui leitora beta de 13 livros - sendo um de uma autora britânica;
  • fui colunista literária do Pauta Rio, entrevistei 9 autores para o Papo Literário no blog - sendo 7 autores internacionais e 2 nacionais em vídeo;
  • fui para a minha primeira Bienal do Livro de São Paulo;
  • fui Correspondente Novo Conceito na Bienal de São Paulo;
  • estive nos Agradecimentos de cinco livros;
  • tive meu nome na contracapa de um livro;
  • terminei o Ensino Médio com o troféu "Você Faz a Diferença" do meu colégio graças às palestras e o incentivo à leitura;
  • e no meio disso tudo, li 132 livros (sim, sim, sim, no ano mais cheio da minha vida eu passei dos 100 livros... acho que os intervalos dos cursos e pré-vestibular ajudaram hehe).

 Acho que deu para perceber como o ano foi incrível apenas com os acontecimentos relacionados ao blog, não? Quero aproveitar e deixar alguns agradecimentos:

 Aos autores que me convidaram para ser leitora beta, aos que me convidaram para mediar seus eventos, aos que aceitaram meus convites  para uma entrevista, para palestrar no colégio e para participar da Feira Literária. São eles, nacionais e internacionais, em ordem alfabética: Adriana Brazil, Aimee Oliveira, Babi Dewet, Bianca Carvalho, Bruna Fontes, Bruna Paiva, Bruna Vieira, C.J. Redwine, Camille Labanca, Carlos Eduardo Bezerra, Carolina Estrella, Cátia Mourão, Cecelia Ahern, Christine M., Clara Savelli, Collen Hoover, Danilo Barboza, Edson Gomes, Eduardo Albuquerque, Eduardo R. S., Emes de Fátima, Fábio Abreu, Fátima Venceslau, Fernanda Belém, Fernanda França, FML Pepper, Graciela Mayrink, Giulia Paim, Iris Figueiredo, Isabela Freitas, Janda Montenegro, Jessica Brockmole, Jojo Moyes, Larissa Siriani, Leandro Schulai, Leonardo Medeiros, Louisa Reid, Lu Piras, Lucas Borges, Luciane Rangel, Lucinei Campos, Lucinda Riley, Lycia Barros, M. Pattal, Marcia Rubim, Marina Carvalho, Marco de Moraes, Maurício Gomyde, Molly Hopkins, Mônica Sperandio, Monique Sperandio, Nanuka Andrade, Rafael Lima, Renata Ventura, Samanta Holtz, Sheila Mendonça, Sidney Santborg, Tammy Luciano, Thalita Rebouças, Thati Machado, Victoria Van Tiem, e Vinicius Grossos.

À três amigos especiais que o mundo literário me deu através da internet:
Caleb, o Viajante Literário que não me ouve falando só de livros como de Ed Sheeran; Maju, que virou uma amiga pra vida depois de uma simples DM sem nem sabermos quem era quem (alô, destino) e Paty (com ênfase no "ty"), que apareceu de repente e já se tornou especial.

Aos amigos que o mundo literário e as editoras me deram:
Alê, Daiane, Fê Souza, Manu, Marcela, Ludson, Nara, Nati Alexandre (vocês são incríveis!).


 Obrigada à todos que fizeram o meu ano melhor e que tornaram 2014 o melhor ano par da minha vida. Se esse par já foi indescritível, espero que o ímpar que está chegando me surpreenda ainda mais.

 Feliz 2015, pessoal!

E só um lembrete:
é ano de Bienal ErreJota, galeeeera!