[Resenha] Amaldiçoado | Joe Hill

Título: Amaldiçoado
Título Original: Horns
Autor: Joe Hill
ISBN: 9788580413595
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 320
Assuntos: Sobrenatural, Drama
Sinopse: Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Além disso, descobre algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora. 
Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim. Joe Hill, autor de A estrada da noite e Nosferatu, já foi aclamado como um dos principais novos nomes da ficção fantástica. Em Amaldiçoado, o sobrenatural é pano de fundo para uma história de amor e tragédia, de traição e vingança. Um livro envolvente, emocionante e cheio de suspense que nos leva a refletir: em matéria de maldade, quem é pior, o homem ou o diabo?
“As pessoas não param de me contar coisas pavorosas. Ficam dizendo o que queriam fazer, coisas que ninguém jamais admitira. Uma garotinha acabou de me contar que tem vontade de botar fogo na cama da mãe dela [...]"
 Publicado anteriormente como O Pacto, Amaldiçoado ganhou uma nova edição com capa nova e Daniel Radcliffe nela. Acontece que no ano passado o ator deu vida à Ignatius Perrish nos cinemas e a Editora Arqueiro modificou o nome para que todos pudessem conhecer o livro que deu origem ao filme.
 "Agora vejo Deus como um escritor de livros populares sem imaginação, alguém que constrói histórias de enredos sádicos e sem graça, narrativas que só existem para expressar Seu horror pelo poder que as mulheres tem de escolher a quem amar e como, de redefinir o amor como acham melhor, não como Deus acha que deve ser. O autor não merece seus próprios personagens. O Diabo é acima de tudo um crítico literário, que atira esse impostor sem talento à retaliação pública que Ele merece."
 Há um ano Ignatius perdeu seu grande amor. Merrin foi estuprada e morta e depois de tanto tempo o culpado não foi encontrado. Pelo menos é o que Ig sabe, já que todos acreditam que, na verdade, ele é o assassino. Mas como poderia? Ele amava Merrin e sofre a perda desde então. Só que ao acordar em uma manhã qualquer após uma bebedeira, Ig acorda com uma ressaca daquelas e dois chifres nascendo em sua testa. Por mais horrível e anormal que aquilo fosse, as pessoas de sua cidade agiam normalmente ao vê-lo. Pelo menos aparentemente, já que ao se aproximar delas Ig ouve seus piores pensamentos, tem segredos revelados e pecados assumidos. Só que ele pode aprender a lidar com isso e tirar proveito da situação, já que alguém pode saber quem matou sua amada Merrin. Ele só não esperava que a pessoa que sabia sobre o acontecido estava mais próxima do que ele imaginava.
"Pobre Diabo"
 Eu estava com grandes expectativas para com o livro. Mesmo com a sinopse que revela parte da história, eu esperava que o livro fosse cheio de surpresas. De fato elas estão ali, mas dessa vez os flashbacks me fizeram sentir como se a narrativa tivesse altos e baixos. Acho que Joe Hill podia ter trabalhado eles de outra forma, ou simplesmente contado a história do início, sem que os flashbacks estivessem presentes, entendem? De qualquer forma, devo dizer que os personagens foram sim bem construídos e os sentimentos de Ig são passados para o leitor (o que torna a história emocionante, de certa forma).
 A capa da primeira edição do livro no Brasil - que foi publicado pela Sextante primeiramente - mantém o mistério e a primeira capa americana  também não revela a história, porém não é o tipo de capa que me chamaria atenção na livraria.

 A diagramação do livro é simples, o espaçamento de tamanho das fontes não deixam a desejar e as folhas amareladas ajudam no rendimento da leitura. O livro é fino, com pouco mais de 300 páginas, e acho a capa inspirada no filme perfeita para os que não leem sinopse e gostam de surpresas.

 Em um primeiro momento, principalmente por conta do título, podemos pensar que Amaldiçoado é um livro de thriller, mas o livro está mais para o sobrenatural, ao mesmo tempo que tem drama, suspense, ação e uma pitada de romance. Esse foi o primeiro livro que li de Joe Hill e, mesmo que eu esperasse mais, foi uma boa leitura e gostei da forma como o personagem é apresentado e como nos envolve, apesar dos altos e baixos na narrativa. Agora só preciso assistir o filme para poder comparar. Quem aí já leu e assistiu? O que acharam?

Comentários

Postagens mais visitadas