[Resenha] Tua | Claudia Piñeiro

Título: Tua
Título Original: Tuya
Autora: Claudia Piñeiro
ISBN: 9788576862901
Grupo Editorial: Record
Editora: Verus
Número de Páginas: 140
Assunto: Policial, Romance, Drama
Sinopse:  Inés está convencida de que toda mulher, em algum momento, será traída. Assim, não fica tão surpresa quando encontra um bilhete nas coisas de Ernesto, seu marido — um coração desenhado com batom vermelho, escrito “te amo” e assinado “Tua”. Porém, quando Inés percebe que a traição do marido vai muito além do que ela pensava, trama um plano de vingança do qual não haverá volta.
Tua é um romance policial vertiginoso, mas também um retrato implacável da vida íntima da classe média. Claudia Piñeiro capta com genialidade as vozes da sociedade contemporânea, entre elas a de uma dona de casa disposta a qualquer coisa para manter as aparências.
"Não se chora pelo leite derramado. Pegamos um pano e limpamos."
 Quem nunca julgou o livro por causa do número de páginas? Quando Tua chegou para mim eu pensei: "o livro é tão fino, será que a autora vai conseguir surpreender com tantas reviravoltas  e uma história sombria como a Elsa e a Rosa (eu, muito íntima) garantem?" Elsa Drucaroff   é uma escritora e crítica argentina e Rosa Montero é uma jornalista e escritora espanhola (para quem não conhece, ela tem sete livros publicados aqui no Brasil) que estão indicando o livro de Claudia Piñeiro na primeira orelha e me fizeram ficar curiosa para saber mais da história assim que li suas frases. Por sorte, eu estava errada e, sim, Claudia provou que não importa a quantidade de páginas, o livro pode ser mais do que surpreendente.
"[...] quando se é um casal, é preciso se cuidar todos os dias, senão a convivência vai nos matando."
 Inés começou a se relacionar com Ernesto quando tinha 19. Depois de três anos juntos sua mãe acreditava que estava na hora de casarem e, ao ver a relutância do namorado, ela resolveu pressioná-lo. Laura, a filha dos dois, tem hoje 17 anos e, por mais que tenha sido, de certa forma, uma solução, hoje parece um estorvo para mãe que mal sabe onde a filha está e que só se preocupa com o marido, mesmo que ele não esteja nem aí para ela. 
"[...] uma mulher que desenhava um coração com batom e assinava 'tua' não poderia ser alguém tão importante na vida de Ernesto. Eu conhecia meu marido, ele detestava esse tipo de coisa."
 Um dia, Inés começa a reparar que seu marido chega mais tarde em casa, está cada vez menos interessado nela e parece estar distante. E, como diz o ditado, quem procura acha: Inés encontra bilhetes, cartas e provas de que seu marido tem uma amante que assina como Tua. Ela começa, então, a prestar mais atenção nas atitudes do marido até o dia em que o segue e descobre a possível amante. O que acontece a partir daí mudará definitivamente a vida e a relação de Inés e Ernesto.
"Às vezes perdemos o rumo e somos capazes de pensar qualquer coisa. Ou fazer."
 Gente, gente, gente. Que livro incrível! Eu não duvidei de que o livro pudesse ser bom, mas realmente achei que, pelas poucas páginas, não poderia trazer grandes reviravoltas e me surpreendi totalmente de forma positiva! Não posso dizer muito pois cada detalhe pode ser um spoiler do final, mas a narrativa da autora, em primeira pessoa, nos faz sentir como em uma conversa com a protagonista onde a mesma é sincera e nos permite saber todos os seus pensamentos ela. Gostei da forma como Claudia  nos deixa livres para tirar conclusões e concordar ou não com sua personagem, ao mesmo tempo que guarda segredos nas entrelinhas, nos mostra que há mais do que já foi dito e que podemos estar errados por mais certa que a coisa pareça.

 Inés foi uma personagem que me tirou do sério no início. Como pode uma mulher ter parte das respostas em sua cara e tentar, de qualquer forma, ajudar o marido que visivelmente não a ama mais? Depois, comecei a entender que a autora criou uma personagem fácil de se conhecer na vida real - quem não conhece uma mulher ou tem uma amiga que se recusa a acreditar que seu relacionamento já não é mais uma maravilha? No final, Inés se mostrou a personagem que, não tenho dúvidas, é o que a maioria dos leitores do livro torcem para que ela se torne desde o princípio - e para saber sobre isso, você terá que ler.

 O único motivo para eu não dar 5 estrelas para o livro é a falta de aprofundamento na vida de Laura, filha do casal. Lali, como é chamada, não tem um bom relacionamento com a mãe e por mais razoável que seja o seu com o pai, este não é bom o suficiente. Entendo que a autora nos permite saber mais que do que os próprios pais de Lali durante o livro, mas já que os capítulos focados nela são narrados apenas em diálogos (sim!), pensei que talvez pudéssemos ter alguns parágrafos em terceira pessoa para saber sobre sua vida a partir de certo acontecimento. Só faltou isso! Na verdade, gostaria até de um spin-off dela.
"Porque, embora a justiça seja cega, eu me encarreguei de colocar-lhe óculos."
 Tua é o tipo de livro que faz os leitores repensarem sobre suas vidas e relacionamentos. Será que vale a pena sofrer para manter um casamento infeliz? Conhecemos realmente as pessoas que convivemos diariamente? A verdade é o que parece? Claydia Piñeiro faz o leitor virar cada página com mais ansiedade e termina seu livro com chave de outro. Sua história mostra que as aparências enganam, seus personagens são mais reais do que seus relacionamentos e seu último capítulo é como um tapa na cara. 

 Tua é o livro do Top Comentarista do mês no ML. Clique aqui para saber como ganhar.