[Resenha] Se Joga! | Nancy Levin


Título: Se Joga!
Título Original:
Autor: Nancy Levin
ISBN: 9788545200192
Editora: Gente
Número de Páginas: 192 
Gênero: Autojuda
Sinopse:Você não está feliz com os rumos que sua vida tem tomado e está deixando seus sonhos de lado.Sente-se num beco sem saída. E está errado! Existe uma nova rota. Só precisa fazer uma escolha – e esta é a coisa mais difícil pela qual já teve de passar. Falta coragem? Então este livro vai ajudá-lo. Nancy Levin teve de suportar uma grande dor, e sobreviveu! Sua superação aconteceu por meio do método que agora ela compartilha com você. São dez passos para se jogar em direção ao que sempre desejou, e finalmente realizar o que seu coração tanto lhe pede. Essa é uma jornada de aceitação e verdade para que você consiga visualizarse livre. Ao fazer sua escolha, terá clareza sobre seus limites, as pessoas certas ao seu lado e autodomínio para ir aonde quiser. Quando estiver pronto, saltará. E não estará sozinho! Este livro o acompanhará para que consiga lidar com as consequências da mudança e tenha uma transição suave. Por fim, o grande trunfo: dizer sim. Para você. Para sua vida. Para seus sonhos.
"Até que ponto você conhece o seu verdadeiro eu?"

Se Joga! chegou para mim de surpresa da Editora Gente. Quando vi o livro entre os lançamentos da editora ele não chamou minha atenção pois eu havia lido um livro parecido naquele mês, porém quando ele chegou de surpresa da Editora pensei que talvez poderia dar uma chance e aproveitar a leitura. É uma pena que não tenha sido completamente assim
"É o ponto de partida que leva aos próximos passo."
  Nancy Levin começa o livro contanto para os leitores o que aconteceu para que ela aceitasse a si mesma e chegasse a escrever esse livro: um dia seu marido encontrou todos os seus diários e os leu, descobrindo, assim, seus pensamentos sobre ele, o casamento, a família, os amigos, o emprego e etc. Ela só conseguiu se ver livre da "antiga ela" quando, dois anos depois da descoberta dos diários, ela e o marido se separaram. Foi então que ela se viu uma nova mulher, com novas oportunidades, um livro publicado e um emprego que a deixava feliz. E depois de muita experiência, Se Joga! surgiu.
"Uma vez que um pensamento se torna habitual você se quer percebe que está pensando nele."
 Nas primeiras páginas a autora nos apresenta aos 10 passos que conheceremos so longo do livro e que fazem parte do processo de aceitação. Temos conselhos como "Admita a si mesmo o que você já sabe!", "Diga a verdade a alguém que possa confiar", "Imagine-se livre", "Defina seus novos limites" e "Salte!" e, para cada um deles, há uma explicação que vai muito além do que se imagina ao ler os títulos dos passos. No final de cada um também temos um "Momento de Perdão", onde a autora nos aconselha a perdoarmos a nós mesmos pois, podemos não perceber, mas muitas vezes cometemos erros e erramos ainda mais ao não conseguir consertá-los pois não nos perdoamos por tê-los cometido.

 No geral eu achei o livro muito bom, mas ao contrário de vários livros do gênero que li por acaso, esse não me trouxe grandes mensagens. A autora consegue sim dar bons conselhos no livro e ser bem sincera a respeito de suas opiniões e pensamentos, mas a narrativa da mesma não me agradou. A escrita de Nancy é sim simples e direta, mas houveram momentos em que ela se repetia e isso me impediu de me envolver realmente. A maioria dos livros de autoajuda que li e gostei chegaram para mim da mesma forma que este, de surpresa, então não posso nem dizer que foi porque não estava muito interessada.

 Eu não sou muito de ler autoajuda mas não gosto quando o autor fica mencionando o que o fez mudar a todo momento. Gosto da introdução, de o autor contar um pouco da sua história para que o leitor possa se identificar ainda mais, porém quando a cada capítulo temos situações da vida do autor fico  com a impressão de que ele realmente não superou isso, entendem? Por mais que Nancy Levin mostre como as lembranças e dificuldades do divórcio a afetaram, eu preferia que ela simplesmente escrevesse os conselhos sem mencionar sua vida algumas vezes. Talvez se eu já conhecesse a autora iria me interessar bem mais pela sua história, mas isso acabou não tornando a leitura fluída e me fazendo parar a leitura por achar a mesma cansativa.
 Através de palavras sinceras, perguntas e poemas, Nancy Levin conta para todos o que a tornou a mulher que ela é hoje e dá dicas de como superar os momentos ruins para seguir em frente. Infelizmente Se Joga! não foi uma leitura que me prendeu, mas acredito que as pessoas que realmente precisam de conselhos sobre perseverança e determinação irão se identificar mais com a leitura.