[Resenha] A Lista | Cecelia Ahern



Título: A Lista
Título Original: One Hundred Names
Nome: Cecelia Ahern
ISBN: 9788581636832
Grupo Editorial: Novo Conceito
Editora: Novo Conceito
Número Páginas: 384
Gênero: Drana
Sinopse: Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira.
Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.
"Todo indivíduo em qualquer parte do mundo tem uma história extraordinária para contar."
Depois de cometer um erro gravíssimo, ser processada e afastada do trabalho, Kitty Logan não poderia estar se sentindo pior. Ou melhor, poderia. Seu namorado resolveu terminar o relacionamento deles do nada, sua melhor amiga está morrendo e ela não imagina o que está prestes a acontecer. Depois que Constance lhe deixa uma lista com cem nomes para que ela faça uma matéria, ela vê que a amiga queria lhe deixar a oportunidade de recuperar sua carreira e fazer uma matéria inesquecível.  Só que ela tem cem nomes, um prazo apertado e a vontade de fazer isso dar certo, agora só falta saber por onde começar.
"A questão é aprender a parte mais importante do que é real."
 Eu gosto demais da escrita da Cecelia Ahern e depois de participar de um Hangout com a autora, graças ao Grupo Editorial Novo Conceito, passei a admirá-la ainda mais. Admito que gosto mais de uns livros do que de outros, mas ,mesmo os que não gostei, me trouxeram alguma mensagem e eu tenho certeza que será sempre assim. Dessa vez tentei começar o livro sem muitas expectativas e, também, nem poderia, já que assim como a protagonista o leitor não tem nem ideia do que os cem nomes tem a ver um com o outro e com Kitty e isso conta muito na hora do envolvimento com a história e a protagonista.
"As pessoas raramente sabem o que querem; só ficam sabendo depois do fato."
 A partir do capítulo em que Kitty descobre a lista comecei a ficar mais curiosa a respeito das coisas que iriam acontecer e muito ansiosa para descobrir quem eram aquelas pessoas. Neste livro a narrativa de Cecelia não tem altos e baixos e ela conseguiu manter suas mensagens marcantes e novos aprendizados a cada página. Isso é algo que admiro na Cecelia; ela consegue me envolver e me fazer refletir independente da história, da personalidade do protagonista e da maneira como passa isso no livro.

 Kitty é uma personagem nada perfeita que, muitas vezes, age de maneira errada e fala coisas desnecessárias, mas a autora conseguiu mostrar que ela pode até errar, porém sabe quando errou e sabe que deve reparar o erro. Kitty passa por muitas mudanças ao longo do livro e, consequentemente, seus pensamentos e opiniões mudam, fazendo com que o leitor a acompanhe nesse amadurecimento. Claro, aquelas cem pessoas ajudam demais nesse quesito.
"Você foi a única em meio àquelas entrevistas a me mostrar verdadeiramente que não tinha medo de voar e que, na verdade, seu medo mesmo era o de não errar."
 Cada nome, cada pessoa, cada história acrescenta algo para o enredo e para a personagem e isso torna este o livro de Cecelia que mais me fez refletir. Temos histórias que emocionam, diálogos marcantes e pessoas especiais. É impossível não comparar acontecimentos da ficção com nossa vida e não pensar em como seria estar no lugar daquelas pessoas - sendo a história divertida ou triste. O mais legal é que, no final, nós percebemos que desde a primeira página havia um ensinamento sobre o que fez Constance deixar a lista para Kitty e, por mais que a gente pense que aquela primeira conversa das duas já nos deixam algumas mensagens, vai muito além disso.
"Talvez pensemos que somos pessoas comuns, que nossa vida é entediante porque não estamos fazendo nada de extraordinário nem estampando as capas dos jornais, tampouco suas manchetes, nem ganhamos prêmios memoráveis. Mas a verdade é que todos nós fazemos coisas fascinantes, admiráveis e das quais deveríamos sentir orgulho."
 Emocionante, envolvente e marcante, A Lista não tem apenas Kitty como protagonista. O protagonista da vez é o leitor, que irá se deixar levar pela narrativa da autora e irá parar a leitura várias vezes para poder pensar sobre seus próprios atos. Se você já leu algum livro de Cecelia Ahern, vai se impressionar com como a autora consegue se superar. Se você nunca leu nada da autora, este livro seria uma ótima maneira de começar.