[Resenha] Red Hill | Jamie McGuire



Título: Red Hill
Título Original: Red Hill
Autora: Jamie McGuire
ISBN: 9788576863380
Grupo Editorial: Record
Editora: Verus
Número de Páginas: 350
Gênero: Thriller, Suspense, Young Adult
Sinopse: Para Scarlet, cuidar de suas duas filhas sozinha significa que lutar pelo amanhã é uma batalha diária. Nathan tem uma mulher, mas não se lembra o que é estar apaixonado; a única coisa que faz a volta para casa valer a pena é sua filha Zoe. A maior preocupação de Miranda é saber se seu carro tem espaço suficiente para sua irmã e seus amigos irem viajar no fim de semana, escapando das provas finais da faculdade. 
Quando a notícia de uma epidemia mortal se espalha, essas pessoas comuns se deparam com situações extraordinárias e, de repente, seus destinos se misturam. Percebendo que não conseguiriam fugir do perigo, Scarlet, Nathan, e Miranda procuram desesperadamente por abrigo no mesmo rancho isolado, o Red Hill. Emoções estão a flor da pele quando novos e velhos relacionamentos são testados diante do terrível inimigo – um inimigo que já não se lembra mais o que é ser humano. 
O que acontece quando aquele por quem você morreria, se transforma naquele que pode lhe destruir? Red Hill prende desde a primeira página e é impossível deixa-lo até o final surpreendente. Este é o melhor da autora Jamie McGuire! 
"É fácil esquecer que a nossa vida de antes não era um sonho. Isso aqui não é a realidade, como a gente devia viver, nem quem somos. As pessoas que éramos sete dias atrás... Aquilo é o que somos [...]"
 Conheci a escrita da autora Jamie McGuire através de Belo Desastre e, no lançamento de Desastre Iminente, tive o prazer conhecê-la pessoalmente. Li todos os outros livros dela lançados no Brasil e estava cada vez mais convencida de que não importasse o que ela escrevesse, eu iria gostar. Quando Red Hill foi anunciado, pensei que eu pudesse estar errada pois eu não conseguia imaginar Jamie escrevendo um livro sobre zumbis. Sendo bem sincera, não me lembro de ter assistido filmes ou lido livros de zumbis e sequer acompanho The Walking Dead, mas ainda bem que eu estava errada pois, ouso dizer, esse foi o melhor livro de Jamie.
"Ver um filme de zumbis é uma coisa. Ficar observando os mortos-vivos do outro lado da janela é outra."
 Um cientista tentou, durante anos, reanimar cadáveres e, até aquele dia, havia fracassado. A manhã daquela sexta-feira poderia ser como qualquer outra, mas graças a Elias Klein o mundo inteiro mudou. O que só fazia parte da ficção passou a ser realidade. Passou a se espalhar.
"Eu sei que o mundo acabou em uma sexta-feira. Esse foi o último dia em que vi minhas filhas."
 Ao deixar suas filhas, Jenna e Halle, no colégio para passarem o final de semana com o pai, Scarlett ouviu o anúncio de que mortos-vivos poderiam estar se espalhando por aí, mas ela tinha coisas mais importantes com o que se preocupar, como seu divórcio, já que na rádio em que ela ouviu a notícia os repórteres já faziam piadas sobre o assunto e diziam que os cadáveres já haviam sido coletados. Mas Scarlett trabalha em um hospital, quando chegou, percebeu que havia algo diferente no ar. Em pouco tempo ela viu todas as alas possíveis lotadas, mais pessoas chegando, notícia de caos por todos os lados de sua e de outras cidades e, então, ela só pensou em duas coisas: suas filhas.
"- A senhora precisa fazer com que essas crianças cheguem em casa, sar. Earl. Fazer com que elas cheguem até seus pais, e depois precisa correr."
 Nathan não era feliz no casamento desde que sua filha nasceu, o que é irônico. O nascimento de um bebê deve trazer alegria e amor para um lar, mas no caso do nascimento de Zoe, ela só trouxe alegria e amor para ele. Sua esposa, Abrey, ficou cada vez mais distante, sempre reclamando que ele trabalhava o dia todo e ela ficava com a filha e querendo cada vez mais passar o dia na internet conversando em chats, sites e fóruns. Naquela sexta-feira ele estava pensando sobre o rumo de seu casamento no caminho para a escola de sua filha quando escutou um alerta de vírus grave em seu estado e percebeu o caos a sua volta. Ele precisava chegar rápido até sua filha, ir para casa buscar a esposa e buscarem um lugar seguro.
"- Surto viral. Os infectados estão atacando e mordendo as pessoas. Usaram a palavra 'cadáveres' hoje de manhã. O que você acha que é, Ash? Herpes?"
 Miranda estava tão alheia aos acontecimentos que o trânsito parado e as pessoas correndo a sua volta só a deixavam com uma preocupação: a pintura do seu New Bettle novinho. Ela e sua irmã, Ashley, estavam a caminho de um final de semana tranquilo com seus respectivos namorados, Bryce e Cooper, e seu pai. Sua mãe estava morando com o novo marido e seu pai, com quem ela não tinha uma relação muito boa desde a separação, morava com a namorada Leah em um rancho afastado da cidade. Demorou até que ela e os amigos dessem conta da gravidade de tudo que os cercava, mas não era tarde demais para eles se salvarem. Ou seria?
"Não havia ninguém que não estivesse afetado pela infecção."
 Eu quis falar sobre cada um dos protagonistas pois a sinopse não dá muitos detalhes e isso é ótimo para manter o suspense, mas sei que alguns poderiam ficar tão interessados a ponto de querer saber um pouquinho mais a respeito das principais histórias que fazem de Red Hill um livro incrível, mas não falarei sobre cada um para certos detalhes não perderam a graça e nem as surpresas. E, sim, livro incrível, pois Jamie McGuire conseguiu colocar todos os elementos necessários para que a história seja repleta de emoções e não nos permita largar a leitura. A escrita de Jamie está mais envolvente e prazerosa de acompanhar do que nunca. A forma como ela organizou e dividiu os capítulos, alternando a narrativa em primeira pessoa entre Scarlett, Nathan e Miranda , é inteligente, já que Jamie nos apresenta os dilemas de cada um, mostra a forma como a situação os está afetando de maneiras distintas e como tudo tem o seu momento.
"- Sou maluco por achar que o fim do mundo foi a melhor coisa que me aconteceu?"
 Duas coisas engraçadas aconteceram durante a leitura e que eu tenho que contar: chegou um momento em que eu tive que parar de ler o livro, ir até a cozinha beber água, voltar para o quarto, sentar e pensar antes de retomar a leitura. Por que? Porque era tudo demais! Demais no sentido bom e no ruim. Nesse momento decidir dormir e retomar a leitura só no dia seguinte, mas acordei no meio madrugada depois de sonhar que estava em Red Hill e que a qualquer momento um zumbi ia aparecer na janela. Juro, gente, eu não estou brincando! Jamie conseguiu fazer tudo parecer tão real que eu realmente me sentia em Red Hill durante e depois da leitura.
"- [...] Eu não era boa nessa coisa antes do fim do mundo, e tudo indica que não melhorei em nada.
 - Boa em quê?
 - Em amar."
Red Hill é um livro que faz o leitor se sentir como os personagens, temer o futuro deles e sofrer com as perdas de cada um. Jamie McGuire conseguiu me surpreender ao apresentar uma história com personagens muito bem construídos, um enredo envolvente e cativante,  uma trama com detalhes inovadores e, principalmente, um totalmente diferente e melhor do que seus livros anteriores. Gostei muito do final que nos alivia e surpreende, deixando aquela sensação de que a autora poderia escrever um pouco mais para não termos que abandonar os personagens, mesmo sabendo que a partir dali, se ela realmente narrasse mais alguma coisa, a história cairia na mesmice. Já estou torcendo para Jamie se aventurar mais em thrillers e suspenses e nos presentear com um livro tão bom quanto este.