[Resenha] O Medalhão Mágico | Mariana Lucera


Título: O Medalhão Mágico
Autora: Mariana Lucera
ISBN: 9788566766011
Editora: Oitava Rima
Número de Páginas: 364
Compre: Amazon
Gênero: Fantasia
Sinopse: O que era apenas uma viagem de férias para a mansão de uma tia solitária, em Londres, acaba por se desdobrar em uma grande aventura para Emily Dismorri. Investigando o desaparecimento de sua prima, Lindsay, que sumiu naquele local há anos, Emy se depara com um portal que a leva para Damantiham. Lá, a garota começa uma jornada que lhe trará descobertas impressionantes sobre o seu passado, ao mesmo tempo em que ela precisará se esforçar para garantir o seu futuro. 
De posse da metade de um medalhão mágico, Emy faz amizades e se vê envolvida em uma disputa que há muito assola o reino, dominado pela poderosa e malévola feiticeira Amyla. Com a ajuda do mago Albergain, a garota e seus amigos Call, Hermes, Périgle, Mistice, Velkan e Sora darão início a uma batalha em busca da outra parte do objeto, na tentativa de restaurar o bem em Damantiham. No caminho, diversos imprevistos e reviravoltas aguardam por eles.
"- Magia é magia, pai. Não tem como ser diferente! - disse a menina, virando os olhos para cima como se estivesse sendo obrigada a  explicar algo óbvio para o pai.
 - Eu sei, mas este livro trata de um tipo de magia possível, uma magia real."

 Recebi O Medalhão Mágico, da Mariana Lucera, há algum tempo e, quando eu estava super empolgada com a leitura, aconteceu uma coisa que me fez parar e esquecer de terminar o livro. Sim, não estou mentindo! Não foi algo relacionado à leitura, foi algo da minha vida pessoal, e essa resenha demorou, de uma forma vergonhosa, a sair, mas fico feliz em dizer que eu achei que teria que voltar a leitura ao início para entrar em Damantiham novamente, porém não foi necessário. Ao abrir o livro na página em que havia parado, a história veio toda em minha memória e logo eu estava ao lado de Emy tentando desvendar os mistérios desse reino novamente.
 Lindsay sumiu misteriosamente na biblioteca de sua casa. Jordan sumiu misteriosamente ao sair de casa e não mais voltar. Essas duas pessoas sumiram há três anos, mas chegou o momento de saber o que aconteceu. Ou talvez demore um pouco mais. Emily vive em São Francisco sozinha com a mãe desde o sumiço de seu pai. Sua tia vive em Londres sozinha desde o sumiço da filha e a separação do marido. É assim que a mãe de Emy resolve que elas irão passar um tempo na casa de sua irmã e Emy só não vai contrariada porque soube que a tia tem uma biblioteca e, pelo menos, ela teria a companhia de vários livros durante sua estadia. Só que ao chegar no local ela descobre que a biblioteca que tanto queria conhecer, por ser apaixonada por livros, é um local proibido. O motivo? Sua prima sumiu lá há três anos. Mas Emy não pode ficar sem ler, já que essa é a única coisa que ela tem pra fazer na casa. E também pode ser a coisa que a levará para uma viagem mais longa do que ela imaginou.
"Tomada de pânico, ela começou a correr. Emily corria o mais rápido que podia, esquivando-se de outros invasores e suas lâminas afiadas."
 Quando li a sinopse do livro eu já criei várias expectativas e, depois, fiquei com medo de me decepcionar por isso. Acontece que a sinopse é do tipo que te dá alguns detalhes que possibilitam imaginar coisas sobre a história e, ao mesmo tempo, não te diz tudo de cara para manter aquele suspense no ar. Eu gosto de sinopses assim quando, ao começar a leitura, vejo que o autor não mencionou todos os fatos e características do primeiro capítulo, por exemplo (porque é péssimo quando você lê a sinopse e depois descobre que ela praticamente resumiu uns três capítulos do livro), e quando vejo que o livro vai além do que está escrito nela. E foi justamente isso que aconteceu com  O Medalhão Mágico.

 Emily tem 13 anos, passou a ler muito por causa do pai e se tornou uma pessoa tão curiosa quanto ele e com muita imaginação. Mas isso não a faz tirar os pés do chão e saber o seu lugar. Em vários momentos em Damantiham ela se mostrou corajosa (mesmo não acreditando que era), conseguiu enfrentar diversos obstáculos e não perdeu sua personalidade. Ela amadureceu ainda mais conseguiu colocar algumas pessoas em seus devidos lugares e tinham várias cenas e diálogos em que eu falava "isso, Emy!" por estar totalmente envolvida com a história e torcendo pela personagem.
"A feiticeira tomou a metade azul das mãos de Emy e saiu imediatamente de cima dela. Primeiro por estar assustada pela expressão que a garota conservava no rosto; segundo porque sabia que havia despertado algo que talvez não pudesse controlar."
 Como comecei a ler o livro sem saber que tipo de criaturas ou aventuras aguardavam Emy, vou apenas mencionar que temos dragões sim (está na capa, hehe) e que a autora conseguiu acrescentar elementos fantásticos que me surpreenderam, ao mesmo tempo em que inovou em diversos aspectos do gênero do livro. Para dar um exemplo, o romance presente nessa fantasia é diferente (não vou dizer quem são os envolvidos, vocês terão que ler) porque não é só a idade dos personagens que muda tudo. Nós temos mais de um casal, porém conseguiremos entender a relação, as diferenças e a importância do amor e do poder, além de compreender o porquê de o vilão ser o vilão e de a mocinha ser a mocinha. Cada  casal tem o seu momento e tem um, em especial, que eu espero que no próximo livro tenha mais detalhes porque sinto que não mostraram tudo de si, mas posso afirmar que tudo tem um porquê e nós não ficamos sem explicações.

 Outro ponto positivo foi que a narrativa em terceira pessoa não foca apenas em Emily. A escrita da autora é ótima de se acompanhar pois a narrativa fluída nos permite conhecer os pensamentos dos outros personagens durante toda a leitura, e isso inclui a mãe e a tia de Emy, que estão fora de Damantiham. Foi muito legal ver a relação das irmãs em busca de suas filhas, assim como a relação das filhas de cada uma no reino, ver que nós temos uma só protagonista, mas todos os personagens são importantes para o desenrolar da história e para que não haja pontas soltas na mesma. Alguns personagens me deixaram com o pé atrás, outros me ganharam de cara e outros estão na minha lista para prestar atenção em cada detalhe no próximo livro.

 O Medalhão Mágico traz magia, aventura, ação e fantasia de uma maneira surpreendente, envolvente e cativante. Mariana Lucera consegue transportar o leitor para o mundo que criou de uma maneira natural e, quando o leitor percebe, já está totalmente dentro da história torcendo pelos personagens e querendo defender Damantiham também. Essa foi uma leitura que realmente me ganhou e eu mal posso esperar para que a autora diga que vai lançar a continuação, já que o livro faz parte de uma quadrilogia.