[Resenha] Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor | Sarah Butler



Título: Dez Coisas que Aprendi sobre o Amor
Autora: Sarh Butler
ISBN: 9788581637778
Grupo Editorial: Novo Conceito
Selo: Novo Conceito
Número de páginas: 256
Gênero: Drama
Sinopse: Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?
"Hoje meu coração está forte."
 O Grupo Editorial Novo Conceito me enviou a prova de Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor e, mesmo ficando empolgada para conhecer a história antes do lançamento, saber que era um livro que envolvia uma história de pai e filha me fez questionar se a leitura seria tão emocionante e envolvente para mim.
"Eu nunca ia a lugar nenhum em específico, só fugia."
 Alice nunca se sentiu em casa. Ela sempre chamou o que deveria ser seu lar de "a casa do meu pai" e sempre se sentiu culpada pela morte da mãe. Alice está sempre viajando, sempre fugindo, nunca para por muito tempo em um lugar, e soube, quase que tarde demais, que seu pai pode morrer a qualquer momento. Ela volta para a casa dele e todas as suas inseguranças, lembranças e perguntas de toda uma vida estão novamente presentes, só que, dessa vez, pode ser que ela encontre as respostas para as perguntas que ela nunca descobriu que deveria fazer.
"Eu me preocupo com você. Eu me preocupo que você não esteja feliz, que esteja com fome, que esteja doente. Eu me preocupo com o fato de você não estar na cidade. Eu me preocupo que você esteja aqui, mas odeie isso. Eu e preocupo que você esteja morta."
 Daniel perdeu tudo na vida e está em busca da única coisa que, talvez, lhe reste: sua filha. Ele vive na rua e não tem dinheiro, mas é alimentado pelo desejo de encontrar a filha que nunca conheceu, que não sabe que ele existe, e que foi fruto de seu amor com a mulher que mais amou. Um dia ele vê um nome em um jornal, e é a partir daí que ele encontra força e esperança para continuar sua busca, mesmo que um medo passe a fazer parte dela.
"É confuso: amar e odiar alguém ao mesmo tempo."
 Sarah Butler escreveu um livro que é difícil de descrever e comentar. Ele traz tantos assuntos, tantos sentimentos, tantos pensamentos... Existe uma coisa nele que envolve algo pessoal para mim, o que me fez, durante toda a leitura, tentar entender mais dos dois lados, tentar pensar em todos os porquês e tentar conhecer cada história ali presente. A narrativa em primeira pessoa, intercalada entre os dois protagonistas, nos permite conhecer mais deles, só que as listas de 10 coisas que estão em cada início de capítulo são o grande diferencial. 
"Uma vez que tenha me apaixonado, acho quase impossível me desapaixonar; aprendi isso sobre mim mesmo. Não é algo que torne a vida mais fácil."
Alice e Daniel são personagens muito especiais. É tão incrível e triste ao mesmo tempo saber que Alice é profundamente amada e não sabe disso. É tão lindo ver a relação que Daniel criou com a filha mesmo sem conhecê-la e, principalmente, sem que a ela saiba de sua existência. É tão confuso pensar que eles, que deviam estar juntos, estavam separados. É angustiante esperar pelo encontro deles. Cada item listado nos faz refletir ainda mais sobre os assuntos do livro e a diferença notável na escrita da autora nos capítulos de cada um nos deixam mais próximos deles: Daniel possui capítulos com detalhes mais arrastados, como é sua vida; Alice possui capítulos com detalhes às vezes confusos, como é sua mente.

Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor traz uma história tocante e reflexiva sobre a vida, sobre família e sobre perdas. Sarah Butler conseguiu me fazer pensar sobre minha própria vida em diversos momentos, me instigou a continuar com a leitura e me apresentou a personagens muito bem construídos. Eu poderia listar dez coisas sobre as quais refleti durante a leitura, porém vou me contentar em dizer um quote que define bem o que senti com a história, principalmente ao terminá-la: 
"- Gosto disso - digo. - Gosto da ideia de seguir a diante."