[Resenha] Zoo | James Patterson e Michael Ledwidge

Título: Zoo
Título Original: Zoo
Autores: James Patterson e Michael Ledwidge
ISBN: 9788580414424 
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 288
Gênero: Suspense
Sinopse: Algo está acontecendo na natureza. Uma misteriosa doença começa a se espalhar pelo mundo. Inexplicavelmente, animais passam a caçar humanos e a matá-los de forma brutal. A princípio, parece ser algo que se dissemina apenas entre as criaturas selvagens, mas logo os bichos de estimação também mostram suas garras e as vítimas se multiplicam. 
A humanidade é presa fácil.
Apavorado, o jovem biólogo Jackson Oz assiste à escalada dos acontecimentos. Ele já prevê esse cenário alarmante há anos, mas sempre foi desacreditado por todos. Depois de quase morrer em uma implausível emboscada de leões em Botsuana, a gravidade da situação se mostra terrivelmente clara.
O fim da civilização está próximo.
Com a ajuda da ecologista Chloe Tousignant, Oz inicia uma corrida contra o tempo para alertar os principais líderes mundiais, sem saber se as autoridades acreditarão em um fenômeno tão surreal. Mas, acima de tudo, é necessário descobrir o que está causando todos esses ataques, pois eles se tornam cada vez mais ferozes e orquestrados. Em breve não restará nenhum esconderijo para os humanos...
"- Os animais estão em pé de guerra. E está se espalhando. Uma pandemia.
[...] - E nós somos apenas uns dos animais."

  Que. História. Incrível. Sério! É surpreendente a forma como James Patterson envolve o leitor. Eu nunca sei (e acredito que nunca saberei) dizer onde e em que aspecto os co-autores dos livros de James estão presentes, mas consigo ver as semelhanças de suas obras e não canso de dizer que o cara é incrível. Com Zoo, que é seu enredo mais inovador, acredito eu, ele deixa a desejar em alguns poucos aspectos, mas apresenta uma história que é bem melhor do que eu imaginava.
"Larson parece uma boneca de pano indefesa quando Mosa sacode sua cabeça de um lado para o outro. Então, o pescoço se quebra com um estalido semelhando ao de um lápis se partindo, o último som que seu cérebro registra antes da morte."
 Jackson Oz vem percebendo uma mudança no comportamento dos animais há anos. Ele tem feito muitas pesquisas e tem cada vez mais certeza de que os animais estão se rebelando contra os humanos. Só que ninguém acredita nele. Ele começou a chamar a coisa toda de CAH (Conflito entre Animais e Humanos) e pediu ajuda a amigos mais próximos para tentar desvendar o que acontece, mas nem todos acreditam no próprio amigo porque, para qualquer um, a ideia de que até animais, inclusive os domesticados, pudessem matar seus donos é uma total loucura, mas ninguém imaginava que estava tudo acontecendo bem debaixo de seus olhos.
"O mundo estava se tornando um zoológico, mas sem jaulas."
 Oz recebe um telefonema que muda tudo. Ele precisa viajar o mais rápido possível para a África pois é lá que terá a oportunidade de filmar o comportamento surpreendente dos leões, que estão atacando acampamentos, e talvez pode trazer uma resposta para a fuga de dois leões de um zoológico de Los Angeles que mataram duas pessoas. Ao chegar ao seu destino ele percebe que é muito pior do que ele imaginava e pior do que provar que é real é não saber como parar aquilo.
"Recuei para o rio. Havia um leão em particular - enorme, maior do que os outros, com uma juba avermelhada e um olho só. Era o que estava afim de mim. Veio bem na minha direção."
 Adoro livros com cenários pré e pós apocalípticos e, principalmente, a forma como tudo se desenvolve e os motivos que os autores criam para tudo acontecer. Gosto ainda mais quanto tudo parece real e muito possível. É isso que Zoo traz; uma história totalmente possível narrada de uma maneira super real e que não permite que o leitor largue suas páginas até chegar ao final se surpreendendo por ter lido o livro de maneira tão rápida. Os capítulos curtos e ágeis e a narrativa em hora em primeira pessoa passando os pensamentos e ações de Oz e hora terceira pessoa mostrando a visão dos animais são grandes pontos fortes dessa história.
"Ah, o ciclo da vida... Os rios fluem para o mar, mas o mar nunca enche, e assim por diante. A morte se torna uma vale-refeição. A morte era o modus operandi ali na selva africana"
 O protagonista vem acompanhando o comportamento dos animais há anos, o que não permite que tudo tenha acontecido de repente, porém chega um momento do livro em que parece faltar algo. Sei que James Patterson não é um autor de thrillers científicos e sim de suspense, mas eu esperava mais desenvolvimento a respeito da causa dos ataques. Temos um biólogo como protagonista, uma ecologista acompanhando tudo de perto e vários profissionais debatendo sobre a possível causa e, mesmo quando chegam a uma conclusão crível (e muito boa, por sinal) ainda parece faltar informação.
"[...] eles não estão nem aí para o fato de isso ser uma questão ambiental. Não querem mais saber de falar com cientistas. Só querem sangue, e vão ter sangue à beça."
 O lado bom é que apenas quando cheguei ao final (chocada por de repente me deparar com a última página do livro lendo-o apenas em uma tarde e torcendo para uma página surgir magicamente com uma passagem grande de tempo para me permitir saber o que acontecer anos depois daquele final) que fui pensar no que foi mencionado acima porém, tirando isso, a história realmente não deixa a desejar. Enredo e narrativa são intensos até o fim e James Patterson e Michael Ledwidge mantém o ritmo da leitura do início ao fim. Zoo é mais complexo do que sua sinopse mostra. É um livro instigante que apresenta fatos possíveis e não permite que o leitor largue a leitura até chegar ao final.
"O Grande Apagão está encerrado.
 Assim como a civilização humana."
Zoo foi adaptado para a TV e a primeira temporada da série acabou no último dia 15. A Netflix comprou os direitos e talvez a série esteja disponível na plataforma no próximo mês. Confira um sneak peek (sem legenda) abaixo: