[Resenha] O Garoto Quase Atropelado | Vinícius Grossos


Título: O Garoto Quase Atropelado
Autor: Vinícius Grosso
ISBN: 9788562409462
Editora: Faro Editorial
Número de Páginas: 272
Gênero: Drama
Sinopse: Um garoto sofreu com um acontecimento terrível.
Para não enlouquecer, ele começa a escrever um diário que o inspira a recomeçar, a fazer algo novo a cada dia.
O que não imaginou foi que agindo assim ele se abriria para conhecer pessoas muito diferentes: a cabelo de raposa, o James Dean não-tão-bonito e a menina de cabelo roxo, e que sua vida mudaria para sempre!
Prepare-se para se sentir quase atropelado de uma forma intensa, seja pelas fortes emoções do primeiro amor, pelas alegrias de uma nova amizade ou pelas descobertas que só acontecem nos momentos-limite de nossas vidas.
Estar vivo e viver são coisas absolutamente diferentes!
"Acho que a vida de todos é feita de coisas boas e coisas ruins. E, no final, quando as coisas ruins chegam e a gente se sente perdido e mal, as boas recordações servem para nos agarrarmos e tentarmos suportar."
 Conheci Vinícius Grossos há pouco menos de um ano e fiquei interessada em seu primeiro livro publicado, Sereia. Desde então muitas coisas aconteceram e acabei não lendo o livro, mas quando em meados desse ano o autor comentou sobre sua próxima obra, ficar curiosa foi inevitável. Uma história emocionante que era contada através de um diário, como não querer conhecer? O Garoto Quase Atropelado foi lançado, chegou aqui em casa e demorei para começar a leitura, porém quando o fiz, não conseguia parar. Devo começar a resenha dizendo que detalhes sobre a história e personagens não são necessários. Aliás, deveriam ser proibidos nas resenhas desse livro, para que todos comecem a leitura "do zero", sem noção do que pode acontecer.. Ao mesmo tempo em que quero dizer "Continuem a ler minha resenha, vejam como livro vale a pena", minha vontade real é de escrever "Saiam daqui e corram agora para alguma livraria para comprar o seu". Simples assim.
"O fato é que tudo estava saindo do controle. De novo."
 O garoto quase atropelado, a cabelo de raposa, o James Dean não-tão-bonito e a menina do cabelo roxo. Esses são os personagens que conheceremos e acompanharemos no diário do primeiro que foi citado. Ele passou por diversos problemas e, agora, iniciou um diário em busca de consolo em suas próprias palavras e pensamentos. Ele quer se sentir livre, quer mudar de vida, quer saber o verdadeiro significado de estar vivo, só que, quando menos espera, alguém começa a fazer parte de seu dia a dia depois de um quase acidente e ele verá que a sensação de ser quase atropelado irá mudar sua vida para sempre.
"Mal sabia eu que o pior ainda estava para acontecer."
 Como descrever a narrativa e a escrita de Vinícius Grossos? Comecei a ler o livro e, ainda nas primeiras páginas, me senti envolvida na história de uma maneira única. Sempre existem aqueles livros em que você já conhece a narrativa do autor e já se sente, de certa forma, atraído por ela, mas dessa vez foi diferente de tudo. O autor consegue fazer o leitor sentir o que o protagonista está sentindo logo nas primeiras 10 páginas de história e isso é absurdamente incrível! A forma como o diário é organizado e escrito, a maneira como ele consegue mostrar a maturidade do personagem e o modo como os assuntos são abordados torna tudo ainda mais adorável.
"- Você me deve satisfações, Laís.
 - Mas eu quero te dever. - ela rebateu."
 Amizade é um dos temas principais da história. Temos amor, família, dúvidas, morte, segredos e muito mais, porém a verdade é que a amizade rodeia todos os outros temas abordados. Gostei muito da maneira como o autor conseguiu mostrar que, mesmo conhecendo alguém a pouco tempo, é possível apoiá-la e, às vezes, compreendê-la melhor do que alguém que já estava em sua vida há muito mais tempo. O garoto quase atropelado, a cabelo de raposa, o James Dean não-tão-bonito e a menina do cabelo roxo irão nos dar várias provas de amizade e ensinarão que confiança é a base de toda e qualquer relação. 
"No completo escuro, abri os olhos e a única coisa que tinha vontade de fazer era chorar.
 Chorar até as lágrimas me afogarem.
 Chorar até as lágrimas me levarem embora toda a dor.
 Mas chorar, eu sabia, não adiantaria nada..."
 Nem tudo são flores nessa história e isso é o que a torna ainda mais incrível. Já pararam para pensar em como as perdas nos ensinam? Em como os momentos ruins nos ajudam a pensar e refletir melhor? Estar acompanhando todas as situações pela qual nosso protagonista passa, além de se sentir como ele a todo momento, fez com que a leitura fosse ainda mais prazerosa. A cada página tem como relacionar algo com sua própria vida, a cada página você vê algo sobre seu amigo, seu vizinho, seu parente. É tudo verdade, é tudo real. Tenho tido sorte de ler livros realmente bons ultimamente, mas faz muito tempo que não leio um livro que trouxesse tantos sentimentos e pensamentos de uma só fez.
"- Faça acontecer o maior número possível de momentos bons e os viva, cada um deles, como se fossem os últimos.
 Ao autografar meu livro na Bienal o autor escreveu: "Espero que se sinta quase atropelada" Foi ali que percebi como a história podia ir além do que imaginava e fico feliz em dizer que foi ainda mais além. Vinícius Grossos apresentou uma história emocionante, marcante e cheia de ensinamentos. É impossível terminar de ler O Garoto Quase Atropelado sem se emocionar e sem já sentir saudade dos personagens. É impossível não sentir um aperto no coração, não compartilhar de seus sentimentos e não querer abraçá-los. Termino a resenha dizendo que sim, Vinícius, me sinto quase atropelada. E seu livro é uma verdadeira montanha-russa de sentimentos.

Ah! E se você quer saber o porquê dessa imagem ao lado, o porquê de eu ter queimado a última página do livro (sim, eu fiz isso!), terá que ler. Se prepare.