[Resenha] Amor Imortal | Ana Carolina KJ


Título: Amor Imortal
Autora: Ana Karolina KJ
ISBN: 9788581637273
Grupo Editorial: Novo Conceito
Selo: Novo Conceito
Número de Páginas: 256
Gênero: Sobrenatural, Literatura Nacional, Ficção
Sinopse: Duas almas destinadas a se unirem para sempre.
Após a morte de seu pai, Anna Bonnier tenta recuperar um pouco de sua felicidade ao viajar para uma estação de esqui com sua melhor amiga, Loreta. Entretanto, o que era para ser um simples passeio, acaba por se tornar um desafio sobrenatural. Anna conhece o enigmático Raziel e percebe uma forte conexão que vai além da realidade, sobretudo quando descobre que o sentimento que tem por ele atravessa os séculos. Aos poucos, a proximidade que constroem juntos traz novos riscos. O relacionamento amoroso que ela sempre desejou pode desaparecer de forma trágica, assim como o homem que abriu seu coração. Passado, presente e futuro caminham juntos nessa emocionante história de amor e sedução, em que a realidade é capaz de alterar, a qualquer momento, o destino de cada um deles.
"Seria possível? Eu poderia ser feliz novamente?"

 Quando vi  Amor Imortal  entre os lançamentos do Grupo Editorial Novo Conceito pelo selo Novas Páginas fiquei em dúvida se gostaria ou não de conhecer seus personagens. Na verdade, fiquei em dúvida se gostaria de ler um livro do gênero sobrenatural no momento. Acontece que, como já disse aqui no blog, ando muito sem tempo para ler por conta da faculdade e de outros compromissos e fiquei me perguntando se um livro que logo na sinopse já me lembrava outras histórias seria uma boa e rápida leitura. O livro não foi uma total decepção, mas também não chegou a surpreender.
"Você é exigente demais! Construiu uma redoma de vidro ao seu redor e não deixa ninguém entrar - exagerou ela, franzindo o cenho [...]"
 Anna acaba de chegar a  Aspen, uma cidade pequena porém  perfeita para quem quer esquiar, para tentar esparecer e lidar melhor com a dor de perder seu pai. Sua melhor amiga, Loreta, quer fazer de tudo para que Anna se divirta apesar da dor e logo arranja uma solução: dois caras desconhecidos que, à primeira vista, parecem boas companhias para o primeiro dia no local. Anna acaba cedendo e aceita tomar café com eles, além de sair à noite juntos. Só que algumas coisas estranhas estão acontecendo, como o fato de nossa protagonista se sentir observada durante todo o dia e a sensação de algo ruim que sente em relação a um dos rapazes. Como se não fosse suficiente, Anna irá conhecer um misterioso homem por quem logo se verá apaixonada. Este é Raziel, um anjo que, ela não sabe, faz parte de sua vida há muito tempo.
"- Não consigo ficar longe de você.
 - Então não fique - respondi, sentindo meu coração pular."
 A escrita de Ana Carolina KJ é  muito boa. A narrativa clara e leve faz com que a leitura seja fluída - mesmo que a história tenha me deixado incomodada logo nas primeiras páginas, mas já falaremos disso - e ela fica bem rápida a partir de certo momento, mas não posso dizer que o enredo traz muitas surpresas. Gostei de termos a oportunidade de conhecer o passado dos protagonistas, uma vez que Anna lembra de muitas coisas de suas outras vidas e podemos acompanhar o ponto de vista de Raziel em certos momentos, o que torna o amor ainda mais real, porém o romance não traz algo realmente novo e nem chegou a me fazer torcer por eles. Eu simplesmente acompanhei a história sem sentir nada em relação aos dois.

 Como disse, logo nas primeiras páginas algumas coisas fizeram com que a história me deixasse com o pé atrás, como: o tratamento de Marcos para com Anna, furos na história (ex: uma personagem saber de algo que ninguém contou, ou melhor, não quis contar, e de repente ela menciona como se estivesse no ocorrido), o parecer de Anna sobre o amor mudar e a forma como Raziel revela a verdade para ela. Outra coisa também é que o livro possui muitos detalhes, mas a história deixa a desejar quando pensamentos de um personagem se tornam contraditórios ou a narrativa deixa passar batido algumas cenas que mereciam aprofundamento. Senti como se, apesar de o ritmo da leitura seguir normal até o final, o enredo acabou não mantendo a mesma linha.
"- Eu... não quero perder você. - Suspirei, tentando encontrar uma luz no interior de seus olhos."
Não há dúvidas de que o amor dos dois é verdadeiro, mas, desculpem, não consegui me envolver. Eu não poderia nem dizer que achei forçado, pois logo sabemos da conexão deles, de como eles se amaram por vidas e de que são almas gêmeas, mas simplesmente não consegui sentir de verdade o amor, nem torcer pelo casal. Senti a relação deles mais forte quando eles partem em uma missão que pode mudar o rumo de suas vidas, mas, de verdade, não foi o tipo de romance marcante que realmente me fez gostar do casal.

 Por outro lado temos Loreta, a melhor amiga da protagonista, que assim que aparece rouba a cena e já me deixou com mais vontade de conhecê-la. Ela é mimada e até meio imatura, porém é uma ótima amiga e, mesmo escolhendo as pessoas erradas como companhia, quer apenas a felicidade de Anna e não vê a hora de poder se divertir com ela como nos velhos tempos. Gostei muito da personagem e queria, até, que ela estivesse mais presente na história mesmo sabendo que não haveria mais tanta possibilidade.
"- Dilecta immortalis - disse Raziel, acariciando meus cabelos."
  Seria melhor se eu conseguisse me envolver com os personagens e acreditar ainda mais no romance, porém Amor Imortal foi uma leitura rápida e, apesar de não me surpreender e de não ser um super romance sobrenatural, a narrativa da autora é boa, sim, e a história pode agradar mais a alguém que consiga se envolver de fato no romance.