[Resenhas] Desaparecidas | Lauren Oliver

 
Título: Desaparecidas
Título Original: Vanishing Girls
Autora: Lauren Oliver
ISBN: 9788576864462
Grupo Editorial: Record
Editora: Verus
Gênero: Thriller, Thriller, Psicológio
As irmãs Dara e Nick eram inseparáveis, mas isso foi antes — antes de Dara beijar Parker, antes de Nick perdê-lo como melhor amigo, antes do acidente que deixou cicatrizes no belo rosto de Dara. Agora as duas, que eram tão próximas, não estão mais se falando. Em um instante Nick perdeu tudo, e está determinada a usar o verão para conseguir sua vida de volta.
Só que Dara tem outros planos. Quando ela desaparece, no dia de seu aniversário, Nick acha que a irmã está se divertindo por aí. Mas outra garota também sumiu — Madeline Snow, de nove anos — e, conforme Nick procura pela irmã, fica cada vez mais convencida de que os dois desaparecimentos podem estar conectados.
Neste livro tenso e cativante, Lauren Oliver cria um mundo de intrigas, perdas e suspeitas, enquanto duas irmãs buscam encontrar uma à outra — e a si mesmas.
"É isso aí, N. Esse jogo pode ser jogado por duas pessoas."

"Que droga!" Essa foi a primeira frase que veio em minha mente quando terminei a leitura. Confusa. Absurdamente confusa. É assim que me sinto, pouco mais de uma hora depois de terminar a leitura de Desaparecidas. Fiquei, durante 60 minutos e pouco, pensando sobre Nick, sobre Dara, sobre o enredo, sobre o que fazer depois dessa leitura. A única coisa que me parece no mínimo aliviante é escrever a resenha. O problema é que não fazia ideia de como começar até escrever a primeira palavra que veio em minha mente sobre o que estou sentindo agora. 
"Nada está bom."
 Nick e Dara são irmãs. Com onze meses e três dias de diferença na idade, Dara está segura de que a irmã mais velha é melhor que ela em tudo, enquanto Nick está convencia de que a irmã mais nova é quem é sempre a melhor. As duas eram inseparáveis até que uma delas deu um passo que a outra gostaria de dar e, consequentemente, as afastou. Para sempre. Depois de um grave acidente, Nick está decidida a apagar o passado - o dela em particular, mas, principalmente, o dela com a irmã - e começar do zero. Só que, enquanto ela trabalha na FanLand, um parque de diversões, sua vida fica cada vez menos divertida quando sua irmã parece se afastar ainda mais dela e verdades guardadas dentro de seu interior parecem lutar para sair.
"É típico de Dara se tornar não apenas o assunto, mas também uma imposição na conversa mesmo quando não está no ambiente. Desde que me lembro, as pessoas me comparam com Dara, e não o contrário. Ela não é tão bonita quanto a irmã mais nova... É mais tímida que a irmã mais nova... Não é tão popular quanto a irmã mais nova."
 Eu gostaria de poder olhar para Lauren Oliver e dizer "Mulher, o que você tinha na cabeça quando organizou esse enredo?". Comecei a ler o livro durante um lanche e tive que parar na página 90. Até aí a história estava como eu me senti ao terminá-la: confusa. Quando retomei a leitura, não parei até chegar ao final e, então, tudo fez sentindo. É muito estranho querer falar o que eu achei dessa história sendo que ainda não cheguei a uma conclusão de fato, mas acho que se eu deixasse para amanhã não conseguira passar o que senti realmente. Você pode estar se perguntando o porquê de a história parecer confusa nas quase 100 primeiras páginas e eu não posso lhe dizer o motivo, mas posso deixar uma dica: preste atenção às pistas. 

 Faz dez minutos que comecei a escrever essa resenha e acabo de chegar à uma nova conclusão: eu não me sinto confusa, me sinto enganada. A sinopse, os nomes antes do início de cada capítulo, a mudança na narrativa, diálogos que pareciam ter erros... tudo, tudo me fez pensar uma coisa e, nos capítulos finais, me deixou abalada. A autora conseguiu descrever, contar e narrar tudo de uma maneira tão convincente, tão envolvente, que você pensa que está está errada, ou que ela escreveu algo sem sentindo. "Mas, Mariana, pensar que a autora escreveu algo errado não é uma coisa ruim?" Não, não nesse caso. Ao chegar ao final, você vai ver que era exatamente esse o objetivo dela.
"Estranho como a gente confunde duas sensações tão diferentes. Frio e quente.
Dor e amor."
 Não quero ficar falando sobre as personagens para não dar a bobeira de soltar algo que não posso, porém preciso dizer que Nick é uma personagem imensamente intensa. Dara, por sua vez, é literalmente uma caixinha de surpresas. As duas possuem personalidades opostas, ao mesmo tempo em que poderiam se completarem e fechar feridas e buracos uma da outra. Temos também Madeline, uma menina de nove anos que sumiu e que apenas parece não ter ligação com as irmãs, os pais delas que dão raiva em diversos momentos, Parker  e Alice que são do tipo de personagem que você gostaria de conhecer, assim como FanLand é um lugar que você gostaria de visitar para conhecer as pessoas que tornam o local especial - inclusive Princesa. Uma das melhores partes do livro é que a autora, apesar de estar focada nas irmãs, criou personagens significativos que podem até parecer não ter outro motivo para estar ali se não o fato de a história precisar de personagens mas, não, todos, por menores que sejam, influenciaram com um ato, uma palavra, uma presença.
"Existe uma metáfora em algum lugar nisso - como se a vida tivesse a ver a acabar parando em um lugar que você não esperava e aprender a ser feliz com isso."
 Essa é a resenha que eu menos gostei de escrever e o porquê disso é simples: não posso falar sobre história sem soltar spoiler, não posso falar o que acho da história para não influenciar a leitura de vocês, não posso mencionar uma cena ou um acontecimento pois vocês iriam descobrir algo. Fico com medo de que talvez, por estarem lendo essa resenha e já estarem avisados de que algumas coisas parecem ser o que não são, vocês descubram coisas antes e não cheguem a se surpreender, porém, estou certa de que, mesmo assim, vocês deixarão alguma pista passar e Lauren irá enganar vocês.
"Querida Nick,
Inventei um joguinho.
O nome é: me pegue se for capaz.
 D."
 Desaparecidas é um trilher psicológico fascinante que te faz terminar a história completamente sem noção do que está sentindo. Comecei a escrever a resenha confusa, durante a escrita percebi que sentia enganada, agora termino dizendo que estou admirada. Lauren Oliver conseguiu escrever um livro totalmente incrível, construiu um enredo fascinante com maestria e deixa o leitor se sentindo mal por não ter descoberto certas verdades antes e, mais ainda, deixa o leitor angustiado por não poder mudar o que uma certa pessoa sente nas últimas páginas. A única coisa que posso dizer, por fim, é: leiam. Bom, mas, antes de colocar o último ponto final nessa resenha, conto o que vou começar a fazer assim que clicar em "publicar": começar a leitura novamente. Preciso ver o que deixei passar, preciso entender profundamente essas irmãs, preciso... preciso deixar de sentir esse aperto no coração que passou de Nick para mim quando eu descobri a verdade.