[Resenha] Nunca Jamais | Colleen Hoover e Tarryn Fisher



Título: Nunca Jamais
Título Original: Never Never
Autora: Colleen Hoover e Tarryn Fisher
ISBN: B00019MZ63BI
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 192
Gênero: Romance, Thriller,
Sinopse: Charlie Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar. Charlie e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado.
"Isso já foi longe demais."
 Colleen Hoover é uma autora de quem gosto muito. Ainda mais depois de ter a oportunidade de entrevistá-la. Nunca Jamais foi um livro que me chamou atenção pelo gênero, que eu adoro, e título, que não entrega a história. Ter a oportunidade de conhecer a escrita de Tarryn Fisher, uma autora que até então não conhecia a não ser por comentários de amigas, também me deixou animada. Só que quanto mais o tempo passava e eu não lia o livro, mais expectativas eu criava, infelizmente, a história não conseguiu superar isso.
"É assustador não saber quem é, e ainda mais assustador achar que não vai saber quem é."
 Os dois era grandes amigos, se tornaram namorados e agora são completos estranhos. Essa é a história de Charlie e Silas. Só que a história deles não é como as outras, onde o tempo ou a distância transforma as pessoas e as afasta. A história deles tem algo que não podem explicar: um dia, de repente, ambos não sabem quem são, onde estão ou de onde vem. Eles começarão do zero em busca de respostas e iniciam uma corrida contra o tempo para obtê-las, mas, em quem eles poem confiar? Como saber o que é verdade o que não é? Como encontrar suas verdadeiras personalidades?
"Ele faria tudo para se lembrar. Ela faria tudo para se esquecer."
 É indiscutível o fato de que a escrita de Colleen é incrível e, apesar de não conhecê-la tão bem a ponto de saber quais partes foram escritas por ela e quais por Tarryn, a leitura desde livro foi muito boa a ponto de não me fazer questionar quais partes eram de quem (gosto de tentar adivinhar o que cada autor escreveu em um livro em conjunto).  As autoras planejaram muito bem o enredo, fazendo com que o leitor fique ansiando por respostas tanto quanto os protagonistas, não deixam pontas soltas e representaram bem os gêneros nos quais o livro se encaixam. Porém, quando disse que o livro não superou minhas expectativas eu quis dizer que ele pode até ter alcançado as mesmas, mas não as ultrapassou. E eu esperava que isso acontecesse. 

 Comecei os dois primeiros capítulos já sabendo da história graças à sinopse, depois as autoras nos apresentam coisas que são novas para nós e para os personagens de forma com que tudo fique ainda mais envolvente para quem está lendo, além de nos fazer sentir próximos a Silas e Charlie. Mas, de alguma forma, a história não foi crescendo, não foi me deixando mais ansiosa ou me fazendo querer devorar as páginas. Apesar de o livro ser bem fino, facilmente uma leitura para uma só tarde, o li com calma, sem aquela tensão e ansiedade que esperava sentir. Para mim a história deixou a desejar apenas neste aspecto pessoal.
"Esse cara - esse garoto, Silas - agarra minha mão como se me conhecesse, e me arrasta atrás dele, como se eu fosse uma criancinha. E é exatamente assim como me sinto: uma criancinha em um mundo muito, muito grande."
 A narrativa em primeira pessoa sendo alternada em capítulos por Charlie e Silas nos deixa ainda mais próximos dos personagens. Seus conhecimentos são os nossos conhecimentos, assim como pensamentos e sentimentos. Gostei muito da forma como as autoras narraram certos acontecimentos e, principalmente, a volta das lembranças e compreensão da situação em que se encontram. Eu não sabia como seria o final, mas não esperava que fosse daquela forma. Não sabia que o livro tem uma continuação então chegar na última página e se dar conta disso da maneira como foi me deixou até mais animada em relação a tudo que li. Podem se preparar para um final empolgante.
"Quero sentir isso de novo. Quero lembrar como é amar alguém esse jeito. E não qualquer pessoa. Quero saber como é amar Charlie."
 Nunca Jamais foi uma boa leitura e, apesar de eu ter esperado ainda mais dele, foi no final que me dei conta de que o próximo livro tem tudo para ser melhor e, quem sabe, tudo o que esperei deste primeiro. Colleen Hoover e Tarryn Fisher conseguiram escrever uma história sem altos e baixos que pode até não trazer cenas emocionantes e de tirar o fôlego, mas que é cheio de suspense. Mal posso esperar para conhecer o futuro de Charlie e Silas.
"Nunca pare. Nunca esqueça."

Comentários

Postagens mais visitadas