[Resenha] Um Novo Amanhã | Nora Roberts


Título: Um Novo Amanhã
Título Original: The Next Always
Autora: Nora Roberts
ISBN: 9788580415124
Editora: Arqueiro 
Número de Páginas: 320 
Gênero: Drama, Romance
Sinopse: A tradicional pousada da cidade de Boonsboro já viveu tempos de guerra e paz, teve diversos donos e até sofreu com rumores de assombrações. Agora ela está sendo totalmente reformada, sob direção dos Montgomerys, que correm para realizar a grande reinauguração dentro do prazo. Beckett, o arquiteto da família, é um charmoso conquistador que passa a maior parte do tempo falando sobre obras, comendo pizza e bebendo cerveja com seus irmãos Ryder e Owen. Atarefado com a pousada, ultimamente nem tem desfrutado de uma vida social decente, mas pretende mudar logo isso para atrair a mulher por quem é apaixonado desde a adolescência. Depois de perder o marido na guerra e retornar para Boonsboro, Clare Brewster leva uma vida tranquila cuidando de sua livraria e dos três filhos. Velha amiga de Beckett, ela volta a se reaproximar dele ao ajudar nos preparativos da pousada. Em meio a essa apaixonante reconstrução, rodeados de amigos, Beckett e Clare passam a se conhecer melhor e começam a vislumbrar um futuro novo e promissor juntos. Neste primeiro livro da trilogia A Pousada, Nora Roberts apresenta o romântico Beckett Montgomery, que, ao buscar realizar o sonho de sua família, acaba deparando com um amor que pensava estar esquecido.
"Conheceu sangue e lágrimas, júbilo e fúria, nascimento e morte."
 Não li muitos livros da autora Nora Roberts (a autora tem mais de 50 livros publicados, então se compararmos a esse número, os menos de 10 livros que li da autora não são nada), porém os poucos que li confirmaram todos elogios que já havia lido sobre ela: sua narrativa encantadora, histórias bem ambientadas, enredos que são mais do que aparentam ser e personagens muito bem estruturados. Quando vi que Um Novo Amanhã seria publicado logo passei a desejá-lo entre minhas leituras, mas quando vi que era o primeiro livro de uma série, hesitei. Li e acompanhei a série Quarteto de Noivas da autora, mas me perguntei se seria o momento de me aventurar em uma série que provavelmente me deixaria ansiosa demais pelo próximo livro. Decidi que Nora valia a pena, mas infelizmente não foi exatamente o que aconteceu.
"Formadas por rochas das colinas e dos vales erguiam-se como testemunhos do desejo - tão comum ao ser humano - de deixar uma marca, de construir e criar."
 No primeiro livro da trilogia A Pousada temos três filhos e uma mãe que, juntos, formam uma família empreendedora que vive na cidade Boonsboro e que possui uma construtora. Beckett é o primeiro irmão Montgomery que iremos conhecer e é o protagonista desse primeiro livro da série. Ele é muito focado e, junto a seus irmãos, está decidido a fazer o sonho de sua família se realizar: reinaugurar a tradicional Pousada Boonsboro, que tem uma grande história para contar. Mas quando parte de seu passado retorna, ele acaba se dando conta de que há muitas coisas que ele deixou para traz e ainda precisa alcançar

 A primeira coisa que começou a me desanimar com o livro foi que, ao contrário dos livros anteriores da autora onde a narrativa (que eu tanto gosto) detalhada em terceira pessoa era maravilhosa de se acompanhar, dessa vez as coisas não só demoraram a acontecer como foram narradas de maneira lenta. A rotina dos personagens, seus relacionamentos, tudo é narrado de maneira demorada e a lentidão do próprio Beckett em relação a Clare me fez querer acabar logo com a leitura, mas, não para saber o final dos personagens ou o desenrolar de um certo mistério mas, sim, simplesmente para acabar.
''Os homens são meninos em pacotes maiores ".
 Os personagens até que geram certa curiosidade quando aparecem pela primeira vez. É como se, a cada personagem que apareceu, fui colocando nele expectativas de trazer algo melhor para a história e para o desenvolvimento da mesma. Falando dos dois principais, em especial, Clare é bem independente, já foi casada e tem filhos, então o romântico Beckett acaba deixando a desejar (pelo menos para mim) quando me dei conta de que ele não era aquele tipo de cara que tem atitude e corre atrás do que quer em relação ao amor. Ele pode até ser determinado (e muito, eu devo dizer) profissionalmente falando, porém mesmo que seu amor por Clare tenha crescido ao longo dos anos, quando a oportunidade chega ele não faz por onde. Temos ainda outro personagem que surge para que haja um conflito no relacionamento deles e uma personagem que irá ajudar para que a relação dê certo, então o que não faltam são oportunidades.
"Queria mais. E logo."
 Mesmo que a leitura tenha sido lenta, não posso dizer que a história, num todo, não vale a pena. O enredo é bom, a ambientação também é boa, os personagens formam um bom elenco, só que para mim foi apenas isso: bom. Gostei, sim, de saber a história dos personagens e todas as coisas que a Pousada Boonsboro, principalmente, carrega, porém não fiquei muito curiosa, nem torcia demais para os casais, simplesmente acompanhei o desenrolar de tudo sem muita empolgação ou envolvimento, como se fosse apenas uma leitura qualquer e não a leitura que me deixou com grandes expectativas. Nora até tenta acrescentar um suspense no livro, mas para mim simplesmente não deu certo.

 Criei grandes expectativas para Um Novo Amanhã e não gosto de dizer isso, mas elas não foram superadas. A leitura arrastada e a falta de emoção fizeram com que a tranquilidade  da trama deixasse a desejar e não fizessem nem os personagens me ganharem por completo.  Posso até ter lido poucos livros da autora Nora Roberts, mas sei que a autora tem muitas obras incríveis. Esta, infelizmente, não está entre elas, porém nunca deixo de indicar uma leitura e, como sempre digo, cada livro toca uma pessoa de maneira distinta. Este pode ter sido apenas bom para mim mas pode ser ótimo para você que está lendo essa resenha.