[Resenha] A Geografia de Nós Dois | Jennifer E. Smith

Título: A Geografia de Nós Dois
Título original: The Geography of You and Me
Autora: Jennifer E. Smith
ISBN: 9788501106223
Grupo Editorial: Record
Editora: Galera Record
Ano de lançamento: 2016
Número de páginas: 272
Compre: eBook - Físico
Gênero: Romance, Juvenil
Sinopse: Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram - presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância? Em A Geografia de Nós Dois, Jennifer E. Smith cria tramas cheias de experiências, filosofia e verdade.
"Quanto tempo se pode de fato esperar para que uma única noite dure?" p. 122
 Há dois anos li um livro que me chamou atenção primeiramente pelo título. Ser Feliz é Assim me apresentou a escrita de Jennifer E. Smith, que já era conhecida por A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (que não li até hoje, shame on me), e quando vi A Geografia de Nós Dois entre os lançamentos da Galera Record logo passei a desejá-lo.
 "- Essa cidade é cheia demais. Não dá para respirar aqui.
 - Acho que você está confundindo a cidade com o elevador." p. 18
 Lucy e Owen moram no mesmo prédio. Ela no vigésimo quarto andar, ele no subsolo. Os dois já se conheciam de vista, mas irão conversar pela primeira vez quando se encontram no elevador e acabam ficando presos. Eles não sabem, mas a eletricidade não acabou apenas no prédio e, sim, na cidade inteira. Eles também não sabem, mas possuem vidas muito diferentes, porém possuem muitas coisas em comum.
"Nada é o que é. As coisas estão sempre mudando." p.21
 A escrita de Jennifer E. Smith está ainda melhor do que eu podia me lembrar. A narrativa em terceira pessoa é profunda na medida certa e consegue nos fazer avançar na história sem perceber de fato que já lemos muitas páginas em pouco tempo. O livro é dividido em  cinco partes, intituladas AquiTodos os LugaresAlgum Lugar Casa e, por termos dois protagonistas, accredito que essa narrativa foi a escolha certa para o livro e a divisão dos capítulos (perto do final, principalmente) torna tudo ainda mais especial.
"Não é porque pintamos uma casa que a mobília ali dentro muda. Tinha que ser igual com as pessoas. No fundo, bem dentro de seus corações, elas continuam as mesmas, não importava onde estivessem, certo?"
 Lucy é uma personagem que é fácil de gostar logo de cara. Os pais vivem viajando, os irmãos mais velhos estão na faculdade e ela está morando temporariamente sozinha. Owen não fica muito para trás no termo solidão, uma vez que sua mãe faleceu e seu pai precisa trabalhar para manter os dois. Ele também é um personagem que gostamos logo, mas de uma forma diferente de Lucy. Algo que gostei bastante na história é que não somos só nós, leitores, que iremos conhecê-los aos poucos. Eles estão conhecendo mais de si mesmos e as viagens que irão fazer irão acrescentar muito em suas vidas.

 O título A Geografia de Nós Dois não poderia ser mais perfeito.  A autora nos leva de Nova York para Londres, São Francisco, Edimburgo, Portland, Roma, Seattle e outros lugares que, por mais rápido que sejam abordados no livro, despertam nossa curiosidade. Lucy terá que se mudar ao mesmo tempo em que Owen parte em uma viagem importante com o pai, então os dois precisam decidir se vão e como irão manter contato. Isso logo é resolvido: cartões postais. Preciso dizer que o desenvolvimento da amizade dos dois é ótimo de se acompanhar e foi muito bom  conhecê-los aos poucos, no mesmo momento em que eles estavam conhecendo um ao outro e a si mesmos, como falei. A autora soube direitinho como abordar os assuntos certos, uma vez que cada local irá acrescentar algo para o enredo.

 Eu esperava que A Geografia de Nós Dois seria uma leitura muito boa, como Ser Feliz é Assim foi, mas fico feliz em dizer que foi melhor do que eu esperava. Dessa vez, Jennifer E. Smith não traz lições marcantes ou uma trama realmente densa, mas não deixa de apresentar personagens que irão mostrar que, independente da distância, é impossível ir contra o destino.

Comentários

Postagens mais visitadas