[Resenha] A Garota do Calendário - Maio | Audrey Carlan


Título: A Garota do Calendário - Maio
Título original: Calendar Girl - May
ISBN: 9788576865261
Grupo Editorial: Record
Editora: Verus
Ano de lançamento: 2016
Número de páginas: 144
Gênero: Romance, Romance Hot
Compre: eBook | Físico
O quinto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em maio, Mia vai trabalhar como modelo no Havaí, onde conhecerá Tai, um dos homens mais impressionantes que ela já viu. Com ele, Mia vai descobrir que o prazer não tem limites — e que ela deve aproveitar absolutamente tudo o que a vida tem a oferecer.
"Cacete. Esse mês ia ser uma aventura e tanto." p. 36
Resenhas anteriores: 

 Maio chegou e com ele uma incrível viagem ao Havaí. Sol, praia e momentos para relaxar estão confirmados, mas, e aquela esperada diversão com o cliente? Nesse mês Mia irá trabalhar como modelo e, para sua surpresa, o cliente da vez não terá envolvimento nos prazeres de suas noites nesse mês. Com seu próprio bangalô e com a presenta de sua melhor amiga e sua irmã mais nova, Mia está pronta para se aventurar nos braços de um samoano impressionante.
"Ele aprenderia bem rápido quem era o chefe. Eu só esperava que, no final, ainda fosse eu." p. 31
 Quando li o primeiro capítulo de A Garota do Calendário - Maio no final de A Garota do Calendário - Abril eu não sabia o que esperar. Acontece que o livro começa nos dando a oportunidade de conhecer mais sobre Maddy, a irmã caçula de Mia, e até o terceiro capítulo não sabemos muita coisa sobre o trabalho de nossa protagonista neste mês, só que isso era só uma introdução para nos adiantar que, mais do que nos livros anteriores, família é um tema muito presente.
" – Você está perdida e em uma grande jornada. Não tenha medo. Vai encontrar muitas alegrias antes de se comprometer com seu 'para sempre'." p. 51
 Mia começa o livro já tento que enfrentar algumas mudanças. Eu esperava mesmo que Maddy estivesse mais presente nesse livro, mas confesso que o início me deixou meio com o pé atrás e pensando "será que ela está fazendo a coisa certa?". Acho que, no fundo, já me conectei tanto com nossa protagonista que a entendo muito a ponto de fazer os mesmos questionamentos que ela e apoiá-la em suas decisões mesmo sem saber a fundo o que se passa na cabeça de sua irmã. De qualquer forma, gostei muito de ter Maddy presente e de Audrey Carlan ter decidido explorar mais o lado irmã de Mia, além de trazer Gin, sua melhor amiga, para essa viagem também. Ela tem muita personalidade e é impossível não dar boas risadas com certos diálogos e com seu comportamento no Havaí.
"– Homens de verdade tê segredos que suas mulheres desconhecem.
 E não é apenas com a família de Mia que o tema será abordado. Eu adoro conhecer novas culturas, então não preciso nem dizer que gostei muito de saber mais sobre os samoanos.  Tai é o samoano que será responsável por grande parte da diversão de Mia nesse mês, além de lhe ensinar muito sobre a vida. Ele é muito fiel aos seus princípios, sua família e sua cultura e é um personagem incrível que irá mostrar seus valores ao longo do livro e ajudará Mia a esquecer os problemas e lidar melhor com certas questões que a estão atormentando. Sem falar que, no final, um certo encontro deixa os leitores torcendo ainda mais que esse homem que tanto acrescentou na história de Mia tenha o seu "para sempre". Para entender melhor essa afirmação, você terá que ler para descobrir. 
"– Sim, vou com tudo para cima de você. – Não seria a primeira vez. – bufei. – E não vai ser a última, garota." p. 79
 A Garota do Calendário - Maio foi me conquistando aos poucos e, por fim, já estava totalmente atraída por toda a cultura e mensagens do livro. Audrey Carlan consegue lembrar a importância de sabermos onde queremos chegar sem deixar de colocar nossos desejos em primeiro lugar e sem deixar que a opinião alheia nos impeça de continuar. Gostei muito das escolhas da autora para esse livro porque outra vez ela conseguiu trazer novidades para essa série que vai muito além do romance hot. Senti que ela conseguiu, mais do que antes, mostrar o quão humana sua protagonista é em meio aos erros, dúvidas e pensamentos, sem falar que lembra a importância de saber esperar e aproveitar o tempo durante a espera. 

Próximo livro: