[Resenha] No Meio do Caminho Tinha um Amor | Matheus Rocha


Título: No Meio do Caminho Tinha um Amor
Autor: Matheus Rocha
ISBN: 9788543103792
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 176
Ano de lançamento: 2016
Compre: eBook | Físico
Gênero: Romance, Textos, Crônicas
Sinopse: Às vezes, a gente insiste em viver um relacionamento que já chegou ao final faz tempo. Tentamos resistir, fazer de tudo para durar mais, lutando para trazer de volta os momentos mágicos do início. Mas, quando o amor acaba, no lugar do conforto e do carinho que existiam só restam feridas que vão doer por um bom tempo e deixar cicatrizes que não desaparecerão. Porque o amor nem sempre é para sempre. Com o fim vem a tristeza, a saudade, a mágoa, o desespero e a vontade de nunca mais sentir aquela dor. Aí fechamos as portas ao perigo de sermos machucados outra vez, mas também à chance de sermos amados de novo. Um belo dia, quando as lágrimas já secaram e nos esquecemos do desconforto, com muito cuidado abrimos uma fresta só para ver a vida lá fora. E, assim como um raio de sol que entra por qualquer brecha, de repente uma vontade de recomeçar nos invade e tudo volta a fazer sentido. E, sem nem saber como, no meio do caminho avistamos novamente o amor – e a certeza de um novo começo!
"A felicidade também é capaz de nos encontrar." p. 134
A primeira vez que ouvi falar de Matheus Rocha e seu blog, Neologismo, foi graças à minha mãe. Vocês já sabem como ela gosta de ler e, muitas vezes, lê lançamentos antes mesmo que eu, então me indicou o blog, dizendo que já estava acompanhando o autor e que sua escrita era maravilhosa. Mais de um ano se passou até que ela veio me avisar: Matheus iria lançar um livro pela Editora Sextante. Claro que fiquei curiosa e ansiosa para conferir a obra e minha mãe ficou mais ainda. Quando o livro chegou demorei um pouco para escolhê-lo como minha companhia, mas o fiz no momento certo e escolhi o lugar perfeito para me encontrar com as palavras de Matheus: a praia.
"É hora de abrir os olhos e aceitar que talvez esse alguém nunca leia todos os bilhetes nas garrafas que já lancei no mar." p. 123
 Dividido em três partes,  No Meio do Caminho Tinha um Amor começa com o Fim. Sim, você não leu errado. É com o término de um relacionamento que o autor resolve se abrir para nós e começar a nos envolver com sua escrita, mostrando que entender o fim é essencial para superá-lo. Durante o Meio vamos nos deparando com as verdades e as dúvidas que estão presentes na vida de qualquer pessoa  e que, por mais que nos damos conta de que estão ali, muitas vezes é difícil aceitá-las.  Ao chegar no Começo vemos como tudo começa e como é possível se perder em vontades e que devemos aprender a aceitar que, muitas vezes, estamos errados.

 É indiscutível que Matheus Rocha tem o dom da escrita e de tocar o leitor com suas palavras. Eu, que não acompanhava seu trabalho, pude perceber seu cuidado com as palavras para que elas alcancem o leitor da maneira correta e o façam refletir sobre cada uma delas, relacionando-as com sua própria história. Mas aí vem a pergunta: qual a maneira certa de alcançar o leitor? Sendo sincero. Matheus sabe disso e faz uma promessa de ser exatamente o que o leitor precisa durante a leitura e, sem dúvidas, irá conseguir fazer com que todo mundo passe horas pensando sobre as verdades presentes em seu livro. Mesmo que a pessoa não tenha passado por situações parecidas.
"Ai de mim se não fossem as minhas insatisfações e os nós na gargante." p. 80
Durante a leitura, para tudo ficar ainda mais especial, temos páginas dedicadas apenas para quotes. É uma frase mais marcante que a outra, do tipo que dá vontade de fazer camisa para poder expor por aí, para fazer com que todos a leiam e reflitam também. A diagramação da editora está ótima e o autor faz um agradecimento especial a Phellipe Wanderley, responsável pelas ilustrações.
"E lá vou eu. Receoso da queda, contando os segundos para desabar, mas com uma vontade imensa de sentir o vento no rosto. E (con)seguir." p. 152
 Matheus Rocha  cumpre com a promessa que fez nas primeiras páginas de No Meio do Caminho Tinha um Amor: ele é sincero. Trazendo verdade e personalidade em sua escrita, o autor consegue fazer com que suas palavras cheguem até nossos pensamentos nos fazendo refletir sobre as mesmas e ter vontade de sair por aí indicando o livro para que todo mundo tenha o prazer de se encantar com os textos como você teve.