[Resenha] O Príncipe de Westeros e Outras Histórias | George R.R. Martin e vários autores


Título: O Príncipe de Westeros de Outras Histórias
Título Original: Rogues
Autores:  Gillian Flynn, Joe R. Lansdale, David Ball, Scott Lynch, Paul Cornell, Phyllis Eisenstein, Neil Gaiman, Connie Willis, Patrick Rothfuss e George R.R. Martin
Ano de lançamento: 2016
ISBN: 9788567296364
Editora: Saída de Emergência Brasil
Número de páginas: 464
Compre: eBook | Físico
Gênero: Antologia, Fantasia, Ficção Científica, Thriller, Romance
Sinopse: Se você é fã de literatura fantástica, irá se deliciar com esta antologia de contos organizada por George R. R. Martin e Gardner Dozois. Obras inéditas dos melhores autores do gênero irão surpreendê-lo com enredos ardilosos e reviravoltas intrigantes. O próprio George R. R. Martin apresenta uma nova história do apaixonante e violento mundo de A Guerra dos Tronos, introduzindo um dos personagens mais canalhas de Westeros. Acompanhe grandes autores, como Gillian Flynn, Neil Gaiman, Patrick Rothfuss, Scott Lynch e muitos outros, nesta coletânea emocionante sobre vigaristas, mercenários e ladrões.
"Alguns dos cavalheiros e encantadoras damas destas páginas não são tão confiáveis assim." p. 14
 Lembro-me até hoje de quando ouvi o pessoal da Editora Arqueiro e Saída de Emergência Brasil falando sobre O Príncipe de Westeros e Outras Histórias. Organizado por George R. R. Martin e Gardner Dozois, o livro é uma coletânea escrita por dez autores e não havia dúvidas: eu, com certeza, já estava ansiosa para lê-lo. Sempre que resenho um livro de contos escrito por diversos autores, falo sobre cada conto e cada narrativa, mas, dessa vez, será diferente.

 A leitura se inicia com George R. R. Martin contando sobre a ideia do livro, sobre os convites que fez e o grande objetivo de juntar vários autores com diferentes estilos e escritas em um só livro para falar sobre um só tipo de personagem: o canalha. "Todo mundo ama um canalha", é assim que ele começa a Introdução, e nos faz pensar sobre como esse personagem está tão presente em nossas leituras e como que, por mais cafajestes que seja, ganha boa parte do público.
"Enganar e contar mentirar era como respirar." - A Árvore Reluzente p. 359
 Como o Marquês Recuperou Seu Casaco (Neil Gaiman), Proviniência (David W. Ball), Qual é a Sua Profissão? (Gillian Flynn), Um Jeito Melhor de Morrer (Paul Cornell), Um Ano e Um Dia na Velha Theradane (Scott Lynch), A Caravana Para Lugar Nenhum (Phyllis Eisenstein), Galho Envergado (Joe R. Lansdale), A Árvore Reluzente (Patrick Rothfuss), Em Cartaz (Connie Willis) e O Príncipe de Westeros (George R. R. Martin) são os contos que iremos acompanhar durante esta leitura.   Metade dos autores do livro eu conheço ou já li, isso foi algo que me deixou ainda mais empolgada com a leitura, uma vez que eu poderia reencontrar a narrativa de certos escritores, ao mesmo tempo em que conheceria outras. Entretanto, algo que foi me deixando um pouco desanimada e que me fez tirar um ponto da minha avaliação para o livro, foi o fato de que  que alguns escolheram apresentar histórias ou personagens já conhecidos por seus leitores, sem dar uma chance para os novos leitores os conhecerem.

 O título original da antologia é Rogues (em tradução livre, Canalhas) e é justamente isso que ficamos ansiando depois da introdução de George R. R. Martin: contos que apresentem personagens com essa característica. De fato todos os contos tem seus canalhas, mas apenas depois da apresentação do conto (antes de cada conto ser iniciado, tempos uma página com a bio do autor e uma pequena sinopse de seu conto) que descobrimos que algumas histórias se passam em universos já abordados pelos autores.  A leitura foi imensamente proveitosa, até os contos que menos gostei acrescentaram algo para a leitura, mas realmente fiquei um pouco chateada por não ter sido avisado aos leitores que pelo menos metade dos contos abordavam livros já publicados.
"[...] a tempestade interrompeu, e os dragões dançaram e morreram." - O Príncipe de Westeros p. 461
Como o Marquês Recuperou Seu Casaco, de Neil Gaiman,  e Um Jeito Melhor de Morrer, de Paul Cornell, foram os que mais "incomodaram", uma vez que para os leitores que não leram as outras obras dos autores, a leitura será confusa, como foi para mim.  O Príncipe de Westeros, de George R. R. Martin, é o último conto do livro e o que eu tinha quase certeza de que não iria gostar, justamente por não conhecer a fundo o universo de Game of Thrones, muito menos o personagem-título do conto da vez. Surpreendentemente, ao contrário do que pensei, ele apresentou muito bem seu protagonista, deu detalhes na medida certa para quem conhece e para quem não conhece sua famosa série e conseguiu, finalmente, me deixar curiosa para lê-la.
"E vou parecer nociva. É a maneira perfeita de cometer assassinato." - Qual é a Sua Profissão? p.119
 Os dois contos que foram pontos altos do livro são Qual é a Sua Profissão?, da Gillian Flynn, e Um Ano e Um Dia na Velha Theradane, do Scott Lynch. Conheço a narrativa de Gillian graças à Garota Exemplar e  Lugares Escuros, e estava muito ansiosa para ler seu conto, já Scott Lynch foi uma ótima surpresa, pois nunca li nada do autor. Ambos trazem personagens bem distintos, ao mesmo tempo em que conseguiram me deixar igualmente curiosa e presa na leitura para saber o desenrolar de tudo. Devo admitir que adoraria que vê-los nos presenteando com livros e narrativas maiores sobre ambos os contos e personagens.

 Fantasia, ficção científica e thriller são apenas três dos gêneros presentes em O Príncipe de Westeros e Outras Histórias. Apesar de ter gostado mais de alguns contos do que de outros, sei que isso é normal em um livro com tantos autores e narrativas diferentes e, mesmo não dando 5 estrelas para o livro - pelo simples fato de autores apresentarem histórias já conhecidas como se todos fossem obrigados a conhecerem  -, tenho certeza de que essa foi uma das melhores antologias do ano justamente por trazer diversidade partindo de um mesmo tema: o canalha.

Comentários

Postagens mais visitadas