[Resenha] Muito Amor, Por Favor | Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha

Título: Muito Amor, Por Favor
Autores: Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha
ISBN-10:  9788543104065
ISBN-13: 8543104068
Editora: Sextante
Gênero: Textos, Contos, Crônicas, Literatura Nacional
Encontre: Skoob | Amazon
Sinopse: Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais, que souberam se reinventar. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos – como o controlador machista ou o piegas choroso – e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia... e sempre.
"Gosto de me arriscar." p.18
 Muito Amor, Por Favor é um livro que me chamou muita atenção. A fonte e os detalhes da capa são bem bonitos e o fato de termos quatro homens reunidos para falar sobre o amor era algo novo para mim - até então . O livro é dividido em quatro partes e cada uma delas possui textos escritos por Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha, que falam sobre diferentes formas de amor, relacionando-o aos quatro elementos: água, terra, ar e fogo.
"'Significa, menina, que eu sou fogo, e você, a gasolina." p. 17
 Ique Carvalho é o responsável pela primeira parte do livro. O Amor é Fogo mostra que esse sentimento pode arder, ao mesmo tempo em que pode aquecer a alma. Gostei demais de conhecer melhor a escrita do autor e, sem dúvidas, ele foi o responsável pela minha parte favorita do livro. Quando iniciei a leitura, esperava apenas dar uma olhada na diagramação e me peguei lendo o primeiro texto. Depois não consegui para. Sua narrativa envolvente passa as mensagens de maneira real, aborda sentimentos presentes na vida de qualquer um e acontecimentos possíveis. Ele te faz concordar com diversas frases, além de fascinar com palavras arrebatadoras.
"Só eu, você e o amor que a gente cultivava junto. Até que essa roseira começou a secar." p. 83
 Depois de ler No Meio do Caminho Tinha Um Amor, era de se esperar que eu estivesse com grandes expectativas para a parte de Matheus Rocha. O Amor é Terra lembra que, mesmo quando se está em segurança, terremotos são possíveis. O autor logo te cativa com sua narrativa, fala sobre sentimentos de maneira sincera e me lembrou seu livro anterior em alguns momentos - não no sentido se estar repetitivo mas, sim, no sentido de me tocar profundamente. Adorei me reencontrar com a narrativa do Matheus e me surpreender com aspectos de seu elemento.
"Quero gestos sinceros, e não palavras vazias. Quero amor, e não só paixão. Quero um, e não alguns. Quero você" p. 185
 Arthur Aguiar é responsável por O Amor é Água e trouxe um pouco do que eu aguardava: a tempestade e a calmaria. Não me envolvi tanto com os textos do autor, uma vez que sua escrita é um pouco diferente do que costuma me atrair, porém isso não quer dizer que seus textos são ruins. Imagino que os autores sempre colocam suas personalidades na escrita, independente de estarem criando personagens, então Arthur inseriu algo mais descontraído em suas palavras, mostrando também a leveza de seu elemento. Como gosto de textos mais intensos e às vezes mais formais, não consegui gostar tanto de sua parte.
"Sou brisa e furação, intensidade e mansidão, nada e tudo, ao mesmo tempo." p. 207
 O Amor é Ar, do Frederico Elboni, é a última parte do livro. O autor fala sobre como amar pode te fazer flutuar, mas também pode trazer vendavais. A maneira como ele trata seu elemento me surpreendeu, pois eu estava focando apenas na tranquilidade do ar, então foi bom me deparar com outros aspectos que eu não havia cogitado. Foi meu primeiro contato com sua escrita e gostei bastante da clareza como ele apresenta suas ideias e passa suas mensagens, da mesma forma que te faz parar em alguns momentos para refletir, respirar fundo e olhar a sua volta para relaxar.

 Muito Amor, Por Favor é um livro que mostra que homens podem, sim, falar sobre amor. Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha falam sem medo sobre características distintas do amor e mostram que, assim como esse sentimento tão importante tem vários lados, devemos estar sempre preparados para conhecer e nos surpreender com cada um deles.

 Se você quer saber quais os meus textos favoritos do livro, a resenha completa está no canal.