[Resenha] Por Um Toque de Ouro | Carolina Munhóz

Título: Por Um Toque de Ouro
Autora: Carolina Munhóz
ISBN-13: 9788568263082
ISBN-10: 8568263089
Editora: Rocco
Selo: Fantástica Rocco
Ano de lançamento: 2015
Número de páginas: 272
Encontre: Skoob | Amazon
Sinopse: Por um toque de ouro abre a Trindade Leprechaun, primeira trilogia de Carolina Munhóz, inspirada nas lendas irlandesas. Ambientado na Dublin contemporânea e protagonizado por uma jovem ligada ao mundo fashion que descobre ser herdeira de uma rara linhagem de seres mágicos considerados guardiões de potes de ouro, Por um toque de ouro é um romance de fantasia urbano e contemporâneo.
"Algumas pessoas ainda não estão preparadas para seus destinos." p. 66
  Carolina Munhóz é uma das autoras nacionais que mais admiro. A conheci sem saber que era autora, mas, quando soube, passei a acompanhar sua carreira e a ansiar por seus livros. Por Um Toque de Ouro é um deles e, talvez, o que mais fiquei curiosa para conferir. Saber que leria um livro de fantasia ambientado em Dublin, que traz a maravilhosa escrita da Carol e um novo lado para as lendas irlandesas me deixou muito curiosa.
"Todas as mulheres queriam ser Emily. Mas nenhuma teria coragem de apostar tão alto naquela mesa." p. 10
 A primeira coisa que todos devem saber é: temos uma protagonista mimada. Muito superficial e regada de luxúria e promiscuidade - sem mencionar a sorte - Emily O'Connel é uma irlandesa milionária que só pensa em si mesma e pensa apenas em seu bem-estar: faz o que quer na hora que bem entende, maltrata os outros sem dó e usa as pessoas para obter suas conquistas. Na noite de St. Patricks Day ela espera apenas se divertir, mas irá conhecer um lado de si mesma que até estão estava adormecido. Ou melhor, já estava bem desperto e ela não havia se dado conta.
"- O que você tem de sorte, tem de ego..."
 A escrita de Carolina Munhóz possui duas características que sempre elogio: é instigante e possui um ar misterioso. Independente do gênero, ela consegue nos fazer querer avançar na altura e guarda alguns detalhes para serem revelados no momento certo. Dessa vez, em Por Um Toque de Ouro, isso não é diferente, entretanto, me senti menos envolvida com a personagem e, talvez, isso se deva às características já mencionadas. Senti que o enredo foi bem elaborado, mas acabei descobrindo algumas coisas antes do momento certo e senti falta de me surpreender com o final ou com alguma revelação ao longo da história.
 Conhecer novas culturas é algo que me agrada muito nos livros, então a possibilidade de saber mais sobre Dublin e seus morados me deixou bem animada. Temos muitas menções e referências, assim como a forte presença da lenda dos leprechauns - algo que me deixou muito animada e me fez correr para o computador em busca de informações assim que terminei a leitura -, mas devo admitir que esqueci seu Emily e seu melhor amigo, por exemplo, eram irlandeses em diversos momentos. Temos diálogos com expressões bem características do nosso idioma e, mesmo que haja traduções para o inglês e o irlandês, isso parecia dar um ar mais brasileiro para os personagens.
"Amaldiçoou-se em pensamento por achá-lo tão sedutor. p. 45
 "Tem romance, Mariana?" Tem, mas preste bastante atenção em quem você irá confiar. O romance é abordado de maneira até calma, ao mesmo tempo em que é avassalador. A conexão entre Emily e o cara que irá fazer parte de sua vida é inegável, só não sabemos até que ponto isso pode ajudar ou prejudicar nossa protagonista. Emily passará por diversas transformações, perdas e conflitos até chegarmos ao desfecho da história que, diga-se de passagem, é bem motivador. Posso não ter sido enganada em nenhum momento, no entanto me senti muito entusiasmada com as cenas finais e com a probabilidade de termos momentos de ação no próximo livro da Trindade Leprechaun.
"- Menina, você não sabe mesmo o poder que há dentro de você, não é?" p. 64
 Pode-se perceber que a leitura teve alguns altos e baixos para mim, porém Por Um Toque de Ouro é um livro que, sim, me prendeu e me fez querer acompanhar Emily até o final. Fiquem dividida, pois toda a futilidade da protagonista pode atrapalhar com no nosso envolvimento com a mesma (cheguei a torcer para que ela se desse mal só para ver se aprendia uma lição), assim como a falta de surpresas, contudo a narrativa em terceira pessoa é ótima, Carolina Munhóz cumpre com a promessa de apresentar um novo lado de uma lenda e o desfecho traz ótimas cenas. A lenda dos leprechauns conseguiu ser o grande forte da história (sinceramente, amei essa nova visão), mal posso esperar para saber como será a continuação, Por Um Toque de Sorte.
"- Que a sorte nunca acabe." p.  86

Comentários

Postagens mais visitadas