[Resenha] Mundos de Dragões | Raphael Draccon



Título: Mundos de Dragões
Autor: Raphael Draccon
ISBN-13: 9788568263426
ISBN-10: 8568263429
Editora: Rocco
Selo: Fantástica
Ano de lançamento: 2016
Número de páginas: 352
Gênero: Fantasia, Jovem Adulto
Encontre: Skoob | Amazon
Sinopse: Liderados por um ranger americano e protegidos pela tecnologia criada por anões-alquimistas, um grupo de cinco pessoas sobrevive ao Cemitério, uma terra devastada por reptilianos, demônios e escravidão, e retorna para casa apenas para descobrir que eles levaram todo esse horror para a própria dimensão. Assim os dragões chegaram à Terra. Cidades foram queimadas, o pânico foi instaurado e líderes governamentais ficaram em choque diante de justiceiros que não respeitavam bandeiras nem fronteiras. Agora, um portal se abriu e a conexão entre as dimensões se fez. Em florestas de metal ou em bairros de concreto, gigantes de pedra e exércitos de monstruosidades espalham a devastação. Sem uma liderança clara, os cinco sobreviventes enfim se preparam para uma última batalha no coração do Japão. De um lado haverá um demônio-bruxa, crias infernais e Colossus de pedra. Do outro, armaduras de metal-vivo, sangue de dragão e robôs gigantes. Batalhas épicas e dramas intensos compõem Mundos de Dragões, terceiro e último livro da série Legado Ranger, um universo inspirado em uma versão adulta, violenta e politizada das antigas séries japonesas Tokusatsus, que marcaram a infância de toda uma geração.
"Nenhum ser humano podia culpá-los. Aquele era um dia para se fazer história." p. 216

 Devo começar essa resenha dizendo que tenho fitas (sim, VHS!) de várias temporadas dos Power Rangers, então esse fato contribuiu bastante para que eu ansiasse Legado Ranger, do Raphael Draccon. Mas a correria do primeiro período na faculdade (no ano passado) me fez ler menos e, consequentemente, resenhar muito menos para vocês. Só esse ano me dei conta de que deixei algumas resenhas passarem e, quando Munho de Dragões chegou para mim, me dei conta de que havia deixado de escrever não só uma como duas resenhas do Draccon. Decidi que iria resenhar os livros Cemitérios de Dragões e Cidades de Dragões antes de iniciar a leitura do aguardado desfecho da trilogia Legado Ranger, mas, quem disse que eu consegui? A empolgação aqui é tanta, que resolvi que irei logo falar minha opnião para vocês e depois resenharei os livros anteriores, afinal, se já estou indicando o último livro, significa que a trilogia vale a pena.

"A punição era para todos." p. 115
 Adoraria mencionar vários acontecimentos e personagens durante a resenha, porém terei que me conter, tendo em vista que não posso falar muito sobre o enredo em si pois soltaria muitos spoilers, Me contendo em dizer que em Cemitérios de Dragões conhecemos Amber, Ashanti, Daniel, Derek e Romain e iremos acompanhá-los em diversas aventuras e batalhas. Passamos por Cidades de Dragões, vimos como dragões causaram destruição e pânico na Terra, e finalmente chegamos em Mundos de Dragões, onde mais revelações nos aguardam, assim como mudanças, despedidas e reviravoltas.

 A escrita de Raphael Draccon é incrivelmente envolvente. Seu ritmo é ainda melhor do que nos livros anteriores, as passagens de tempo afligem, os personagens possuem ainda mais personalidade.  Aliás, tudo aqui parece ser "mais", tudo aqui parece melhor do que antes. A história te agarra logo no início e a narrativa em terceira pessoa não permite que você largue a leitura até saber o que acontece na última página. Claro que, se tratando do final de uma trilogia, era de se esperar que estejamos ansiando pelo desfecho, porém não podemos descartar a possibilidade de uma frustração. Ainda bem que não é o caso aqui. Temos mais de uma batalha que nos deixam atentos a cada detalhe, sem falar dos reencontros significativos e um epílogo de arrepiar.
"- Derek e Ashanti queriam ser melhores para o povo - explicou a árvore -, Amber queria ser melhor para a família, Daniel foi motivado por sua herança cultura, mas você, não. Você não tinha nenhuma motivação que não fosse você mesmo. Que não fosse por você mesmo." p. 171
 Os cinco protagonistas nos cativam mais do que nunca: Amber está mais incrível, Daniel está mais decidido, Ashanti está mais maravilhosa, Derek está mais decidido e Romain está mais heroico. Derek, que é meu favorito (aproveito a oportunidade para dizer que raras foram as vezes em que o ranger vermelho não era meu preferido quando eu era pequena), trouxe muitas revelações, entretanto, Romain foi um personagem que se destacou bastante nesse último livro e será protagonista de cenas não só decisivas como emocionantes. Preparem-se.
"Rangers lideram o caminho." p. 347
 O final de Mundos de Dragões te faz fechar o livro com uma forte sensação de dever cumprido. O enredo me surpreendeu de forma muito positiva, o ritmo de leitura foi ótimo e Legado Ranger, sem dúvidas, é uma das melhores trilogias que li. Hoje, admiro ainda mais Raphael Draccon pelo maravilhoso trabalho feito e agradeço por ter me feito lembrar momentos tão especiais de minha infância com um enredo muito original e encantador.